Menu

RIO GRANDE DO SUL: Secretaria de Saúde vai distribuir 3 milhões de preservativos durante o carnaval

Estado está em terceiro no ranking de maior número de casos da doença no Brasil

Banners

A prevenção é a melhor forma de combater o HIV. De acordo com a Secretaria de Saúde do estado, em 2017, foram registrados 29,4 casos de   aids para cada 100 mil habitantes. Isso faz com que o estado seja o terceiro com o maior número de casos da doença no Brasil. 

Para evitar que esse número aumente e mais pessoas se infectem com o HIV, o governo gaúcho vai distribuir três milhões de preservativos durante o carnaval. As autoridades de saúde atestam que o uso da camisinha é o método mais eficaz para se prevenir do vírus e outras infecções sexualmente transmissíveis, as IST.  A coordenadora adjunta de IST/Aids da Secretaria de Saúde do Rio Grande do Sul, Fernanda Torres, alerta a população sobre a necessidade de proteção durante todo o ano e principalmente em datas festivas como o carnaval.  

“A gente faz uma chamada neste momento, que é um momento onde as pessoas estão mais abertas, com mais disposição à relacionamentos, mas também a pensar, festejar, abrir e se conscientizar. Nós aqui no estado nos preocupamos muito, porque nós temos muitos casos. Então, a gente chama a (população) realmente parar para pensar, se divertir sim e se proteger também.” 

Vale lembrar que para se prevenir é simples. É só ir até uma Unidade Básica de Saúde e pegar, gratuitamente, quantos preservativos achar necessário. O arquiteto José Hélio descobriu que tinha HIV quando estava com 30 anos. Hoje, ele está com 68. O morador de Porto Alegre afirma que a sociedade ainda precisa combater o preconceito em torno da doença. 

“Esse é o grande problema: o preconceito e o estigma, que é o que mais nos mata ainda hoje. Já estamos entrando na quarta década e ainda continua esse estigma e esse preconceito”. 

De acordo com o governo estadual, o número de casos de aids registrados no Rio Grande do Sul caiu 36% entre 2007 e 2017. No primeiro ano, foram 46 novos casos por mil habitantes. Dez anos depois, foram registrados 29,4 para cada 100 mil. Neste ano, o Ministério da Saúde lançou a campanha para conter o avanço de HIV com foco nos homens jovens. 

Dados apontam que setenta e três por cento dos casos de infecção pelo vírus ocorrem na população masculina.  Entre esses um quinto, estão os jovens na faixa dos 15 aos 24 anos. Com o slogan “Pare, pense e use camisinha”, a ação pretende conscientizar os foliões e estimular o uso de preservativos. Conheça todas as formas de prevenção em aids.gov.br.


Comente...

Cadastre-se

LOC.: A prevenção é a melhor forma de combater o HIV. De acordo com a Secretaria de Saúde do estado, em 2017, foram registrados 29,4 casos de   aids para cada 100 mil habitantes. Isso faz com que o estado seja o terceiro com o maior número de casos da doença no Brasil. 

Para evitar que esse número aumente e mais pessoas se infectem com o HIV, o governo gaúcho vai distribuir três milhões de preservativos durante o carnaval. As autoridades de saúde atestam que o uso da camisinha é o método mais eficaz para se prevenir do vírus e outras infecções sexualmente transmissíveis, as IST.  A coordenadora adjunta de IST/Aids da Secretaria de Saúde do Rio Grande do Sul, Fernanda Torres, alerta a população sobre a necessidade de proteção durante todo o ano e principalmente em datas festivas como o carnaval.  
 

TEC./SONORA: Fernanda Torres, coordenadora adjunta de IST/Aids da Secretaria de Saúde do Rio Grande do Sul

“A gente faz uma chamada neste momento, que é um momento onde as pessoas estão mais abertas, com mais disposição à relacionamentos, mas também a pensar, festejar, abrir e se conscientizar. Nós aqui no estado nos preocupamos muito, porque nós temos muitos casos. Então, a gente chama a (população) realmente parar para pensar, se divertir sim e se proteger também.” 
 

LOC.: Vale lembrar que para se prevenir é simples. É só ir até uma Unidade Básica de Saúde e pegar, gratuitamente, quantos preservativos achar necessário. O arquiteto José Hélio descobriu que tinha HIV quando estava com 30 anos. Hoje, ele está com 68. O morador de Porto Alegre afirma que a sociedade ainda precisa combater o preconceito em torno da doença.

TEC./SONORA: José Hélio, arquiteto.

“Esse é o grande problema: o preconceito e o estigma, que é o que mais nos mata ainda hoje. Já estamos entrando na quarta década e ainda continua esse estigma e esse preconceito”. 
 

LOC.: De acordo com o governo estadual, o número de casos de aids registrados no Rio Grande do Sul caiu 36% entre 2007 e 2017. No primeiro ano, foram 46 novos casos por mil habitantes. Dez anos depois, foram registrados 29,4 para cada 100 mil. Neste ano, o Ministério da Saúde lançou a campanha para conter o avanço de HIV com foco nos homens jovens. 

Dados apontam que setenta e três por cento dos casos de infecção pelo vírus ocorrem na população masculina.  Entre esses um quinto, estão os jovens na faixa dos 15 aos 24 anos. Com o slogan “Pare, pense e use camisinha”, a ação pretende conscientizar os foliões e estimular o uso de preservativos. Conheça todas as formas de prevenção em aids.gov.br. Ministério da Saúde, Governo Federal. Pátria Amada Brasil.