Menu

CCJ do Senado aprova relatório da reforma da Previdência

Relatório do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) foi aprovado por 17 votos a nove

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal aprovou, na tarde desta terça-feira (1º), o parecer da reforma da Previdência do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE). O texto segue para votação em plenário após a análise das emendas, onde pode ser votado em primeiro turno na Casa ainda hoje. 

Entre as principais mudanças no sistema de aposentadoria e outros benefícios, está a proposta de fixar a idade mínima para se aposentar. Para as mulheres, a idade será de 62 anos, e para os homens, de 65. De acordo com o governo federal, os cofres públicos podem ter economia de até R$1,2 trilhão, em dez anos, com as mudanças nas regras de aposentadoria. 

O senador Luiz do Carmo (MDB-GO) defende que “já passou da hora” de a pauta ser votada no Senado. “O Brasil precisa que a reforma seja aprovada para o país começar a andar. Espero que ainda hoje seja votada em Plenário”, afirmou o parlamentar. 

Para passar a valer, a proposta principal precisa ser aprovada em dois turnos, uma vez que altera a Constituição. Para aprovação, são necessários 49 votos entre os 81 senadores. Segundo o senador Marcelo Castro (MDB-PI), a expectativa é que o texto terá mais de 60 votos favoráveis em Plenário. “A reforma da Previdência é imprescindível para o país, para respirar, arejar e dar confiança ao mercado de que as medidas necessárias o país estão sendo tomadas”, declarou Castro. 

No total, 26 senadores votaram na CCJ, não houve nenhuma abstenção. A presidente da comissão, Simone Tebet, não participou.

Sara Rodrigues

Sara iniciou a carreira jornalística como estagiária da Agência do Rádio, em 2014. Foi repórter da UnBTV durante 1 ano e 6 meses e retornou para a redação da ARB como repórter. É responsável pela coluna Diversão em Pauta, e cobre Política Internacional.


Cadastre-se

LOC.: A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal aprovou, na tarde desta terça-feira (1º), o parecer da reforma da Previdência do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE). O texto segue para votação em plenário após a análise das emendas, onde pode ser votado em primeiro turno na Casa ainda hoje. 

Entre as principais mudanças no sistema de aposentadoria e outros benefícios, está a proposta de fixar a idade mínima para se aposentar. Para as mulheres, a idade será de 62 anos, e para os homens, de 65. De acordo com o governo federal, os cofres públicos podem ter economia de até R$1,2 trilhão, em dez anos, com as mudanças nas regras de aposentadoria. O senador Luiz do Carmo (MDB-GO) defende que “já passou da hora” de a pauta ser votada no Senado.

TEC./SONORA: senador Luiz do Carmo (MDB-GO)

“O Brasil precisa que a reforma seja aprovada para o país começar a andar. Espero que ainda hoje seja votada em Plenário”

LOC.: Para passar a valer, a proposta principal precisa ser aprovada em dois turnos, uma vez que altera a Constituição. Para aprovação, são necessários 49 votos entre os 81 senadores. Segundo o senador Marcelo Castro (MDB-PI), a expectativa é que o texto terá mais de 60 votos favoráveis em Plenário. 

TEC./SONORA: senador Marcelo Castro (MDB-PI)

“A reforma da Previdência é imprescindível para o país, para respirar, arejar e dar confiança ao mercado de que as medidas necessárias o país estão sendo tomadas”

LOC.: No total, 26 senadores votaram na CCJ, não houve nenhuma abstenção. A presidente da comissão, Simone Tebet, não participou.

Reportagem, Sara Rodrigues