Menu

AGENDA: Ida de Paulo Guedes à comissão que debate reforma tributária é destaque da semana no Congresso

Na terça-feira (17), está prevista a votação do relatório do deputado Christino Aureo (PP-RJ) sobre a MP 905, que regulamenta o Contrato Verde e Amarelo

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Agência Brasil

Em meio à propagação do novo coronavírus, o Congresso Nacional, mantém, até o momento, as atividades. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), está isolado com suspeita de Covid-19. Na última quarta-feira (11), foi determinado que apenas os parlamentares e pessoas credenciadas, como servidores e jornalistas, terão acesso à Câmara e ao Senado. Até o momento, apenas as sessões de votação em plenário e em comissões estão mantidas.

No Senado Federal, a terça-feira (17) deve ser movimentada. A comissão mista que debate a reforma tributária tem audiência pública agendada para às 14h30. O ministro da Economia, Paulo Guedes, deve comparecer para a reunião.

Também na terça, está prevista a votação do relatório do deputado Christino Aureo (PP-RJ) sobre a MP 905/19. Deputados e senadores continuam a discussão sobre o texto apresentado pelo relator, já que a última reunião do colegiado foi interrompida na última quarta-feira (11), devido a sessão do Congresso Nacional para a votação dos vetos do presidente Bolsonaro ao orçamento.

Os senadores podem votar em Plenário o Novo Marco Legal do Saneamento Básico (PL 4162/2019), que permite investimentos privados em serviços como abastecimento de água e coleta e tratamento de esgoto.

A Lei Geral de Licenciamento Ambiental (PL 3.729/2004) pode ser colocada em votação nesta semana pelo presidente Rodrigo Maia. O principal ponto da proposta é a padronização mínima de regras federais, estaduais e municipais para análise e liberação de licenças por parte de órgãos ambientais.

O relator do projeto, deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP), defende a simplificação do processo para aquisição de licenças para obras de baixo impacto. Segundo o parlamentar, a Lei Geral do Licenciamento pode facilitar o processo para que as licenças possam ser expedidas em um prazo menor. 

“Estamos criando essa lei que vai ajudar a normatizar a questão do licenciamento. Ao mesmo tempo, vamos ter mais fiscais na rua e analisando menos papelada, o que vai ajudar na política de combate ao desmatamento”, explica. 

Outro item que pode ser colocado em votação no Plenário da Câmara é a Lei Geral das Concessões, que unifica as normas atuais que tratam de concessões, parcerias público-privadas (PPP) e fundos de investimentos em infraestrutura. A norma foi aprovada, em forma de substitutivo, na comissão especial que analisava o assunto no fim de 2019 e agora aguarda para ser votada em Plenário.

No Senado, a PEC dos Fundos (187/2019), pode ser votada no Plenário da Casa nesta semana. A norma propõe extinção dos fundos públicos da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios para o abatimento da dívida pública e em obras de infraestrutura. 
 

Paulo Henrique

Formado em Jornalismo e com Pós-Graduação em Gestão da Comunicação nas Organizações, possui experiência em redações e assessorias, atuou como estagiário na Secretaria de Saúde do Distrito Federal, no Portal R7 e na ASCOM da Câmara dos Deputados. Depois de formado, foi Assessor de Comunicação do Instituto de Migrações e Direitos Humanos e atualmente é repórter na Agência do Rádio.


Cadastre-se

LOC.: Em meio à propagação do novo coronavírus, o Congresso Nacional, mantém, até o momento, as atividades. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), está isolado com suspeita de Covid-19. Na última quarta-feira (11), foi determinado que apenas os parlamentares e pessoas credenciadas, como servidores e jornalistas, terão acesso à Câmara e ao Senado. Até o momento, apenas as sessões de votação em plenário e em comissões estão mantidas.

No Senado Federal, a terça-feira (17) deve ser movimentada. A comissão mista que debate a reforma tributária tem audiência pública agendada para às 14h30. O ministro da Economia, Paulo Guedes, deve comparecer para a reunião.

Também na terça, está prevista a votação do relatório do deputado Christino Aureo (PP-RJ) sobre a MP 905/19. Deputados e senadores continuam a discussão sobre o texto apresentado pelo relator, já que a última reunião do colegiado foi interrompida na última quarta-feira (11), devido a sessão do Congresso Nacional para a votação dos vetos do presidente Bolsonaro ao orçamento.

Os senadores podem votar em Plenário o Novo Marco Legal do Saneamento Básico (PL 4162/2019), que permite investimentos privados em serviços como abastecimento de água e coleta e tratamento de esgoto.

A Lei Geral de Licenciamento Ambiental (PL 3.729/2004) pode ser colocada em votação nesta semana pelo presidente Rodrigo Maia. O principal ponto da proposta é a padronização mínima de regras federais, estaduais e municipais para análise e liberação de licenças por parte de órgãos ambientais.

O relator do projeto, deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP), defende a simplificação do processo para aquisição de licenças para obras de baixo impacto. Segundo o parlamentar, a Lei Geral do Licenciamento pode facilitar o processo para que as licenças possam ser expedidas em um prazo menor. 

TEC./SONORA: deputado federal, Kim Kataguiri (DEM-SP)
 

“Estamos criando essa lei que vai ajudar a normatizar a questão do licenciamento. Ao mesmo tempo, vamos ter mais fiscais na rua e analisando menos papelada, o que vai ajudar na política de combate ao desmatamento.”

LOC.: Outro item que pode ser colocado em votação no Plenário da Câmara é a Lei Geral das Concessões, que unifica as normas atuais que tratam de concessões, parcerias público-privadas (PPP) e fundos de investimentos em infraestrutura. A norma foi aprovada, em forma de substitutivo, na comissão especial que analisava o assunto no fim de 2019 e agora aguarda para ser votada em Plenário.

No Senado, a PEC dos Fundos (187/2019), pode ser votada no Plenário da Casa nesta semana. A norma propõe extinção dos fundos públicos da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios para o abatimento da dívida pública e em obras de infraestrutura. 

Reportagem, Paulo Henrique Gomes