Menu

BOLETIM AGRO: Safra de grãos deve ter alta de 4,2% em 2019

Representantes do café estimam alta nos preços entre 6 meses a um ano

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Créditos: EBC Arquivo

Eu sou o Raphael Costa e, a partir de agora, você fica por dentro dos principais assuntos do agronegócio no Boletim Agro.

O IBGE divulgou, nesta quinta-feira (11), uma estimativa de aumento de 4,2% na produção de cereais, leguminosas e oleaginosas em 2019. O dado foi disponibilizado no Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Pelo que o estudo apontou, quem deve puxar esse aumento na produção é o milho.

Quem vai nos dar mais detalhes sobre esse levantamento, e debater outras questões é a jornalista Carla Mendes, do Notícias Agrícolas. Bem-vinda, Carla.

“De acordo com o levantamento do IBGE, o milho deve puxar esse crescimento de mais de 4% na produção de cereais, leguminosas e oleaginosas do Brasil, e deve ter um incremento, com relação a 2018, de 17% na sua produção. Para soja é esperada uma queda de 4,5% e para o arroz, uma redução de 11,2%. Ainda assim, teremos uma produção geral maior que em 2018 – consideravelmente maior. Então, temos perspectivas importantes para o mercado do milho. Nós temos exportado bastante milho e com boas oportunidades surgindo para esse produto. Devemos ter uma safra próxima de 100 milhões de toneladas e isso mostra que, cada vez mais, o produtor brasileiro tem investido bastante nessa cultura, principalmente na segunda safra. ”

Agora, falando sobre outro importante produto do agro brasileiro: o café. Representantes do setor acreditam que o preço do produto deve voltar a subir em um período de seis meses a um ano. Uma queda na produção junto com um aumento da demanda devem favorecer esse cenário. Essa é a expectativa, Carla? Nos dê mais detalhes sobre essa situação.

“Sim, essa é a expectativa. Em entrevista ao Notícias Agrícolas, o superintendente comercial da Cooxupé, Lúcio Dias, falou justamente sobre isso. Essa queda que é esperada na produção nacional mais uma demanda mundial bastante aquecida, além de um mercado financeiro global dando sinais de melhora devem atuar para melhorar o cenário de preços para essa commoditie. E é claro, refletindo em preços melhores para o produtor brasileiro. Lembrando que o cafeicultor vem amargando prejuízos bastante severos nas últimas safras diante de produções que foram recordes. Essa próxima safra será de baixo ciclo, porém, deve ter uma produção considerável.”

Obrigado pelos esclarecimentos, Carla. Quem quiser saber mais novidades do agronegócio é só acessar o Notícias Agrícolas, certo?

“Eu que agradeço, até a próxima. Aos ouvintes que quiserem saber mais, acessem noticiasagricolas.com.br

Raphael Costa

O repórter Raphael Costa formou-se em 2015 no Centro Universitário de Brasília (CEUB), mas deu início à sua carreira anteriormente. Originalmente paulista, começou em um programa de Rádio e TV local, até se mudar para Brasília. Com cerca de três anos de casa, é a voz que noticia esportes, agricultura e economia.


Cadastre-se

Eu sou o Raphael Costa e, a partir de agora, você fica por dentro dos principais assuntos do agronegócio no Boletim Agro.

O IBGE divulgou, nesta quinta-feira (11), uma estimativa de aumento de 4,2% na produção de cereais, leguminosas e oleaginosas em 2019. O dado foi disponibilizado no Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Pelo que o estudo apontou, quem deve puxar esse aumento na produção é o milho.

Quem vai nos dar mais detalhes sobre esse levantamento, e debater outras questões é a jornalista Carla Mendes, do Notícias Agrícolas. Bem-vinda, Carla.
 

“De acordo com o levantamento do IBGE, o milho deve puxar esse crescimento de mais de 4% na produção de cereais, leguminosas e oleaginosas do Brasil, e deve ter um incremento, com relação a 2018, de 17% na sua produção. Para soja é esperada uma queda de 4,5% e para o arroz, uma redução de 11,2%. Ainda assim, teremos uma produção geral maior que em 2018 – consideravelmente maior. Então, temos perspectivas importantes para o mercado do milho. Nós temos exportado bastante milho e com boas oportunidades surgindo para esse produto. Devemos ter uma safra próxima de 100 milhões de toneladas e isso mostra que, cada vez mais, o produtor brasileiro tem investido bastante nessa cultura, principalmente na segunda safra. ”

Agora, falando sobre outro importante produto do agro brasileiro: o café. Representantes do setor acreditam que o preço do produto deve voltar a subir em um período de seis meses a um ano. Uma queda na produção junto com um aumento da demanda devem favorecer esse cenário. Essa é a expectativa, Carla? Nos dê mais detalhes sobre essa situação.

“Sim, essa é a expectativa. Em entrevista ao Notícias Agrícolas, o superintendente comercial da Cooxupé, Lúcio Dias, falou justamente sobre isso. Essa queda que é esperada na produção nacional mais uma demanda mundial bastante aquecida, além de um mercado financeiro global dando sinais de melhora devem atuar para melhorar o cenário de preços para essa commoditie. E é claro, refletindo em preços melhores para o produtor brasileiro. Lembrando que o cafeicultor vem amargando prejuízos bastante severos nas últimas safras diante de produções que foram recordes. Essa próxima safra será de baixo ciclo, porém, deve ter uma produção considerável.”

Obrigado pelos esclarecimentos, Carla. Quem quiser saber mais novidades do agronegócio é só acessar o Notícias Agrícolas, certo?

“Eu que agradeço, até a próxima. Aos ouvintes que quiserem saber mais, acessem noticiasagricolas.com.br ”