Menu

AMAPÁ: Estado é o segundo com maior participação de mulheres no mercado de trabalho

Técnica em segurança no trabalho e deputada amapaense acreditam que capacitação oferecida por instituições como o SENAI contribuem para inserção de mulheres no mercado

Banners
Foto: Arquivo/EBC

O Amapá foi o segundo estado brasileiro que registrou a maior participação de mulheres no mercado de trabalho no período entre 2013 e 2017. Os números são do Ministério da Economia e mostram que, no último ano analisado, 47,2% das vagas amapaenses eram ocupadas por elas. O estado ficou atrás apenas de Roraima, onde a participação das mulheres chegou a 49,3% de postos ocupados. 

Moradora de Macapá, Jéssica Guirelli é uma das amapaenses que conseguiu fazer parte da estatística de mulheres empregadas, graças ao Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI). Atualmente com 26 anos, ela é técnica em segurança no trabalho formada pela instituição em 2014.

Realizada, Jéssica conta que toda a equipe de apoio foi fundamental para a vida profissional que leva hoje, atuando como instrutora do SENAI. “Ajudou no meu crescimento profissional e pessoal também. Me ajudou a desenvolver trabalho em equipe e a resolver conflitos, me tornando uma pessoa mais qualificada para o mercado de trabalho”, afirma.

A deputada federal amapaense Aline Gurgel (PRB-AP), que também é primeira-procuradora adjunta da Secretaria da Mulher na Câmara dos Deputados, em Brasília, afirma que a participação feminina tem ganhado força, inclusive entre as profissões que há poucos anos eram exercidas em quase sua totalidade por homens. “Esse paradigma foi quebrado”, lembra Aline. 

Na avaliação da parlamentar, essa maior ocupação das mulheres no mercado de trabalho se deve, em grande parte, às instituições ligadas ao Sistema S, como o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI).

“Precisamos mostrar que essas mulheres são capazes de trabalhar com panificação, com máquinas pesadas. O SENAI trabalha muito bem com isso. Eu conheço várias mulheres que desenvolvem serviços de mecânica, que pilotam tratores. A mulher, realmente, está ocupando um lugar de destaque”, comemora a parlamentar.

Outro ponto positivo atribuído à instituição pela deputada foi o fato de que o SENAI tem mostrado muita preocupação em atender pessoas de baixa renda, principalmente entre as classes C, D e E.

“O SENAI chega às comunidades mais distantes. Capacitar aquele jovem, depois aquele jovem entrar em uma multinacional, fazer parte de uma indústria, mesmo estando tão distante dos grandes centros, é motivo de vitória para todos nós”, comenta Aline.

Panorama

As ações de qualificação profissional realizadas pela instituição foram responsáveis pela formação de 64,7 milhões de trabalhadores em todo o País, desde 1942. Ao todo, o SENAI contém 518 unidades fixas e 504 unidades móveis em quase 3 mil municípios brasileiros. O SENAI também oferece cursos a distância.

No estado do Amapá, o SENAI conta com três unidades fixas – em Macapá, Santana e Laranjal do Jari. Além disso, três unidades móveis percorrem o estado durante o ano, oferecendo capacitações na área de Construção Civil, Panificação e Treinamento em Espaços Confinados e Trabalho em Altura. Para tirar dúvidas sobre os serviços oferecidos pela instituição no estado, basta ligar para (96) 3084 8900. 
 

Marquezan Araújo

Marquezan é formado pelo Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), atuou como âncora de jornal radiofônico e locutor de programa musical. Passou por estágios na Agência Brasil e na Rádio Nacional, da EBC. Repórter da Agência do Rádio desde 2016, acompanha as movimentações do Legislativo no Congresso Nacional.


Cadastre-se

LOC.: O Amapá foi o segundo estado brasileiro que registrou a maior participação de mulheres no mercado de trabalho no período entre 2013 e 2017. Os números são do Ministério da Economia e mostram que, no último ano analisado, 47,2% das vagas eram ocupadas por elas.

Moradora de Macapá, Jéssica Guirelli é uma das mulheres amapaenses que conseguiu fazer parte da estatística de mulheres empregadas graças ao Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI). Atualmente com 26 anos, ela é técnica em segurança no trabalho formada pela instituição em 2014.

Realizada, Jéssica conta que toda a equipe de apoio foi fundamental para a vida profissional que leva hoje, atuando como instrutora do SENAI. 
 

TEC./SONORA: Jéssica Guirelli, técnica em segurança no trabalho

“O SENAI foi fundamental na minha vida. Ajudou no meu crescimento profissional e pessoal também. Me ajudou a lhe dar com as pessoas, a desenvolver trabalho em equipe e resolver conflitos, me tornando uma pessoa mais qualificada para o mercado de trabalho. Hoje, eu sou técnica em segurança do trabalho, atuo nessa área, sou instrutora do SENAI e o que eu sou devo grande parte disso à instituição.”
 

LOC.: A deputada federal amapaense Aline Gurgel (PRB-AP), que também é primeira-procuradora adjunta da secretaria da mulher na Câmara dos Deputados, em Brasília, afirma que a participação feminina tem ganhado força, inclusive entre as profissões que há poucos anos eram exercidas em quase sua totalidade por homens. 

Na avaliação da parlamentar, essa maior ocupação das mulheres no mercado de trabalho se deve, em grande parte, às instituições ligadas ao Sistema S, como o SENAI, por exemplo, que ajudam na formação e capacitação de profissionais, independentemente do sexo.
 

TEC./SONORA: Aline Gurgel, deputada federal (PRB-AP)

“Precisamos mostrar que essas mulheres são capazes de trabalhar com panificação, com máquinas pesadas. O SENAI trabalha muito bem com isso. Eu conheço várias mulheres que desenvolvem serviços de mecânica, que pilotam tratores. A mulher, realmente, está ocupando um lugar de destaque.”
 

LOC.: As ações de qualificação profissional realizadas pela instituição foram responsáveis pela formação de 64,7 milhões de trabalhadores em todo o País, desde 1942. Ao todo, o SENAI contém 518 unidades fixas e 504 unidades móveis em quase 3 mil municípios brasileiros. O SENAI também oferece cursos a distância.

No estado do Amapá, o SENAI conta com três unidades fixas – em Macapá, Santana e Laranjal do Jari. Além disso, três unidades móveis percorrem o estado durante o ano, oferecendo capacitações na área de Construção Civil, Panificação e Treinamento em Espaços Confinados e Trabalho em Altura. Para tirar dúvidas sobre os serviços oferecidos pela instituição no estado, basta ligar para (96) 3084 8900. 

Reportagem, Marquezan Araújo