Menu

Atividade industrial do país está parada, aponta CNI

Faturamento da indústria foi o único índice que registrou alta em junho (0,3%)

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Pixabay

Um levantamento feito pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), divulgado nesta quinta-feira (1º), aponta que a atividade industrial do país está parada. Segundo a pesquisa, o faturamento da indústria foi o único índice que registrou alta em junho (0,3%).

Os indicadores industriais mostram que o emprego ficou estável e as horas trabalhadas na produção, a massa real de salários e o rendimento médio do trabalhador caíram no sexto mês do ano.

Segundo a CNI, a indústria encerra o semestre sem avanços em termos de atividade e emprego. Afirma ainda que "além das medidas estruturantes de longo prazo, necessárias para um novo ciclo de crescimento, também são urgentes e críticas medidas de curto prazo para estimular a economia". Um exemplo apontado como fundamental pela entidade foi a redução de 0,5 ponto percentual na taxa Selic. Para a CNI, entretanto, ainda há espaço para novas quedas dos juros.

 

Cintia Moreira

Em uma de suas experiências profissionais ganhou um prêmio jornalístico e jura que não tem pautas de preferência. Sua única preferência é que tenham pautas.


Cadastre-se

Um levantamento feito pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), divulgado nesta quinta-feira (1º), aponta que a atividade industrial do país está parada. Segundo a pesquisa, o faturamento da indústria foi o único índice que registrou alta em junho (0,3%).

Os indicadores industriais mostram que o emprego ficou estável e as horas trabalhadas na produção, a massa real de salários e o rendimento médio do trabalhador caíram no sexto mês do ano.

Segundo a CNI, a indústria encerra o semestre sem avanços em termos de atividade e emprego. Afirma ainda que "além das medidas estruturantes de longo prazo, necessárias para um novo ciclo de crescimento, também são urgentes e críticas medidas de curto prazo para estimular a economia". Um exemplo apontado como fundamental pela entidade foi a redução de 0,5 ponto percentual na taxa Selic. Para a CNI, entretanto, ainda há espaço para novas quedas dos juros.

Reportagem, Cintia Moreira