Menu

Cantor Falcão e diretor Halder Gomes comentam sobre “Cine Holliúdy 2”

Cantor Falcão, pela segunda vez, interpreta o Cego Isaías – um apaixonado por cinema

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners

Com muitas risadas, alegria e orgulho de ser brasileiro, o filme Cine Holliúdy 2: A Chibata Sideral ganha espaço nos cinemas dia 21 de março. O queridinho do povo cearense já fez sucesso no primeiro lançamento, que foi em 2013. Dessa vez, não vai ser diferente. Cine Holliúdy é marcado pelo excelente humor e a história real da vida de muitos nordestinos.

Na sequência, o personagem principal Francisgleydisson sofre com a popularidade da televisão em Pacatuba. Ele decide, juntamente com a esposa Graça e o filho Valdisney, não apenas exibir filmes, mas fazer um com os próprios moradores da cidade.

A movimentação é grande e todo mundo quer fazer parte da trama, que é sobre uma guerra entre cangaceiros e alienígenas. Pense numa invenção interessante! O diretor do Cine Holliúdy Halder Gomes conversou comigo. Ele mesmo colocou no filme muitas coisas que vivenciou na infância no Ceará, e conta que é importante dar essa visibilidade para uma cultura tão rica.

“O Nordeste tem histórias tão incríveis e artistas tão excepcionais, é um oceano de possibilidades. Se você pegar só o cangaço, se você imaginar a quantidade de filmes possíveis só com o cangaço. A nossa intenção é colocar o Nordeste em um protagonismo não só da originalidade dessas histórias, mas usando elementos e ferramentas que fazem parte da nossa cultura: que é a comédia e o humor, em especial no Ceará.”

Halder Gomes conquista ainda mais fãs por ter escolhido um personagem especial para dar um tom de comédia e trazer mais carisma para a trama. O cantor Falcão, conhecido por “I’m Not Dog No”, é o puro cearense e não poderia ficar de fora. Ele interpreta o Cego Isaías, que segundo ele, é a figura que todo mundo que morou em uma cidade do interior conheceu.

Ele é bem-humorado e basicamente não fez muito esforço para entrar no personagem, o que deixou muito mais engraçado. Falcão me contou que o Cine Holliúdy, criado por Francisgleydisson no filme, era exatamente igual ao cinema de sua cidade na infância. Por isso, ele se apegou muito. E elogia a produção por colocar a cultura brasileira como protagonista.

“O que se faz no Nordeste, mais precisamente no Ceará, a gente pode usar de culturas alienígenas, como falamos da China, dos Estados Unidos, mas desde que tenha nossa cultura também. Não fazer como a comédia romântica que se faz no eixo Rio-São Paulo, que é basicamente só em cima de Hollywood, e não entra a cultura brasileira. É isso que faz a diferença.”

No elenco, estão Edmilson Filhos, Sérgio Malheiros e Samantha Schmütz. O filme é uma ótima comédia para se assistir em família, e para quem não entende o idioma “cearensês” tem até legenda. “Cine Holliúdy 2: A Chibata Sideral”: a partir de 21 de março nos cinemas.

 

Sara Rodrigues

Sara iniciou a carreira jornalística como estagiária da Agência do Rádio, em 2014. Foi repórter da UnBTV durante 1 ano e 6 meses e retornou para a redação da ARB como repórter. É responsável pela coluna Diversão em Pauta, e cobre Política Internacional.


Conteúdos relacionados

Cadastre-se

LOC.: Com muitas risadas, alegria e orgulho de ser brasileiro, o filme Cine Holliúdy 2: A Chibata Sideral ganha espaço nos cinemas dia 21 de março. O queridinho do povo cearense já fez sucesso no primeiro lançamento, que foi em 2013. Dessa vez, não vai ser diferente. Cine Holliúdy é marcado pelo excelente humor e a história real da vida de muitos nordestinos.

Na sequência, o personagem principal Francisgleydisson sofre com a popularidade da televisão em Pacatuba. Ele decide, juntamente com a esposa Graça e o filho Valdisney, não apenas exibir filmes, mas fazer um com os próprios moradores da cidade.

A movimentação é grande e todo mundo quer fazer parte da trama, que é sobre uma guerra entre cangaceiros e alienígenas. Pense numa invenção interessante! O diretor do Cine Holliúdy Halder Gomes conversou comigo. Ele mesmo colocou no filme muitas coisas que vivenciou na infância no Ceará, e conta que é importante dar essa visibilidade para uma cultura tão rica.
 

TEC/SONORA: Halder Gomes, diretor

“O Nordeste tem histórias tão incríveis e artistas tão excepcionais, é um oceano de possibilidades. Se você pegar só o cangaço, se você imaginar a quantidade de filmes possíveis só com o cangaço. A nossa intenção é colocar o Nordeste em um protagonismo não só da originalidade dessas histórias, mas usando elementos e ferramentas que fazem parte da nossa cultura: que é a comédia e o humor, em especial no Ceará.”
 

LOC.: Halder Gomes conquista ainda mais fãs por ter escolhido um personagem especial para dar um tom de comédia e trazer mais carisma para a trama. O cantor Falcão, conhecido por “I’m Not Dog No”, é o puro cearense e não poderia ficar de fora. Ele interpreta o Cego Isaías, que segundo ele, é a figura que todo mundo que morou em uma cidade do interior conheceu.

Ele é bem-humorado e basicamente não fez muito esforço para entrar no personagem, o que deixou muito mais engraçado. Falcão me contou que o Cine Holliúdy, criado por Francisgleydisson no filme, era exatamente igual ao cinema de sua cidade na infância. Por isso, ele se apegou muito. E elogia a produção por colocar a cultura brasileira como protagonista.
 

TEC/SONORA: Falcão Maia, cantor

“O que se faz no Nordeste, mais precisamente no Ceará, a gente pode usar de culturas alienígenas, como falamos da China, dos Estados Unidos, mas desde que tenha nossa cultura também. Não fazer como a comédia romântica que se faz no eixo Rio-São Paulo, que é basicamente só em cima de Hollywood, e não entra a cultura brasileira. É isso que faz a diferença.”
 

LOC.: No elenco, estão Edmilson Filhos, Sérgio Malheiros e Samantha Schmütz. O filme é uma ótima comédia para se assistir em família, e para quem não entende o idioma “cearensês” tem até legenda. “Cine Holliúdy 2: A Chibata Sideral”: a partir de 21 de março nos cinemas.

Reportagem, Sara Rodrigues