Menu

DIVERSÃO EM PAUTA: Animação chinesa, “Brinquedos Mágicos” apresenta história sobre amizade carregada de traços culturais

Lançado em 2017 na China, o filme apresenta toques culturais que o diferencia de outras animações

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners

Nathan é um boneco de porcelana que vive em uma loja de chá com seus amigos. Juntos, eles vivem uma grande aventura na animação chinesa “Brinquedos Mágicos”, que chega aos cinemas nesta quinta-feira (22). Lançado em 2017 na China, o filme apresenta toques culturais que o diferencia de outras animações.

Tudo começa quando um robô que diz ser do futuro invade, sem querer, a loja de chá onde os brinquedos vivem. Intrigados com a novidade, o pequeno robô e o boneco Nathan decidem embarcar em uma aventura em busca de respostas. Durante o caminho, a animação mostra diversos lugares e costumes chineses, que despertam a curiosidade do espectador.

O roteiro do filme não apresenta surpresas e, na verdade, até se assemelha a outras animações de estúdios americanos. Porém, não deixa de ter seu próprio brilho com personagens diversificados e uma montanha-russa de emoções. Além disso, a animação, em si, é muito bem-feita e cheia de cores.

Com duração de 1h40, o filme demora para prender a atenção do espectador. Somente após a metade do filme é que o roteiro e os personagens começam a gerar interesse de verdade. O humor também é algo difícil de identificar no filme e poucos são os momentos em que realmente rimos com as situações apresentadas.

Ainda assim, Brinquedos Mágicos mostra a importância de preservar certos valores, como a amizade. Principalmente entre pessoas, ou brinquedos, que são diferentes um dos outros. Nathan, um brinquedo antigo e carregado de simbologia cultural, com certeza não esperava ganhar um grande amigo quando conheceu o robô, uma tecnologia cheia de novidades. 

Vale a pena levar a criançada para conferir o nascimento dessa amizade. A partir de 22 de agosto nos cinemas brasileiros.

Reportagem, Larissa Lago
 

Larissa Lago



Cadastre-se

Nathan é um boneco de porcelana que vive em uma loja de chá com seus amigos. Juntos, eles vivem uma grande aventura na animação chinesa “Brinquedos Mágicos”, que chega aos cinemas nesta quinta-feira (22). Lançado em 2017 na China, o filme apresenta toques culturais que o diferencia de outras animações.

Tudo começa quando um robô que diz ser do futuro invade, sem querer, a loja de chá onde os brinquedos vivem. Intrigados com a novidade, o pequeno robô e o boneco Nathan decidem embarcar em uma aventura em busca de respostas. Durante o caminho, a animação mostra diversos lugares e costumes chineses, que despertam a curiosidade do espectador.

O roteiro do filme não apresenta surpresas e, na verdade, até se assemelha a outras animações de estúdios americanos. Porém, não deixa de ter seu próprio brilho com personagens diversificados e uma montanha-russa de emoções. Além disso, a animação, em si, é muito bem-feita e cheia de cores.

Com duração de 1h40, o filme demora para prender a atenção do espectador. Somente após a metade do filme é que o roteiro e os personagens começam a gerar interesse de verdade. O humor também é algo difícil de identificar no filme e poucos são os momentos em que realmente rimos com as situações apresentadas.

Ainda assim, Brinquedos Mágicos mostra a importância de preservar certos valores, como a amizade. Principalmente entre pessoas, ou brinquedos, que são diferentes um dos outros. Nathan, um brinquedo antigo e carregado de simbologia cultural, com certeza não esperava ganhar um grande amigo quando conheceu o robô, uma tecnologia cheia de novidades. 

Vale a pena levar a criançada para conferir o nascimento dessa amizade. A partir de 22 de agosto nos cinemas brasileiros.

Reportagem, Larissa Lago