Menu

Confira dicas para curtir a folia com segurança

Tempo de festa e alegria, Carnaval também exige cuidados e responsabilidades por parte dos foliões

Banners
Imagem: Tomaz Silva/Agência Brasil

Começou o Carnaval. A festa, uma das mais populares e tradicionais do Brasil, movimenta ruas, praças e avenidas de cidades de todas as regiões do país. Os eventos variam desde festas em ambientes fechados, passando por circuitos em trios elétricos e blocos de marchinhas carnavalescas.
A grande aglomeração de público, porém, levanta o alerta para que a população adote medidas de segurança e prevenção. A reportagem conversou com o porta-voz da Polícia Militar do Distrito Federal, Major Michello Bueno, que fala de maneira geral sobre quais cuidados os foliões devem ter na hora de pular carnaval.
De acordo com ele, é recomendado que as pessoas evitem transportar objetos de valor, procurem sempre andar em grupo e evitem manusear aparelhos eletrônicos em lugares isolados.


“Primeira dica que a gente passa para a população é não ir com carro próprio, ir de transporte coletivo: ônibus, táxi ou qualquer transporte por aplicativo, menos de carro. Segunda coisa: antes de sair de casa, verifique se você está bem hidratado, bem alimentado. Vá com roupas leves. Não ostentar objetos de valor como joias, relógios caros, celulares. Porque o criminoso aproveita uma distração para te furtar ou até mesmo te roubar o celular. Eles ficam de olho, ficam ali em grupinhos. É muito rápido! Como eu falei, leve pouco dinheiro ou um cartão e uma identidade com foto. Pode ser a carteira de identidade ou a carteira de motorista. Então essas são as principais dicas para você não ser vítima”, explica.


Além dos cuidados com a segurança, o folião também precisa estar atento à própria saúde. É preciso ter responsabilidade para se livrar dos perigos das infecções sexualmente transmissíveis (IST), como o HIV, por exemplo. E a melhor forma de se proteger é usando camisinha. Por isso, o Ministério da Saúde enviou cerca de 130 milhões de preservativos masculinos para os 26 estados, além do Distrito Federal. O quantitativo é 22% maior do que distribuído pela pasta no ano passado.

 

Isabella França

Isabella descobriu ainda na faculdade seu talento para locução. Com a ajuda de uma professora aprimorou suas técnicas e hoje tem uma das vozes mais marcantes da Agência do Rádio. Amante das pautas mais distantes de seu cotidiano, Isa gosta de se desafiar enquanto finaliza seu curso de jornalismo.


Conteúdos relacionados

Cadastre-se

Começou o Carnaval. A festa, uma das mais populares e tradicionais do Brasil, movimenta ruas, praças e avenidas de cidades de todas as regiões do país. Os eventos variam desde festas em ambientes fechados, passando por circuitos em trios elétricos e blocos de marchinhas carnavalescas.
A grande aglomeração de público, porém, levanta o alerta para que a população adote medidas de segurança e prevenção.

A reportagem conversou com o porta-voz da Polícia Militar do Distrito Federal, Major Michello Bueno, que fala de maneira geral sobre quais cuidados os foliões devem ter na hora de pular carnaval.
De acordo com ele, é recomendado que as pessoas evitem transportar objetos de valor, procurem sempre andar em grupo e evitem manusear aparelhos eletrônicos em lugares isolados.
 

“Primeira dica que a gente passa para a população é não ir com carro próprio, ir de transporte coletivo: ônibus, táxi ou qualquer transporte por aplicativo, menos de carro. Segunda coisa: antes de sair de casa, verifique se você está bem hidratado, bem alimentado. Vá com roupas leves. Não ostentar objetos de valor como joias, relógios caros, celulares. Porque o criminoso aproveita uma distração para te furtar ou até mesmo te roubar o celular. Eles ficam de olho, ficam ali em grupinhos. É muito rápido! Como eu falei, leve pouco dinheiro ou um cartão e uma identidade com foto. Pode ser a carteira de identidade ou a carteira de motorista. Então essas são as principais dicas para você não ser vítima.”

Além dos cuidados com a segurança, o folião também precisa estar atento à própria saúde. É preciso ter responsabilidade para se livrar dos perigos das infecções sexualmente transmissíveis (IST), como o HIV, por exemplo. E a melhor forma de se proteger é usando camisinha. Por isso, o Ministério da Saúde enviou cerca de 130 milhões de preservativos masculinos para os 26 estados, além do Distrito Federal. O quantitativo é 22% maior do que distribuído pela pasta no ano passado.

Reportagem, Isabella França