Menu

Ceará terá de qualificar 277 mil trabalhadores em profissões industriais até 2023

Segundo Mapa do Trabalho Industrial, do SENAI, áreas transversais, informática e energia e telecomunicações demandarão técnicos capacitados em quatro anos

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Giovanni Santos/FIEC

O estado do Ceará terá de qualificar 277.511 trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento entre 2019 e 2023. Os dados são do Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e divulgado nesta segunda-feira (30).

Segundo o levantamento, os profissionais com competências transversais serão os mais requeridos pela indústria do estado nos próximos anos. O coordenador da unidade de Educação do SENAI do Ceará, Wallace Ferreira, explica que a tendência é que os trabalhadores tenham habilidades multidisciplinares, o que é observado na área transversal.

“A competência transversal é aquela que está presente em mais de um segmento de atuação ou em mais de uma ocupação, como nas áreas de gestão, TI e segurança. Hoje, se nós formos para uma empresa do ramo têxtil, os colaboradores dessa empresa vão precisar ter conhecimento em gestão, segurança e automação. Essa indústria vai ter aspectos relacionados com cada uma dessas áreas transversais”, esclareceu.

Segundo o estudo do SENAI, o Ceará precisará qualificar 11.602 novos profissionais com habilidades transversais nos próximos quatro anos no estado. Em seguida, as principais demandas virão das áreas de informática; energia e telecomunicações; e têxtil.

Arte: Sabrine Cruz e Italo Novais/Agência do Rádio Mais

Qualificação Profissional

O Mapa do Trabalho Industrial mostra que entre as ocupações que exigem cursos de qualificação e que mais vão demandar profissionais capacitados, estão as de operadores de máquinas para costura de peças do vestuário (11.752); e mecânicos de manutenção de máquinas industriais (4.406).

A Daas é uma empresa de material esportivo e possui uma fábrica em Itapipoca, no norte do estado, com 2.600 funcionários. Uma área da empresa é responsável pela fabricação de calçados. Segundo a coordenadora de RH da unidade, Telma Souza, a qualificação de alguns desses colaboradores que atuam no segmento é feita por meio de cursos oferecidos pelo SENAI.

“Hoje, eles chegam na fábrica sem saber praticamente nada da área de calçados e saem altamente capacitados na parte de confeccionador. Você tem uma mão de obra qualificada ‘dentro de casa’. Quando eles não são efetivados e nós precisamos de vagas, nós recorremos a esse banco do SENAI”, explica.

Telma também ressalta a capacitação de pessoas com deficiência feita em parceria com o SENAI e conta que 20 profissionais da Daas passaram por formação. Metade deles foram contratados pela empresa.

“Esse ano nós formamos e capacitamos a primeira turma de pessoas com deficiência física pelo SENAI. Vinte pessoas foram capacitadas dentro do galpão de aprendizagem e a gente está contratando. Até o momento, contratamos dez”, completou.

O deputado federal Eduardo Bismarck (PDT-CE) considera que a formação técnica profissional é uma oportunidade para todos os cearenses, independentemente da região.

“É preciso interiorizar e levar o estudo para vários setores, não apenas cursos técnicos, mas todo o tipo de capacitação possível. Uma das questões da interiorização é levarmos o ensino qualificado para quem mais precisa, para as pessoas que, às vezes, não têm condições de morar nos grandes centros”, defende o parlamentar.

Arte: Sabrine Cruz e Italo Novais/Agência do Rádio Mais

Para quem tiver interesse em saber mais sobre alguma dessas áreas, basta acessar senai-ce.org.br ou comparecer a uma das unidades da instituição. Mais informações podem consultadas pelo telefone (85) 4009-6300.
 

Paulo Henrique

Formado em Jornalismo e com Pós-Graduação em Gestão da Comunicação nas Organizações, possui experiência em redações e assessorias, atuou como estagiário na Secretaria de Saúde do Distrito Federal, no Portal R7 e na ASCOM da Câmara dos Deputados. Depois de formado, foi Assessor de Comunicação do Instituto de Migrações e Direitos Humanos e atualmente é repórter na Agência do Rádio.


Cadastre-se

LOC.: O estado do Ceará terá de qualificar 277.511 trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento entre 2019 e 2023. Os dados são do Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e divulgado nesta segunda-feira (30).

Segundo o levantamento, os profissionais com competências transversais serão os mais requeridos pela indústria do estado nos próximos anos. O coordenador da unidade de Educação do SENAI do Ceará, Wallace Ferreira, explica que a tendência é que os trabalhadores tenham habilidades multidisciplinares, o que é observado na área transversal, ou seja, que atende a vários segmentos.

TEC./SONORA: Wallace Ferreira, coordenador da unidade de Educação do SENAI do Ceará
 

“Hoje, se nós formos para uma empresa do ramo têxtil, os colaboradores dessa empresa vão precisar ter conhecimento em gestão, segurança e automação. Essa indústria vai ter aspectos relacionados com cada uma dessas áreas transversais.”

LOC.: O Mapa do Trabalho Industrial mostra que entre as ocupações que exigem cursos de qualificação e que mais vão demandar profissionais capacitados, estão as de operadores de máquinas para costura de peças do vestuário (11.752); e mecânicos de manutenção de máquinas industriais (4.406).

A Daas é uma empresa de material esportivo e possui uma fábrica em Itapipoca, no norte do estado, com 2.600 funcionários. Uma área da empresa é responsável pela fabricação de calçados. Segundo a coordenadora de RH da unidade, Telma Souza, a qualificação de alguns desses colaboradores que atuam no segmento é feita por meio de cursos oferecidos pelo SENAI.

TEC./SONORA: Telma Souza, coordenadora de RH da Daas
 

“Hoje, eles chegam na fábrica sem saber praticamente nada da área de calçados e saem altamente capacitados na parte de confeccionador. Você tem uma mão de obra qualificada ‘dentro de casa’. Quando eles não são efetivados e nós precisamos de vagas, nós recorremos a esse banco do SENAI.”

LOC.: O deputado federal Eduardo Bismarck (PDT-CE) considera que a formação técnica profissional é uma oportunidade para todos os cearenses, independentemente da região.

TEC./SONORA: Deputado Eduardo Bismarck (PDT-CE)
 

“É preciso interiorizar e levar o estudo para vários setores, não apenas cursos técnicos, mas todo o tipo de capacitação possível. Uma das questões da interiorização é levarmos o ensino qualificado para quem mais precisa, para as pessoas que, às vezes, não têm condições de morar nos grandes centros.”

LOC.: Para quem tiver interesse em saber mais sobre alguma dessas áreas, basta acessar senai-ce.org.br ou comparecer a uma das unidades da instituição. Mais informações podem consultadas pelo telefone (85) 4009-6300. Repetindo: (85) 4009-6300.

Reportagem, Paulo Henrique Gomes