Menu

Desistir da CPI da Toga? “Só se me matarem”, diz Jorge Kajuru

Senador concedeu entrevista ao podcast “Ilha de Vera Cruz”

Banners
Waldemir Barreto/Agência Senado

A polêmica que envolve o senador Jorge Kajuru (PSB-GO) e o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), ganhou novos capítulos nesta semana. Em entrevista ao podcast “Ilha de Vera Cruz”, o senador disse que, para acusar Gilmar Mendes de vender sentenças, não são necessárias provas, uma vez que os fatos falam por si.

“--Nessa entrevista à Rádio Bandeirantes o senhor chegou a dizer que ele vendia sentenças. – Não, eu não cheguei a dizer, eu disse. – E o senhor tem provas disso? – Você precisa ter provas de que o Paulo Maluf é corrupto? Você precisa ter provas de que o Sergio Cabral é ladrão? Você precisa ter provas de que o Eduardo Cunha é um bandido? Então como dizia o Millôr Fernandes ‘Há certas pessoas que você não precisa de provas’.”

Kajuru é um dos principais articuladores no congresso para a criação da CPI do judiciário. No entanto, o parlamentar vem acumulando derrotas. Depois de ver o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AM), rejeitar a criação da comissão, Kajuru assistiu a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado votar pelo arquivamento da comissão parlamentar de inquérito. No entanto, o senador goiano ainda nutre esperanças, uma vez que a palavra final será do Plenário da casa.

“São 8 anos de mandato, só se me matarem, só se eu morrer, para eu desistir dessa CPI.”

A entrevista completa com o senador Jorge Kajuru pode ser acessada no Spotify. Basta digitar o nome ‘Ilha de Vera Cruz’ na aba de busca do aplicativo. Você também pode acessar o programa no endereço agenciadoradio.com.br/ilhadeveracruz

Reportagem, João Paulo Machado

João Paulo Machado

João Paulo é graduado pelo Centro Universitário de Brasília (UniCEUB) e iniciou sua carreira estagiando na área de reportagem da Rádio Nacional (EBC). Na Agência do Rádio atuou na cobertura de eventos importantes como os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. No mesmo período, desenvolveu trabalho em parceria com o Ministério do Esporte redigindo reportagens para o portal Brasil2016.gov.br, além de colaborações para redes sociais.Atualmente, cobre os acontecimentos da Praça dos Três Poderes para a Agência do Rádio.


Cadastre-se

A polêmica que envolve o senador Jorge Kajuru (PSB-GO) e o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), ganhou novos capítulos nesta semana. Em entrevista ao podcast “Ilha de Vera Cruz”, o senador disse que, para acusar Gilmar Mendes de vender sentenças, não são necessárias provas, uma vez que os fatos falam por si.

 

“--Nessa entrevista à Rádio Bandeirantes o senhor chegou a dizer que ele vendia sentenças. – Não, eu não cheguei a dizer, eu disse. – E o senhor tem provas disso? – Você precisa ter provas de que o Paulo Maluf é corrupto? Você precisa ter provas de que o Sergio Cabral é ladrão? Você precisa ter provas de que o Eduardo Cunha é um bandido? Então como dizia o Millôr Fernandes ‘Ha certas pessoas que você não precisa de provas’.”

Kajuru é um dos principais articuladores no congresso para a criação da CPI do judiciário. No entanto, o parlamentar vem acumulando derrotas. Depois de ver o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AM), rejeitar a criação da comissão, Kajuru assistiu a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado votar pelo arquivamento da comissão parlamentar de inquérito. No entanto, o senador goiano ainda nutre esperanças, uma vez que a palavra final será do Plenário da casa.

“São 8 anos de mandato, só se me matarem, só se eu morrer, para eu desistir dessa CPI.”

A entrevista completa com o senador Jorge Kajuru pode ser acessada no Spotify. Basta digitar o nome ‘Ilha de Vera Cruz’ na aba de busca do aplicativo. Você também pode acessar o programa no endereço agenciadoradio.com.br/ilhadeveracruz

Reportagem, João Paulo Machado