Menu

Amazonas terá de qualificar 142 mil trabalhadores em profissões industriais até 2023

Segundo Mapa do Trabalho Industrial, do SENAI, áreas de metalmecânica e eletroeletrônica demandarão técnicos capacitados em quatro anos

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Divulgação/SENAI

O estado do Amazonas terá de qualificar 142.089 trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento entre 2019 e 2023. Os dados são do Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e divulgado nesta segunda-feira (30).

Segundo o gerente da Escola SENAI Antônio Simões, em Manaus, José Nabir, os setores que mais vão demandar mão de obra qualificada no estado são os de metalmecânica e eletroeletrônica. Nabir aponta que a capacitação dos jovens locais pode ajudar na inserção no mercado de trabalho e lembra ainda dos desafios que devem ser enfrentados com as recentes demandas tecnológicas.

“Há também a necessidade de requalificarmos os profissionais que já estão inseridos no mercado de trabalho. Em função da mudança tecnológica e do contexto do emprego, eles vão precisar voltar para as escolas de formação profissional, em especial dentro do SENAI no Amazonas, para fazer essa requalificação e aperfeiçoamento profissional”, explicou o gerente.

O deputado federal Marcelo Ramos (PL-AM) acredita que é necessário treinar e qualificar profissionais no estado, principalmente por conta do desenvolvimento da Zona Franca de Manaus. “O complemento da educação formal acadêmica é a educação profissional, na qual as estruturas do Sistema S cumprem um papel fundamental, possibilitando que a gente tenha melhoria na qualidade da mão de obra. O desafio é enfrentar um dos maiores problemas da economia nacional, que é a produtividade. Quanto mais educação profissional tivermos, maior é a produtividade da nossa indústria, que é um elemento fundamental para que ela seja competitiva”, defendeu o parlamentar.

Qualificação profissional

O Mapa do Trabalho Industrial mostra que entre as ocupações que exigem cursos de qualificação e que mais vão demandar profissionais capacitados estão as de montadores de equipamentos eletroeletrônicos (22.307) e operadores de processos das indústrias de transformação de produtos químicos, petroquímicos e afins (1.964).

Arte: Sabrine Cruz e Italo Novais/Agência do Rádio Mais

Arte: Sabrine Cruz e Italo Novais/Agência do Rádio Mais

Já a demanda por capacitação de profissionais com formação técnica no Amazonas será maior nas áreas transversais; metalmecânica; equipamentos de transporte e veículos; eletroeletrônica; e energia e telecomunicações. Profissionais com qualificação transversal trabalham em qualquer segmento, como técnicos em eletrotécnica e técnicos de controle da produção.

Os jovens que tiverem interesse em uma dessas áreas podem acessar o site fieam.org.br ou comparecer a uma das unidades do SENAI no estado. Mais informações podem consultadas pelo telefone (92) 3182-9975.

Sara Rodrigues

Sara iniciou a carreira jornalística como estagiária da Agência do Rádio, em 2014. Foi repórter da UnBTV durante 1 ano e 6 meses e retornou para a redação da ARB como repórter. É responsável pela coluna Diversão em Pauta, e cobre Política Internacional.


Cadastre-se

LOC.: O estado do Amazonas terá de qualificar 142.089 trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento entre 2019 e 2023. Os dados são do Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e divulgado nesta segunda-feira (30).

Segundo o gerente da Escola SENAI Antônio Simões, em Manaus, José Nabir, os setores que mais vão demandar mão de obra qualificada no estado são os de metalmecânica e eletroeletrônica. Nabir aponta que a capacitação dos jovens locais pode ajudar na inserção no mercado de trabalho e lembra ainda dos desafios que devem ser enfrentados com as recentes demandas tecnológicas.

TEC./SONORA: José Nabir, gerente da Escola SENAI Antônio Simões

“Há também a necessidade de requalificarmos os profissionais que já estão inseridos no mercado de trabalho, que em função da mudança tecnológica e do contexto do emprego, vão precisar voltar para as escolas de formação profissional, em especial dentro do SENAI no Amazonas, para fazer essa requalificação e aperfeiçoamento profissional.”

LOC.: O deputado federal Marcelo Ramos (PL-AM) acredita que é necessário treinar e qualificar profissionais no estado, principalmente por conta do desenvolvimento da Zona Franca de Manaus.

TEC./SONORA: deputado federal Marcelo Ramos (PL-AM)

“O complemento da educação formal acadêmica é a educação profissional, na qual as estruturas do Sistema S cumprem um papel fundamental, possibilitando que a gente tenha melhoria na qualidade da mão de obra e enfrentando um dos maiores problemas da economia nacional, que é a produtividade. Quanto mais educação profissional tivermos, maior é a produtividade da nossa indústria, que é um elemento fundamental para que ela seja competitiva.”

LOC.: O Mapa do Trabalho Industrial mostra que entre as ocupações que exigem cursos de qualificação e que mais vão demandar profissionais capacitados estão as de montadores de equipamentos eletroeletrônicos (22.307) e operadores de processos das indústrias de transformação de produtos químicos, petroquímicos e afins (1.964).

Os jovens que tiverem interesse em uma dessas áreas podem acessar o site fieam.org.br ou comparecer a uma das unidades do SENAI no estado. Mais informações podem consultadas pelo telefone (92) 3182-9975. Repetindo: (92) 3182-9975.

Reportagem, Sara Rodrigues