Menu

AM: Aprovado em três universidades, estudante fala sobre importância das escolas SESI e SENAI em sua formação

Jovem de 18 anos foi aprovado na Universidade Federal e na Universidade Estadual do Amazonas, e ficou em 1º lugar para o curso de Economia

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners

Aos oito anos, João Matheus Gama entrou na escola SESI do Aleixo, em Manaus, para encarar desafios sempre maiores. Filho de um trabalhador da indústria, João sempre gostou de tentar coisas novas e, quando chegou ao ensino médio, decidiu fazer um curso técnico em desenvolvimento de sistemas, ao mesmo tempo em que estudava para o vestibular e ainda se dedicava às disciplinas regulares. 

O jovem participou do programa Educação Básica e Educação Profissional (EBEP), que dá oportunidade aos alunos de cursarem o ensino médio no Serviço Social da Indústria (SESI), atrelado ao ensino técnico no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI). Atualmente com 18 anos, João conta que apesar das dificuldades em conciliar os estudos, resolveu se dedicar, pois sabia que era importante para sua carreira. 

“Isso somou bastante, ao meu ver. Porque foi uma experiência muito nova. Eu sabia que ia se tornar bem corrido, mas no final valeria a pena. A gente sabe que o SENAI é uma das referências hoje em dia referente à ensino profissional e ensino técnico”, ressalta o jovem. 

Ao final do terceiro ano, João Matheus tinha dois diplomas, quatro aprovações em processos seletivos da Universidade Federal e da Universidade Estadual do Amazonas. Em um deles, o estudante ficou em primeiro lugar para o curso de Economia. 

Com o currículo que tinha, João Matheus foi selecionado como jovem aprendiz em um polo industrial da cidade e foi matriculado pela própria empresa em mais uma capacitação do SENAI. João conta que “ter dois certificados da instituição, em menos de três anos, vai somar muito”. 

Modelo de ensino 
O SESI e o SENAI são duas das nove instituições que fazem parte do Sistema S, responsável por capacitar e qualificar profissionais voltados para o trabalho na indústria e em outros segmentos profissionais. 

Na avaliação do economista e especialista em educação Cláudio de Moura e Castro, o serviço prestado pelas duas instituições possui um diferencial importante para quem busca uma vaga no mercado de trabalho: a teoria e a prática em um mesmo lugar.

O especialista garante não ter visto “nenhuma escola de país em desenvolvimento que chegasse próximo às escolas do SENAI”. “Essas escolas estão praticamente no mesmo nível daquelas escolas que a gente admira nos países avançados”, completa. 

Por conta dos serviços ofertados e dos milhões de jovens beneficiados, o Sistema S é reconhecido nacionalmente como um modelo educacional eficaz. É o que pensa, por exemplo, o deputado federal José Ricardo (PT-AM). “Eu considero muito relevante e importante o trabalho feito pelas entidades que compõem esse sistema ao longo desses anos. Entendo que elas colaboram muito com o desenvolvimento do país, principalmente nessa parte técnica, o lado educacional”, afirma o parlamentar. 

Somente em 2018, o SESI no Amazonas realizou 11,6 mil matrículas de estudantes de educação infantil, fundamental e médio, sem contar os alunos do programa de jovens e adultos. Já o SENAI do estado registrou 19,8 mil matrículas de educação profissional, sendo que mais da metade delas foram para a modalidade à distância. 

Além dos serviços educacionais, o SESI também oferece serviço de saúde e segurança no trabalho para trabalhadores da indústria, como exames e vacinas.

Sara Rodrigues

Sara iniciou a carreira jornalística como estagiária da Agência do Rádio, em 2014. Foi repórter da UnBTV durante 1 ano e 6 meses e retornou para a redação da ARB como repórter. É responsável pela coluna Diversão em Pauta, e cobre Política Internacional.


Cadastre-se

LOC.: Estar no ensino médio já é um grande desafio, mas o estudante João Matheus Gama decidiu encarar mais um e fazer um curso técnico enquanto estudava. Durante dois anos, o jovem, atualmente com 18, passou pela educação básica, educação profissional e, nas horas vagas, ainda se preparava para o vestibular. 

Isso foi possível na escola SESI, no Aleixo, bairro de Manaus, que oferece o serviço de ensino articulado. No período da manhã, João estudava as disciplinas comuns, e à tarde frequentava as aulas de desenvolvimento de sistemas. Mesmo com tantos desafios, o jovem foi aprovado em quatro processos seletivos de duas universidades públicas do estado. Para ele, o currículo adaptado fez toda a diferença. 

TEC./SONORA: João Matheus Gama, estudante 

“Isso somou bastante, ao meu ver. Porque foi uma experiência muito nova. Eu sabia que ia se tornar bem corrido, mas no final valeria a pena. A gente sabe que o SENAI é uma das referências hoje em dia referente à ensino profissional e ensino técnico.”
 

LOC.: O estudante João Matheus está cursando Economia e, além disso, o bom currículo o ajudou a conseguir um estágio como jovem aprendiz. E adivinha só: ele está fazendo mais uma capacitação pelo SENAI para enriquecer ainda mais o currículo. 

O economista e especialista em educação Cláudio de Moura e Castro é um dos defensores do ensino oferecido pelas escolas SESI e SENAI, instituições que fazem parte do chamado Sistema S. 

TEC./SONORA: Cláudio de Moura e Castro, economista e especialista em educação

“Por quase 15 anos, trabalhei na OIT, no Banco Mundial e no BIT. Me coube, nesse momento, visitar muitas escolas profissionais, dezenas, algumas em países avançados, mas a maioria nos países ditos ‘em desenvolvimento’. Uma coisa me chamou atenção: eu não vi escola de país em desenvolvimento que chegasse próximo às escolas do SENAI. Pelo contrário, essas escolas estão praticamente no mesmo nível daquelas escolas que a gente admira nos países avançados.” 

LOC.: Opinião semelhante a que tem o deputado federal José Ricardo, do PT amazonense, que considera o modelo de ensino aplicado no SESI e SENAI um importante aliado dos jovens que buscam uma oportunidade no mercado de trabalho. 

TEC./SONORA: José Ricardo, deputado federal

“Eu considero muito relevante e importante o trabalho feito pelas entidades que compõem esse sistema ao longo desses anos. Entendo que elas colaboram muito com o desenvolvimento do país, principalmente nessa parte técnica, o lado educacional.”

LOC.: Além do SESI, o SENAI é uma instituição que tem o objetivo de treinar e capacitar trabalhadores para indústria. A ideia é incentivar jovens que acabaram de sair do ensino básico a se matricularem em um curso técnico, o que, na maioria dos casos, aumenta as chances de entrar no mercado de trabalho. 

Reportagem, Sara Rodrigues