Menu

Bolsonaro participa de reunião do G20 no Japão e tenta estreitar laços comerciais com chineses

Presidente se encontra com o líder chinês Xi Jinping e deve se reunir também com líderes da Índia, Arábia Saudita e Singapura

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro participa, nesta semana, do encontro do G20, em Osaka, no Japão. O grupo, criado em 1999, reúne os líderes das 20 nações mais ricas do mundo, além de países convidados. No evento, temas como a estabilidade financeira e econômica, energia e desigualdade social estão na pauta.

A chegada de Bolsonaro está prevista para o início da tarde desta quinta-feira (27). Um dia depois, está agendada reunião bilateral com o presidente chinês, Xi Jinping. Na conversa, Bolsonaro deve tratar da agricultura brasileira e do desejo de que o Brasil comece a exportar produtos de maior valor agregado aos asiáticos. Vale lembrar que o país é o principal parceiro comercial do Brasil e, só até maio deste ano, 27% das exportações nacionais foram enviadas à China.

No sábado de manhã, Jair Bolsonaro deve se reunir a portas fechadas com o Primeiro-Ministro da Índia, Narendra Modi; com o Príncipe da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman; e com Primeiro-Ministro de Singapura, Lee Hsien-Loong. Esses encontros ocorrerão separadamente e tem como objetivo uma aproximação comercial com mercados que o Brasil ainda não tem acesso.

Segundo o porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, o encontro é estratégico para as pretensões brasileiras.

“Os principais desafios desta cúpula são o comércio internacional; tensões comerciais, que afetam o crescimento e investimento por conta das incertezas; o unilateralismo, multilateralismo/protecionismo; e reforma da OMC. A posição brasileira é de que a Reforma da OMC é necessária, pois as regras são de décadas atrás”, enfatizou.

Após os encontros no G20, Jair Bolsonaro deve voltar ao Brasil na segunda-feira, 1º de julho.
 

Cintia Moreira

Com 3 anos de formação, Cintia sempre optou pelo radiojornalismo. Em uma de suas experiências profissionais ganhou um prêmio jornalístico e jura que não tem pautas de preferência. Sua única preferência é que tenham pautas.


Conteúdos relacionados

Cadastre-se

O presidente Jair Bolsonaro participa, nesta semana, do encontro do G20, em Osaka, no Japão. O grupo, criado em 1999, reúne os líderes das 20 nações mais ricas do mundo, além de países convidados. No evento, temas como a estabilidade financeira e econômica, energia e desigualdade social estão na pauta.

A chegada de Bolsonaro está prevista para o início da tarde desta quinta-feira (27). Um dia depois, está agendada reunião bilateral com o presidente chinês, Xi Jinping. Na conversa, Bolsonaro deve tratar da agricultura brasileira e do desejo de que o Brasil comece a exportar produtos de maior valor agregado aos asiáticos. Vale lembrar que o país é o principal parceiro comercial do Brasil e, só até maio deste ano, 27% das exportações nacionais foram enviadas à China.

No sábado de manhã, Jair Bolsonaro deve se reunir a portas fechadas com o Primeiro-Ministro da Índia, Narendra Modi; com o Príncipe da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman; e com Primeiro-Ministro de Singapura, Lee Hsien-Loong. Esses encontros ocorrerão separadamente e tem como objetivo uma aproximação comercial com mercados que o Brasil ainda não tem acesso.

Segundo o porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, o encontro é estratégico para as pretensões brasileiras.
 

“Os principais desafios desta cúpula são o comércio internacional; tensões comerciais, que afetam o crescimento e investimento por conta das incertezas; o unilateralismo, multilateralismo/protecionismo; e reforma da OMC. A posição brasileira é de que a Reforma da OMC é necessária, pois as regras são de décadas atrás.”

Após os encontros no G20, Jair Bolsonaro deve voltar ao Brasil na segunda-feira, 1º de julho.

Reportagem, Cintia Moreira