Menu

Amapá terá de qualificar 10 mil trabalhadores em profissões industriais até 2023

Segundo Mapa do Trabalho Industrial, do SENAI, áreas de energia e metalmecânica demandarão técnicos capacitados em quatro anos

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Divulgação/SENAI

O estado do Amapá terá de qualificar 10.759 trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento entre 2019 e 2023. Os dados são do Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e divulgado nesta segunda-feira (30).

Segundo a coordenadora das unidades SENAI em Macapá e Santana, Rayza Aires, o estado possui uma indústria “pulverizada”. Além das áreas de energia e metalmecânica, que vão demandar mais técnicos capacitados, os cursos voltados para os setores de alimentos e bebidas, mineração e construção civil também podem garantir vagas no mercado de trabalho.

“A gente tem uma indústria que está se aquecendo no Amapá. É importante que as pessoas se preparem para o ingresso nessas atividades industriais. Muitas vezes, os industriários precisam buscar mão de obra qualificada em outros estados. Se preparar é muito importante, o SENAI está aqui para desenvolver esse tipo de qualificação”, afirmou Rayza.

Energia

O setor de energia precisará, segundo estudo do SENAI, qualificar 426 novos profissionais nos próximos quatro anos no estado. A Usina Hidrelétrica Cachoeira Caldeirão, localizada em Tartarugalzinho, faz uso da mão de obra com formação profissional, além de aperfeiçoar os conhecimentos dos funcionários em Saúde e Segurança do Trabalho (SST) anualmente.

O gerente operacional da usina, Glauciney de Castro, reforça que o SENAI é um grande parceiro na hora de aprimorar o conhecimento entre os funcionários. “A gente sempre aprende alguma coisa nova quando vamos aos treinamentos. Às vezes, as regulações mudaram, o equipamento de segurança passou por aperfeiçoamento. Então, acaba sendo uma troca positiva”, afirma.

Como forma de mudar a realidade de milhões de brasileiros que estão desempregados, a saída, na avaliação do deputado federal Camilo Capiberibe (PSB-AP), é ampliar a oferta de vagas de formação técnica e profissional, destinadas principalmente aos mais jovens. 

“É isso que vai garantir a vaga no mercado de trabalho. Se quem é muito jovem não tiver experiência e qualificação, fica quase intransponível conseguir um emprego. É preciso ter a formação para ter a chance de acessar o trabalho e, a partir daí, se firmar na carreira com a experiência”, indicou o parlamentar.

Qualificação profissional

O Mapa do Trabalho Industrial mostra que entre as ocupações que exigem cursos de qualificação e que mais vão demandar profissionais capacitados, estão as de trabalhadores de instalações elétricas (345); e trabalhadores de extração de minerais sólidos – operadores de máquinas (332).

Arte: Sabrine Cruz e Italo Novais/Agência do Rádio Mais

Arte: Sabrine Cruz e Italo Novais/Agência do Rádio Mais

Já a demanda por capacitação de profissionais com formação técnica no Amapá será maior nas áreas de energia e telecomunicações; metalmecânica; logística e transporte; informática; e transversais. Profissionais com qualificação transversal trabalham em qualquer segmento, como técnicos em eletrotécnica e técnicos de controle da produção. 

Os jovens que tiverem interesse em uma dessas áreas podem acessar o site ap.senai.br ou comparecer a uma das unidades do SENAI no estado. Mais informações podem consultadas pelo telefone (96) 3084-8930.

Sara Rodrigues

Sara iniciou a carreira jornalística como estagiária da Agência do Rádio, em 2014. Foi repórter da UnBTV durante 1 ano e 6 meses e retornou para a redação da ARB como repórter. É responsável pela coluna Diversão em Pauta, e cobre Política Internacional.


Cadastre-se

LOC.: O estado do Amapá terá de qualificar 10.759 trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento entre 2019 e 2023. Os dados são do Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e divulgado nesta segunda-feira (30).

Segundo a coordenadora das unidades SENAI em Macapá e Santana, Rayza Aires, o estado possui uma indústria “pulverizada”. Além das áreas de energia e metalmecânica, que vão demandar mais técnicos capacitados, os cursos voltados para os setores de alimentos e bebidas, mineração e construção civil também podem garantir vagas no mercado de trabalho.

TEC./SONORA: Rayza Aires, coordenadora das unidades SENAI

“A gente tem uma indústria que está se aquecendo no Amapá. É importante que as pessoas se preparem para o ingresso nessas atividades industriais. Muitas vezes, os industriários precisam buscar mão de obra qualificada em outros estados. Se preparar é muito importante, o SENAI está aqui para desenvolver esse tipo de qualificação.”

LOC.: O setor de energia precisará, segundo estudo do SENAI, qualificar 426 novos profissionais nos próximos quatro anos no estado. A Usina Hidrelétrica Cachoeira Caldeirão, localizada em Tartarugalzinho, faz uso da mão de obra com formação profissional, além de aperfeiçoar os conhecimentos dos funcionários em Saúde e Segurança do Trabalho (SST) anualmente.

O gerente operacional da usina, Glauciney de Castro, reforça que o SENAI é um grande parceiro na hora de aprimorar o conhecimento entre os funcionários.

TEC./SONORA: Glauciney de Castro, gerente operacional da usina

“A gente sempre aprende alguma coisa nova quando vamos aos treinamentos. Às vezes, as regulações mudaram, o equipamento de segurança passou por aperfeiçoamento. Então, acaba sendo uma troca positiva.”

LOC.: Como forma de mudar a realidade de milhões de brasileiros que estão desempregados, a saída, na avaliação do deputado federal Camilo Capiberibe (PSB-AP), é ampliar a oferta de vagas de formação técnica e profissional, destinadas principalmente aos mais jovens. 

TEC./SONORA: deputado federal Camilo Capiberibe (PSB-AP)

“É isso que vai garantir a vaga no mercado de trabalho. Se quem é muito jovem não tiver experiência e qualificação, fica quase intransponível a chegada no mercado. É preciso ter a formação para ter a chance de acessar o trabalho e a partir daí se firmar com a experiência.

LOC.: O Mapa do Trabalho Industrial mostra que entre as ocupações que exigem cursos de qualificação e que mais vão demandar profissionais capacitados, estão as de trabalhadores de instalações elétricas (345); e trabalhadores de extração de minerais sólidos – operadores de máquinas (332).

Os jovens que tiverem interesse em uma dessas áreas podem acessar o site ap.senai.br ou comparecer a uma das unidades do SENAI no estado. Mais informações podem consultadas pelo telefone (96) 3084-8930. Repetindo: (96) 3084-8930.

Reportagem, Sara Rodrigues