Menu

Embratur tem seu terceiro presidente em pouco menos de seis meses no governo Bolsonaro

Gilson Machado teve sua nomeação para o cargo publicada no Diário Oficial da União desta terça

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Reprodução Instagram

Gilson Machado Guimarães Neto é o novo presidente da Embratur. Ele foi nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro e teve seu nome publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira (21). Antes de assumir a Embratur, Gilson atuava como secretário de Mudança do Clima e Florestas do Ministério do Meio Ambiente.

Gilson Machado será o terceiro presidente da Embratur durante o governo Bolsonaro. Ele assumiu o cargo no lugar de Paulo Roberto de Oliveira Senise, que havia sido nomeado há onze dias, mas teve sua nomeação anulada nesta terça (21).

Antes de Senise, a presidente do órgão era Teté Bezerra. Ela pediu demissão no fim de março e, no mesmo dia do anúncio, Bolsonaro disse em suas redes sociais que mandou demitir a Teté em razão de um jantar que aconteceria, segundo ele, no valor de R$ 290 mil.

A Embratur é uma autarquia especial do Ministério do Turismo e é responsável pela política nacional de turismo com a promoção de destinos, serviços e produtos turísticos brasileiros no exterior.

Paulo Henrique

Formado em Jornalismo e com Pós-Graduação em Gestão da Comunicação nas Organizações, possui experiência em redações e assessorias, atuou como estagiário na Secretaria de Saúde do Distrito Federal, no Portal R7 e na ASCOM da Câmara dos Deputados. Depois de formado, foi Assessor de Comunicação do Instituto de Migrações e Direitos Humanos e atualmente é repórter na Agência do Rádio.


Cadastre-se

Gilson Machado Guimarães Neto é o novo presidente da Embratur. Ele foi nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro e teve seu nome publicado no Diário Oficial da União desta terça-feira (21). Antes de assumir a Embratur, Gilson atuava como secretário de Mudança do Clima e Florestas do Ministério do Meio Ambiente.

Gilson Machado será o terceiro presidente da Embratur durante o governo Bolsonaro. Ele assumiu o cargo no lugar de Paulo Roberto de Oliveira Senise, que havia sido nomeado há onze dias, mas teve sua nomeação anulada nesta terça (21).

Antes de Senise, a presidente do órgão era Teté Bezerra. Ela pediu demissão no fim de março e, no mesmo dia do anúncio, Bolsonaro disse em suas redes sociais que mandou demitir a Teté em razão de um jantar que aconteceria, segundo ele, no valor de R$ 290 mil.

A Embratur é uma autarquia especial do Ministério do Turismo e é responsável pela política nacional de turismo com a promoção de destinos, serviços e produtos turísticos brasileiros no exterior.

Reportagem, Paulo Henrique Gomes