Menu

DJ, a companheira e um amigo estão entre os suspeitos de invadirem o celular de Moro

Entre os três, apenas a mulher não possui antecedentes criminais

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Divulgação Polícia Federal

A Polícia Federal (PF) prendeu nesta terça-feira (23) três suspeitos de hackearem o celular do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro. Entre os detidos está o DJ Gustavo Henrique Elias Santos, de 28 anos, que foi preso na cidade de São Paulo.

Em 2015, ele já havia sido condenado a seis anos e seis meses de reclusão em regime semiaberto, pelos crimes de receptação e falsificação de documentos.

A mulher de Gustavo, Suelen Priscila de Oliveira, foi presa junto com o marido nesta terça. Ela não tinha passagens pela polícia.

O outro suspeito detido pela PF, Walter Delgatti Neto, de 30 anos, foi preso em Araraquara. Mais conhecido como Vermelho, ele já havia sido preso em 2015 por falsidade ideológica e em 2017 por tráfico de drogas e falsificação de documentos. Vermelho também foi condenado por usar o cartão de crédito de outra pessoa, tráfico, estelionato e falsificação. 

A Polícia Federal cumpriu sete mandados de busca e apreensão e quatro de prisão temporária, que é válida por cinco dias, nas cidades de São Paulo, Araraquara e Ribeirão Preto.

Até o fechamento desta matéria, a PF havia instaurado quatro inquéritos para apurar a invasão e o vazamento de mensagens do celular do ministro da Justiça, Sérgio Moro. A corporação também irá abrir investigação para apurar a invasão do celular do ministro da Economia, Paulo Guedes, e da líder do governo no Congresso, a deputada Joice Hasselmann.

Paulo Henrique

Formado em Jornalismo e com Pós-Graduação em Gestão da Comunicação nas Organizações, possui experiência em redações e assessorias, atuou como estagiário na Secretaria de Saúde do Distrito Federal, no Portal R7 e na ASCOM da Câmara dos Deputados. Depois de formado, foi Assessor de Comunicação do Instituto de Migrações e Direitos Humanos e atualmente é repórter na Agência do Rádio.


Cadastre-se

A Polícia Federal (PF) prendeu nesta terça-feira (23) três suspeitos de hackearem o celular do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro. Entre os detidos está o DJ Gustavo Henrique Elias Santos, de 28 anos, que foi preso na cidade de São Paulo.

Em 2015, ele já havia sido condenado a seis anos e seis meses de reclusão em regime semiaberto, pelos crimes de receptação e falsificação de documentos.

A mulher de Gustavo, Suelen Priscila de Oliveira, foi presa junto com o marido nesta terça. Ela não tinha passagens pela polícia.

O outro suspeito detido pela PF, Walter Delgatti Neto, de 30 anos, foi preso em Araraquara. Mais conhecido como Vermelho, ele já havia sido preso em 2015 por falsidade ideológica e em 2017 por tráfico de drogas e falsificação de documentos. Vermelho também foi condenado por usar o cartão de crédito de outra pessoa, tráfico, estelionato e falsificação. 

A Polícia Federal cumpriu sete mandados de busca e apreensão e quatro de prisão temporária, que é válida por cinco dias, nas cidades de São Paulo, Araraquara e Ribeirão Preto.

Até o fechamento desta matéria, a PF havia instaurado quatro inquéritos para apurar a invasão e o vazamento de mensagens do celular do ministro da Justiça, Sérgio Moro. A corporação também irá abrir investigação para apurar a invasão do celular do ministro da Economia, Paulo Guedes, e da líder do governo no Congresso, a deputada Joice Hasselmann.

Reportagem, Paulo Henrique Gomes