Menu

Bahia está em alerta para possível surto de dengue em 2020

No ano passado foram registrados 67 mil casos prováveis da doença e 31 mortes.

Banners
Foto: Divulgação

A Bahia é um dos 11 estados que pode ter surto de dengue em 2020. Segundo o Ministério da Saúde, a localidade está em alerta para a circulação do vírus tipo 2, com o qual boa parte da população nunca teve contato.

Como no ano passado foram registrados 67 mil casos prováveis da doença e 31 mortes, o coordenador de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde da Bahia, Gabriel Muricy, aponta que a possibilidade da presença de um sorotipo até então “incomum” na região preocupa gestores de saúde locais.

“O que preocupa é que mais de 270 municípios da Bahia, no último levantamento realizado no ano passado, mostraram a presença do Aedes aegypti em uma densidade que coloca o território em situação de alerta.”

Até 18 de janeiro deste ano, foram notificados 566 casos prováveis de dengue no estado, 139 de chikungunya, além de três notificações suspeitas de zika. As cidades de Salvador e Feira de Santana devem ter atenção redobrada, já que, juntas, registraram mais de 21 mil ocorrências de dengue, em 2019.

O risco de surto, entretanto, não se restringe à Bahia e pode afetar também os outros oito estados do Nordeste, além do Rio de Janeiro e do Espírito Santo. Rodrigo Said, coordenador-geral de Vigilância em Arbovirose do Ministério da Saúde, explica porque essas localidades estão mais propensas à infecção por dengue causada pelo vírus tipo 2.

“Em 2018, houve alteração de circulação para o sorotipo 2 em estados das regiões Centro-Oeste e Sudeste, exceto no Rio e no Espírito Santo. Essa mudança no padrão de circulação que ocorre agora nesses estados, e a possibilidade de ocorrer nos estados do Nordeste, apontam para um cenário de risco, que exigirá ações de vigilância para monitorar essa situação.”

No Brasil, foram notificados mais de um milhão e meio de casos prováveis de dengue em 2019. Por isso, a luta contra o mosquito não pode parar. Cada pessoa deve se tornar um fiscal para eliminar focos com água parada e impedir que o inseto se prolifere. 

E você? Já combateu o mosquito hoje? A mudança começa dentro de casa. Proteja a sua família. Para mais informações, acesse saude.gov.br/combateaedes. 

Agência do Rádio



Cadastre-se

LOC.: A Bahia é um dos 11 estados que pode ter surto de dengue em 2020. Segundo o Ministério da Saúde, a localidade está em alerta para a circulação do vírus tipo 2, com o qual boa parte da população nunca teve contato.

Como no ano passado foram registrados 67 mil casos prováveis da doença e 31 mortes, o coordenador de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde da Bahia, Gabriel Muricy, aponta que a possibilidade da presença de um sorotipo até então “incomum” na região preocupa gestores de saúde locais.

TEC./SONORA: Coordenador de doenças de transmissão vetorial da Diretoria e Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde da Bahia, Gabriel Muricy 

“O que preocupa é que mais de 270 municípios da Bahia, no último levantamento realizado no ano passado, mostraram a presença do Aedes aegypti em uma densidade que coloca o território em situação de alerta.”

LOC.:  Até 18 de janeiro deste ano, foram notificados 566 casos prováveis de dengue no estado, 139 de chikungunya, além de três notificações suspeitas de zika. As cidades de Salvador e Feira de Santana devem ter atenção redobrada, já que, juntas, registraram mais de 21 mil ocorrências de dengue, em 2019.

O risco de surto, entretanto, não se restringe à Bahia e pode afetar também os outros oito estados do Nordeste, além do Rio de Janeiro e do Espírito Santo. Rodrigo Said, coordenador-geral de Vigilância em Arbovirose do Ministério da Saúde, explica porque essas localidades estão mais propensas à infecção por dengue causada pelo vírus tipo 2.

TEC./SONORA: Rodrigo Said, coordenador-geral de Vigilância em Arbovirose do Ministério da Saúde

“Em 2018, houve alteração de circulação para o sorotipo 2 em estados das regiões Centro-Oeste e Sudeste, exceto no Rio e no Espírito Santo. Essa mudança no padrão de circulação que ocorre agora nesses estados, e a possibilidade de ocorrer nos estados do Nordeste, apontam para um cenário de risco, que exigirá ações de vigilância para monitorar essa situação.”

LOC.:  No Brasil, foram notificados mais de um milhão e meio de casos prováveis de dengue em 2019. Por isso, a luta contra o mosquito não pode parar. Cada pessoa deve se tornar um fiscal para eliminar focos com água parada e impedir que o inseto se prolifere. 

E você? Já combateu o mosquito hoje? A mudança começa dentro de casa. Proteja a sua família. Para mais informações, acesse saude.gov.br/combateaedes.