Menu

Atividades religiosas são incluídas em lista de serviços essenciais durante a crise do novo coronavírus

O funcionamento de atividades religiosas vinha sendo limitado com as medidas de combate ao coronavírus tomadas pelas autoridades dos estados, como forma de evitar aglomerações

Banners
Foto: Arquivo/EBC

As atividades religiosas poderão voltar a funcionar mesmo durante restrição ou quarentena em razão do novo coronavírus. Isso porque o presidente Jair Bolsonaro editou um decreto que inclui essas práticas na lista de atividades e serviços considerados essenciais em meio à crise.

O decreto foi publicado no Diário Oficial da União desta quinta-feira (26). A validade da norma é imediata, logo, não há necessidade de aprovação pelo Congresso Nacional.

Por causa das medidas de prevenção ao coronavírus Brasil, algumas as atividades que não eram consideradas essenciais haviam sido suspensas, entre elas as atividades religiosas. A medida foi tomada para evitar aglomerações e, assim, uma maior probabilidade de propagação do vírus.

Além das atividades religiosas, o decreto também torna essenciais os serviços de geração e transmissão de energia, atividades médico-periciais, produção de petróleo, atividades de pesquisa científica e laboratoriais, entre outros.
 

Marquezan Araújo

Marquezan é formado pelo Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), atuou como âncora de jornal radiofônico e locutor de programa musical. Passou por estágios na Agência Brasil e na Rádio Nacional, da EBC. Repórter da Agência do Rádio desde 2016, acompanha as movimentações do Legislativo no Congresso Nacional.


Cadastre-se

LOC.: As atividades religiosas poderão voltar a funcionar mesmo durante restrição ou quarentena em razão do novo coronavírus. Isso porque o presidente Jair Bolsonaro editou um decreto que inclui essas práticas na lista de atividades e serviços considerados essenciais em meio à crise.

O decreto foi publicado no Diário Oficial da União desta quinta-feira (26). A validade da norma é imediata, logo, não há necessidade de aprovação pelo Congresso Nacional.

Por causa das medidas de prevenção ao coronavírus Brasil, algumas as atividades que não eram consideradas essenciais haviam sido suspensas, entre elas as atividades religiosas. A medida foi tomada para evitar aglomerações e, assim, uma maior probabilidade de propagação do vírus.

Além das atividades religiosas, o decreto também torna essenciais os serviços de geração e transmissão de energia, atividades médico-periciais, produção de petróleo, atividades de pesquisa científica e laboratoriais, entre outros.

Reportagem, Marquezan Araújo