Menu

DISTRITO FEDERAL: Secretaria de Saúde distribuirá 800 mil camisinhas durante o carnaval

Aproximadamente 12 mil pessoas vivendo com HIV estão em tratamento em unidades de saúde do Distrito Federal

Banners
Foto: Presidência da República

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal vai distribuir 800 mil preservativos durante o carnaval deste ano. Além das Unidades Básicas de Saúde, as equipes também vão disponibilizar preservativos aos foliões em blocos de rua. A especialista em Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde do Distrito Federal, Rosângela Ribeiro, reforça que o uso da camisinha é a maneira mais simples de prevenção contra o HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis, as chamadas IST. 

"O uso do preservativo é de uso individual. Seja a mulher usando o seu preservativo ou seja o homem usando o preservativo. Então, o uso do preservativo é uma das primeiras ferramentas de prevenção, digamos assim”, explica. 

Mas é importante lembrar: nunca use dois preservativos ao mesmo tempo. Isso aumenta a chance de ruptura. Aproximadamente 12 mil pessoas vivendo com HIV estão em tratamento em unidades de saúde do Distrito Federal. Segundo os últimos dados do Boletim Epidemiológico de HIV/Aids do Ministério da Saúde, divulgado no fim do ano passado, o DF registrou queda no número de casos de aids. Em 2014, eram 19,5 casos por cada 100 mil habitantes. Em 2017, a taxa era de 14,4 para cada 100 mil habitantes, o que representa uma redução de 26,1%. Maria da Silva – nome fictício dado a pedido da entrevistada, que não quis se identificar – é técnica em radiologia e tem 40 anos. Ela afirma que foi muito difícil quando descobriu que vivia com HIV, mas que ao longo do tempo aceitou sua condição, principalmente após ler e adquirir mais conhecimento sobre o assunto.

“No início, para mim, foi terrível. Eu entrei em uma fase meio deprimente, mas depois eu fui aceitando, eu fui lendo reportagem, fui acompanhando o depoimento de pessoas, de mulheres que conviviam com o HIV. Depoimentos de pessoas que não conseguiram alcançar o que eu alcancei hoje, que hoje eu estou vivendo em um mundo em que, hoje, pelo menos, tem a medicação para eu me tratar”, afirma.  

No Brasil, de 1980 a junho de 2018, foram identificados mais de 926 mil casos de aids, o que representa um registro de 40 mil novos casos a cada ano. Neste ano, o Ministério da Saúde distribuiu 130 milhões de preservativos masculinos em todos os estados, 22% a mais que a quantidade disponibilizada em 2018.

Então, não se descuide! A dica é simples para os foliões: pare, pense e use camisinha. Conheça todas as formas de prevenção em aids.gov.br. Ministério da Saúde. Governo Federal. Pátria Amada Brasil.
 


Comente...

Cadastre-se

LOC.: A Secretaria de Saúde do Distrito Federal vai distribuir 800 mil preservativos durante o carnaval deste ano. Além das Unidades Básicas de Saúde, as equipes também vão disponibilizar preservativos aos foliões em blocos de rua. A especialista em Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde do Distrito Federal, Rosângela Ribeiro, reforça que o uso da camisinha é a maneira mais simples de prevenção contra o HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis, as chamadas IST. 

TEC./SONORA: Rosângela Ribeiro, especialista em Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde do Distrito Federal.
 

“O uso do preservativo é de uso individual. Seja a mulher usando o seu preservativo ou seja o homem usando o preservativo. Então, o uso do preservativo é uma das primeiras ferramentas de prevenção, digamos assim.”

LOC.: Mas é importante lembrar: nunca use dois preservativos ao mesmo tempo. Isso aumenta a chance de ruptura. Aproximadamente 12 mil pessoas vivendo com HIV estão em tratamento em unidades de saúde do Distrito Federal. Segundo os últimos dados do Boletim Epidemiológico de HIV/Aids do Ministério da Saúde, divulgado no fim do ano passado, o DF registrou queda no número de casos de aids. Em 2014, eram 19,5 casos por cada 100 mil habitantes. Em 2017, a taxa era de 14,4 para cada 100 mil habitantes, o que representa uma redução de 26,1%. Maria da Silva – nome fictício dado a pedido da entrevistada, que não quis se identificar – é técnica em radiologia e tem 40 anos. Ela afirma que foi muito difícil quando descobriu que vivia com HIV, mas que ao longo do tempo aceitou sua condição, principalmente após ler e adquirir mais conhecimento sobre o assunto.

TEC./SONORA: Maria da Silva (nome fictício), técnica em radiologia, 40 anos.
 

“No início, para mim, foi terrível. Eu entrei em uma fase meio deprimente, mas depois eu fui aceitando, eu fui lendo reportagem, fui acompanhando o depoimento de pessoas, de mulheres que conviviam com o HIV. Depoimentos de pessoas que não conseguiram alcançar o que eu alcancei hoje, que hoje eu estou vivendo em um mundo em que, hoje, pelo menos, tem a medicação para eu me tratar.” 

LOC.: No Brasil, de 1980 a junho de 2018, foram identificados mais de 926 mil casos de aids, o que representa um registro de 40 mil novos casos a cada ano. Neste ano, o Ministério da Saúde distribuiu 130 milhões de preservativos masculinos em todos os estados, 22% a mais que a quantidade disponibilizada em 2018.

Então, não se descuide! A dica é simples para os foliões: pare, pense e use camisinha. Conheça todas as formas de prevenção em aids.gov.br. Ministério da Saúde. Governo Federal. Pátria Amada Brasil.