Menu

BOA VISTA (RR): Mãe doadora aconselha outras mães a ajudarem bebês prematuros na UTI neonatal

Neuraene recorda o incentivo que recebeu para começar a doar leite materno e ainda aconselha outras mães a também doarem.

Banners
Foto: reprodução/Ministério da Saúde

Há cerca de 11 meses, a cabeleireira Neuraene Pereira de Sá, de 39 anos, doa leite humano em Boa Vista. Os mesmos 11 meses de idade da filha Laura Valentina. Ela, que também tem o filho Pedro Henrique, de 15 anos, começou a doar porque estava com o peito cheio. Ela foi orientada pelas enfermeiras a doar o excedente de leite para os bebês prematuros da UTI neonatal do Banco de Leite Humano Dra. Marilurdes Albuquerque, em Boa Vista.

Saiba onde doar leite materno em Boa Vista (RR)

Neuraene recorda o incentivo que recebeu para começar a doar leite materno e ainda aconselha outras mães a também doarem.

“Eu estava na maternidade com a minha bebê internada e o meu peito estava muito cheio, e fui só tirar [leite] mesmo no dia. Foi quando ela [enfermeira] me falou da doação, aí que eu passei a doar. Eu não sabia que o bombeiro pegava [os potes de leite]. A mãe que tem muito leite, doa! Porque tem muita criança na UTI que precisa. Eu aconselho a elas que doem, porque elas vão se sentir bem igual eu me sinto”, aconselha.

O único banco de leite do estado é o da capital, onde Neuraene faz doações, o Banco de Leite Humano Dra. Marilurdes Albuquerque. A coordenadora Silvia Furlin orienta você que é mãe e tem dúvida de como é o apoio de um banco de leite se você quiser fazer doação.

“As mães que queiram se tornar doadoras com excedente de leite fazem um cadastro no banco de leite. Nós solicitamos os exames dela. Se essa mãe não tem esses exames, a gente localiza ele no cartão do pré-natal. Também ensinamos essa mãe a fazer a ordenha. Disponibilizamos todos os materiais: touca, máscara e os frascos já esterilizados [por exemplo]. Então a mãe não precisa se preocupar quando ela se torna doadora, porque nós vamos fornecer para ela todo o nosso material”, explica.

Segundo a Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano, ligada a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o Banco de Leite Humano Dra. Marilurdes Albuquerque já coletou mais de 466 litros de leite, que vieram de 332 mães doadoras de janeiro a abril deste ano.Nesse mesmo período, quase 480 profissionais de saúde visitaram casas de mães para buscar os frascos de leite. 

Então se você é mãe e quer fazer parte desses números, procure o Banco de Leite Humano Dra. Marilurdes Albuquerque, que fica na Rua Presidente Costa e Silva. O número é o (95) 4009-4909.Saiba que o seu leite pode ajudar no desenvolvimento de um bebê prematuro. Doe leite materno, alimente a vida. Para mais informações, acesse saude.gov.br. 

Agência do Rádio



Cadastre-se

LOC.: Há cerca de 11 meses, a cabeleireira Neuraene Pereira de Sá, de 39 anos, doa leite humano em Boa Vista. Os mesmos 11 meses de idade da filha Laura Valentina. Ela, que também tem o filho Pedro Henrique, de 15 anos, começou a doar porque estava com o peito cheio. Ela foi orientada pelas enfermeiras a doar o excedente de leite para os bebês prematuros da UTI neonatal do Banco de Leite Humano Dra. Marilurdes Albuquerque, em Boa Vista.

Neuraene recorda o incentivo que recebeu para começar a doar leite materno e ainda aconselha outras mães a também doarem.
 

TEC./SONORA: Neuraene Pereira de Sá, doadora de leite e cabeleireira

“Eu estava na maternidade com a minha bebê internada e o meu peito estava muito cheio, e fui só tirar [leite] mesmo no dia. Foi quando ela [enfermeira] me falou da doação, aí que eu passei a doar. Eu não sabia que o bombeiro pegava [os potes de leite]. A mãe que tem muito leite, doa! Porque tem muita criança na UTI que precisa. Eu aconselho a elas que doem, porque elas vão se sentir bem igual eu me sinto.”
 

LOC.: O único banco de leite do estado é o da capital, onde Neuraene faz doações, o Banco de Leite Humano Dra. Marilurdes Albuquerque. A coordenadora Silvia Furlin orienta você que é mãe e tem dúvida de como é o apoio de um banco de leite se você quiser fazer doação.

TEC./SONORA: Silvia Furlin, coordenadora do Banco de Leite Humano Dra. Marilurdes Albuquerque, em Boa Vista

“As mães que queiram se tornar doadoras com excedente de leite fazem um cadastro no banco de leite. Nós solicitamos os exames dela. Se essa mãe não tem esses exames, a gente localiza ele no cartão do pré-natal. Também ensinamos essa mãe a fazer a ordenha. Disponibilizamos todos os materiais: touca, máscara e os frascos já esterilizados [por exemplo]. Então a mãe não precisa se preocupar quando ela se torna doadora, porque nós vamos fornecer para ela todo o nosso material.”
 

LOC.: Segundo a Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano, ligada a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o Banco de Leite Humano Dra. Marilurdes Albuquer que já coletou mais de 466 litros de leite, que vieram de 332 mães doadoras de janeiro a abril deste ano.Nesse mesmo período, quase 480 profissionais de saúde visitaram casas de mães para buscar os frascos de leite. 

Então se você é mãe e quer fazer parte desses números, procure o Banco de Leite Humano Dra. Marilurdes Albuquerque, que fica na Rua Presidente Costa e Silva. O número é o (95) 4009-4909.Saiba que o seu leite pode ajudar no desenvolvimento de um bebê prematuro. Para mais informações, acesse saude.gov.br/doacaodeleite.