Menu

Diretor da Agência Brasileira de Inteligência é cotado para o cargo de diretor-geral da Polícia Federal

Delegado Alexandre Ramagem chefiou a segurança de Bolsonaro durante a campanha eleitoral. Deputado Marcelo Freixo diz que vai apresentar ação para impedir a nomeação.

Banners
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), delegado Alexandre Ramagem, é cotado para assumir o cargo de diretor-geral da Polícia Federal. Ramagem poderá substituir Maurício Valeixo, exonerado pelo presidente Jair Bolsonaro na última sexta-feira (24).

Delegado da Polícia Federal, Alexandre Ramagem comandou as divisões de Administração de Recursos Humanos e de Estudos, Legislações e Pareceres da corporação. Em 2018, foi chefe de segurança do presidente Jair Bolsonaro durante a campanha eleitoral, após o então candidato à Presidência sofrer uma facada em Juiz de Fora (MG).

Neste sábado, o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ), afirmou que vai apresentar uma ação judicial para impedir que Alexandre Ramagem assuma o posto de diretor-geral da Polícia Federal. Nas redes sociais, Freixo disse que Bolsonaro quer transformar a PF em uma polícia política.

Ao anunciar o pedido de demissão, após a confirmação da exoneração do então diretor-geral da PF Maurício Valeixo, o ex-ministro Sergio Moro afirmou que o presidente Jair Bolsonaro estava tentando interferir politicamente na Polícia Federal. 

Em resposta, Bolsonaro ressaltou que tem prerrogativa de indicar o nome do diretor-geral e que não pediu para acessar investigações nem proteção de pessoas.
 

Thiago Marcolini



Cadastre-se

LOC.: O diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), delegado Alexandre Ramagem, é cotado para assumir o cargo de diretor-geral da Polícia Federal. Ramagem poderá substituir Maurício Valeixo, exonerado pelo presidente Jair Bolsonaro na última sexta-feira (24).

Delegado da Polícia Federal, Alexandre Ramagem comandou as divisões de Administração de Recursos Humanos e de Estudos, Legislações e Pareceres da corporação. Em 2018, foi chefe de segurança do presidente Jair Bolsonaro durante a campanha eleitoral, após o então candidato à Presidência sofrer uma facada em Juiz de Fora (MG).

Neste sábado, o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ), afirmou que vai apresentar uma ação judicial para impedir que Alexandre Ramagem assuma o posto de diretor-geral da Polícia Federal. Nas redes sociais, Freixo disse que Bolsonaro quer transformar a PF em uma polícia política.

Ao anunciar o pedido de demissão, após a confirmação da exoneração do então diretor-geral da PF Maurício Valeixo, o ex-ministro Sergio Moro afirmou que o presidente Jair Bolsonaro estava tentando interferir politicamente na Polícia Federal. 

Em resposta, Bolsonaro ressaltou que tem prerrogativa de indicar o nome do diretor-geral e que não pediu para acessar investigações nem proteção de pessoas.