Menu

BOLETIM AGRO: Exportações de carne em abril sobem 41%

No interior paulista, infestação atinge plantações de tomate, o que deve aumentar preço do fruto na região

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Créditos: Fabiano Bastos -Embrapa

Olá, eu sou o Raphael Costa, e este é mais uma edição do Boletim Agro, em que trazemos as principais novidades do agronegócio no Brasil e no mundo.

A Secretaria de Comércio Exterior divulgou dados que indicam um crescimento de mais de 41% nas exportações de carne. Quem vai nos dar mais detalhes sobre esse número é a Carla Mendes, do Notícias Agrícolas. Seja bem-vinda, Carla.

“Os números para as nossas proteínas animais continuam bastante importantes e geraram uma importante receita de US$ 1,2 bilhão em abril, um incremento de 41,4% se considerado o mesmo período do ano passado. Então, não só o volume de carne exportada foi maior, como a receita gerada também. As carnes têm tido um destaque maior porque temos conseguido ampliar o nosso mercado em alguns outros países, e um dos destaques é a China, que sofre uma severa crise com a peste suína africana, doença que tem atingido os porcos e dizimando uma parte importante do plantel chinês, e nós temos um grande potencial de continuar aumentando as nossas exportações nos próximos meses para a China e outros países que façam essa exigência na Ásia. ”

Voltando aqui para o Brasil, parte da produção de tomate na cidade de Sumaré, em São Paulo, sofreu uma contaminação que pode afetar a produção total da região. O que houve por lá, Carla?

“Essa infestação vai dar um prejuízo grande. De acordo com informações do Cepea, a infestação atingiu pelo menos metade das plantas e deve atingir um milhão e meio de mudas, que sofrem com a doença do cancro bacteriano. Nós temos, então, esse registro das doenças cerca de 20 dias depois do transplantio com essas mudas, e agora está sendo observado e contabilizado o prejuízo. Com isso, nessas lavouras que estão infestadas pela doença, a produtividade não deve superar 150 caixas por mil pés, o que aumenta os custos de produção do tomate e vai pesar na hora dos preços ”

Obrigado pelos esclarecimentos, Carla. Quem quiser saber mais novidades do agronegócio é só acessar o Notícias Agrícolas, certo?

“É isso mesmo. Para quem quiser saber mais sobre o agronegócio brasileiro e mundial, acesse noticiasagricolas.com.br. Até a próxima, Raphael".
 

Raphael Costa

O repórter Raphael Costa formou-se em 2015 no Centro Universitário de Brasília (CEUB), mas deu início à sua carreira anteriormente. Originalmente paulista, começou em um programa de Rádio e TV local, até se mudar para Brasília. Com cerca de três anos de casa, é a voz que noticia esportes, agricultura e economia.


Cadastre-se

Olá, eu sou o Raphael Costa, e este é mais uma edição do Boletim Agro, em que trazemos as principais novidades do agronegócio no Brasil e no mundo.

A Secretaria de Comércio Exterior divulgou dados que indicam um crescimento de mais de 41% nas exportações de carne. Quem vai nos dar mais detalhes sobre esse número é a Carla Mendes, do Notícias Agrícolas. Seja bem-vinda, Carla.

“Os números para as nossas proteínas animais continuam bastante importantes e geraram uma importante receita de US$ 1,2 bilhão em abril, um incremento de 41,4% se considerado o mesmo período do ano passado. Então, não só o volume de carne exportada foi maior, como a receita gerada também. As carnes têm tido um destaque maior porque temos conseguido ampliar o nosso mercado em alguns outros países, e um dos destaques é a China, que sofre uma severa crise com a peste suína africana, doença que tem atingido os porcos e dizimando uma parte importante do plantel chinês, e nós temos um grande potencial de continuar aumentando as nossas exportações nos próximos meses para a China e outros países que façam essa exigência na Ásia. ”

Voltando aqui para o Brasil, parte da produção de tomate na cidade de Sumaré, em São Paulo, sofreu uma contaminação que pode afetar a produção total da região. O que houve por lá, Carla?

“Essa infestação vai dar um prejuízo grande. De acordo com informações do Cepea, a infestação atingiu pelo menos metade das plantas e deve atingir um milhão e meio de mudas, que sofrem com a doença do cancro bacteriano. Nós temos, então, esse registro das doenças cerca de 20 dias depois do transplantio com essas mudas, e agora está sendo observado e contabilizado o prejuízo. Com isso, nessas lavouras que estão infestadas pela doença, a produtividade não deve superar 150 caixas por mil pés, o que aumenta os custos de produção do tomate e vai pesar na hora dos preços ”

Obrigado pelos esclarecimentos, Carla. Quem quiser saber mais novidades do agronegócio é só acessar o Notícias Agrícolas, certo?

“É isso mesmo. Para que quiser saber mais sobre o agronegócio brasileiro e mundial: noticiasagricolas.com.br. Até a próxima, Paulo.”