Menu

Cerca 44 mil militares das Forças Armadas estão na Região Amazônica para combate aos incêndios

Além disso, o governo federal afirmou que os estados de Roraima, Rondônia, Tocantins e Pará já pediram ajuda do Executivo Federal

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

De acordo com o Ministério da Defesa, cerca de 44 mil militares das Forças Armadas estão na Região Amazônica e poderão ser empregados nas operações de combate aos incêndios. A informação foi confirmada pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, após uma reunião na manhã deste sábado (24) com o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva.

Além disso, o governo federal afirmou que os estados de Roraima, Rondônia, Tocantins e Pará já pediram ajuda do Executivo federal. Segundo o ministro da Defesa, a adesão dos governos locais é importante para que o trabalho de combate a crimes ambientais e a incêndios não se limitem às áreas federais.

De acordo com o Estado-Maior das Forças Armadas, que coordena as operações, as primeiras medidas já foram tomadas neste sábado e um helicóptero do Ibama e dois aviões de combate a incêndios vão ser enviados para Porto Velho.

 

Cintia Moreira

Com 3 anos de formação, Cintia sempre optou pelo radiojornalismo. Em uma de suas experiências profissionais ganhou um prêmio jornalístico e jura que não tem pautas de preferência. Sua única preferência é que tenham pautas.


Conteúdos relacionados

Cadastre-se

De acordo com o Ministério da Defesa, cerca de 44 mil militares das Forças Armadas estão na Região Amazônica e poderão ser empregados nas operações de combate aos incêndios. A informação foi confirmada pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, após uma reunião na manhã deste sábado (24) com o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva.

Além disso, o governo federal afirmou que os estados de Roraima, Rondônia, Tocantins e Pará já pediram ajuda do Executivo federal. Segundo o ministro da Defesa, a adesão dos governos locais é importante para que o trabalho de combate a crimes ambientais e a incêndios não se limitem às áreas federais.

De acordo com o Estado-Maior das Forças Armadas, que coordena as operações, as primeiras medidas já foram tomadas neste sábado e um helicóptero do Ibama e dois aviões de combate a incêndios vão ser enviados para Porto Velho.

Com informações da Agência Brasil, reportagem, Cintia Moreira