Menu

AP: SESI e SENAI selecionam voluntários para produzir máscaras de proteção contra coronavírus

Segundo diretora de operações do SENAI-AP, Alyne Vieira, meta é produzir 400 unidades por dia; qualquer pessoa com mais de 14 anos pode participar

Banners
Foto: Divulgação

Na luta contra o novo coronavírus, o Serviço Social da Indústria (SESI) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) do estado buscam voluntários para ajudar na confecção e costura de máscaras de proteção. 

Segundo a diretora de operações do SENAI-AP, Alyne Vieira, a ideia é atrair candidatos da comunidade, ex-alunos e profissionais da área. O material produzido será destinado para suprir a demanda local, principalmente de médicos, enfermeiros e pacientes infectados. “A confecção dessa máscara é simples e de rápida aplicação e instrução. Nosso corpo docente estará presente nos laboratórios, tanto em Macapá quanto em Santana, prestando orientação, ensinando o passo a passo”, explica Alyne. 

Com a ajuda de voluntários, a expectativa é produzir 400 máscaras por dia, levando em conta a capacidade e quantidade de máquinas disponíveis e o número de pessoas. Os interessados podem buscar mais informações nos sites das instituições, onde encontrarão um documento em que constam os detalhes para inscrição. O processo de seleção ocorrerá durante o período de quarentena determinado pelo governo estadual e pelas autoridades de saúde.

“É um ato de cidadania e de colaboração. A ideia é que o SENAI e o SESI prestem solidariedade com a disponibilização de máquinas, equipamentos e capacitação. Na outra ponta, as pessoas que tiverem afinidade com a área de costura e queiram ajudar doando um pouco do seu tempo, serão muito bem-vindas. Com um pouquinho de cada um, construiremos muito”, espera Alyne Vieira.

Para se cadastrar, o voluntário deverá ter idade superior a 14 anos. Qualquer candidato menor de idade precisa ter o Termo de Adesão assinado pelos pais ou responsável legal.

As instalações das instituições estão disponíveis para que os selecionados façam o trabalho de confecções dos produtos. Aos que desejarem, será possível levar os materiais para o seu local de trabalho, desde que sejam seguidas as instruções contidas no edital.

Esforço conjunto

Para amenizar os efeitos da covid-19 e proteger quem produz e quem consome, além de SENAI e SESI, a Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Instituto Euvaldo Lodi (IEL) e as Federações das Indústrias dos 26 estados e do DF também têm levado informação e tomado medidas para reduzir os impactos econômicos e preservar vidas por meio da campanha nacional “A indústria contra o coronavírus”.  

Em nível nacional, o SENAI, por exemplo, lançou o edital de inovação para a indústria, que investirá em projetos destinados a prevenir, diagnosticar e tratar a covid-19 e que sejam de aplicação imediata. Isso inclui, por exemplo, a recuperação de aparelhos danificados e a aquisição e a produção de materiais como álcool em gel e máscaras. 

Na área educacional, a instituição abriu 100 mil vagas gratuitas em cursos a distância voltados à indústria 4.0, com temas ligados à tecnologia. Os cursos têm carga horária de 20 horas e estarão disponíveis até junho. Para ter acesso aos cursos e às vagas, basta acessar a plataforma Mundo SENAI (link) e fazer um cadastro simples. Mais informações podem ser acessadas nas redes sociais do SENAI e das demais entidades da indústria.
 

Marquezan Araújo

Marquezan é formado pelo Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), atuou como âncora de jornal radiofônico e locutor de programa musical. Passou por estágios na Agência Brasil e na Rádio Nacional, da EBC. Repórter da Agência do Rádio desde 2016, acompanha as movimentações do Legislativo no Congresso Nacional.


Cadastre-se

LOC.: Na luta contra o novo coronavírus, o Serviço Social da Indústria (SESI) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) do estado buscam voluntários para ajudar na confecção e costura de máscaras de proteção. 

Segundo a diretora de operações do SENAI-AP, Alyne Vieira, a ideia é atrair candidatos da comunidade, ex-alunos e profissionais da área. O material produzido será destinado para suprir a demanda local, principalmente de médicos, enfermeiros e pacientes infectados.
 

TEC./SONORA: Alyne Vieira, diretora de operações do SENAI-AP

“A confecção dessa máscara é simples e de rápida aplicação e instrução. Nosso corpo docente estará presente nos laboratórios, tanto em Macapá quanto em Santana, prestando orientação, ensinando o passo a passo.”
 

LOC.: Com a ajuda de voluntários, a expectativa é produzir 400 máscaras por dia, levando em conta a capacidade e quantidade de máquinas disponíveis e o número de pessoas. Os interessados podem buscar mais informações nos sites das instituições, onde encontrarão um documento em que constam os detalhes para inscrição. 

O processo de seleção ocorrerá durante o período de quarentena determinado pelo governo estadual e pelas autoridades de saúde, como detalha a diretora de operações do SENAI-AP, Alyne Vieira.
 

TEC./SONORA: Alyne Vieira, diretora de operações do SENAI-AP

“É um ato de cidadania e de colaboração. A ideia é que o SENAI e o SESI prestem solidariedade com a disponibilização de máquinas, equipamentos e capacitação. Na outra ponta, as pessoas que tiverem afinidade com a área de costura e queiram ajudar doando um pouco do seu tempo, serão muito bem-vindas.”
 

LOC.: Em nível nacional, o SENAI lançou o edital de inovação para a indústria, que investirá em projetos destinados a prevenir, diagnosticar e tratar a covid-19 e que sejam de aplicação imediata. Isso inclui, por exemplo, a recuperação de aparelhos danificados e a aquisição e a produção de materiais como álcool em gel e máscaras. 

Na área educacional, a instituição abriu 100 mil vagas gratuitas em cursos a distância voltados à indústria 4.0, com temas ligados à tecnologia. Os cursos têm carga horária de 20 horas e estarão disponíveis até junho por meio da plataforma Mundo SENAI.

Reportagem, Marquezan Araújo