Menu

Câmara conclui votação da MP da reforma administrativa; texto segue para o Senado

Jabuti contra auditores fiscais é retirado do texto

Banners
Foto: Câmara dos Deputados

A Câmara dos Deputados finalizou no início da tarde desta quinta-feira (23) a votação da Medida Provisória da reforma administrativa. Na votação dos dois últimos destaques ao texto presidencial, o Plenário retirou a limitação do trabalho de auditores da Receita Federal em casos de corrupção. O trecho, considerado um ‘jabuti’, não estava na redação original e foi incluído pela Comissão Mista que tratou o assunto no Parlamento. 

Mesmo com a reprovação do destaque, os líderes partidários fizeram um acordo para que seja analisado um projeto de Lei que coloque restrições no trabalho dos auditores. 

No outro destaque analisado pelos deputados, os parlamentares excluíram do texto o ponto que atribuiu ao Ministério da Ciência e Tecnologia a gestão do FNDCT (Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico). Ele seguirá sob a administração do Finep (Financiadora de Estudos e Projetos).

Na noite de quarta (23), os parlamentares já haviam aprovado o texto principal da MP e, mais tarde, retirado o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) das mãos do ministro Sergio Moro.

Agora, a Medida Provisória segue para análise do Senado Federal.

João Paulo Machado

João Paulo é graduado pelo Centro Universitário de Brasília (UniCEUB) e iniciou sua carreira estagiando na área de reportagem da Rádio Nacional (EBC). Na Agência do Rádio atuou na cobertura de eventos importantes como os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. No mesmo período, desenvolveu trabalho em parceria com o Ministério do Esporte redigindo reportagens para o portal Brasil2016.gov.br, além de colaborações para redes sociais.Atualmente, cobre os acontecimentos da Praça dos Três Poderes para a Agência do Rádio.


Conteúdos relacionados

Cadastre-se

A Câmara dos Deputados finalizou no início da tarde desta quinta-feira (23) a votação da Medida Provisória da reforma administrativa. Na votação dos dois últimos destaques ao texto presidencial, o Plenário retirou a limitação do trabalho de auditores da Receita Federal em casos de corrupção. O trecho, considerado um ‘jabuti’, não estava na redação original e foi incluído pela Comissão Mista que tratou o assunto no Parlamento. 

Mesmo com a reprovação do destaque, os líderes partidários fizeram um acordo para que seja analisado um projeto de Lei que coloque restrições no trabalho dos auditores.

No outro destaque analisado pelos deputados, os parlamentares excluíram do texto o ponto que atribuiu ao Ministério da Ciência e Tecnologia a gestão do FNDCT (Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico). Ele seguirá sob a administração do Finep, a Financiadora de Estudos e Projetos.

Na noite de quarta (23), os parlamentares já haviam aprovado o texto principal da MP e, mais tarde, retirado o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) das mãos do ministro Sergio Moro.

Agora, a Medida Provisória segue para análise do Senado Federal.

Reportagem, João Paulo Machado