Menu

COMPORTAMENTO: Casais gastam mais do que poderiam para agradar parceiros, segundo estudo

Gostar de agradar e não conseguir ver o parceiro frustrado ou triste são as principais razões de gastar além do orçamento, segundo os entrevistados

 

Banners

REPÓRTER: A maioria dos casais demonstra amor e afeto pelos parceiros por meio da entrega de presentes e também ao levar em restaurantes caros ou lugares mais românticos. Mas isso pode não ser saudável, a partir do momento que o casal gasta mais do que poderia, apenas para satisfazer as vontades do companheiro. Segundo uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito, o SPC Brasil, e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas, a CNDL, um terço dos internautas entrevistados gastam mais dinheiro do que têm para agradar a quem ama. Segundo os entrevistados, as principais razões são: gostar de agradar, não conseguir ver o parceiro frustrado ou triste, ter dificuldade para dizer não e não resistir à pressão do parceiro para comprar presentes. A estudante brasiliense Isabele Caroline de Souza namora com o Wallas Felipe há cinco anos. Ela conta que já gastou com presentes várias vezes, mas que isso a deixa satisfeita por deixar o namorado feliz.
 
SONORA: Isabele Caroline de Souza, estudante
 
“Nossa, foram tantas vezes. Já gastei dinheiro com muitos DVD’s e muitos livros caros para ele. Eu fico muito satisfeita quando eu consigo agradar uma pessoa com um presente, e principalmente ele, e isso me satisfaz bastante.”
 
REPÓRTER: Além de gastar o que não podiam e, muitas vezes, ficar endividados, 23 por cento dos casais brigam quando o parceiro ultrapassa o limite do orçamento. Segundo a pesquisa, mais da metade dos internautas disseram tentar cumprir o planejamento orçamentário combinado. Porém, apenas 30 por cento conseguem cumprir exatamente o combinado. A economista-chefe da SPC Brasil, Marcela Kawauti, afirmou que os casais devem conversar sobre o dinheiro que gastam, e mais ainda durante o período de crise financeira no país.
 
SONORA: Marcela Kawauti, economista
 
“Neste momento, com os problemas financeiros que nós estamos vivendo, a gente vive um ano de ajuste muito forte na economia, é ainda mais importante que os casais conversem sobre dinheiro e sobre a sua situação financeira. Porque muitos deles vão precisar ajustar a sua situação financeira a um novo momento econômico. Seja por conta de perda de emprego, ou por conta de queda de renda. Então, ainda é mais importante, em um momento desse, que a conversa aconteça antes de um problema sério.”
 
REPÓRTER: De acordo com a economista Marcela Kawauti, um planejamento financeiro é parte fundamental na vida de um casal.  A pesquisa foi realizada com 623 internautas, homens e mulheres, nas 27 capitais do país, e que vivem fora do padrão de vida financeiro.
 
Reportagem, Sara Rodrigues

Agência do Rádio



Conteúdos relacionados

Cadastre-se