Menu

Encontro do G20 termina com comunicado sobre da “intensificação de tensões comerciais e geopolíticas”

Entre os temas debatidos pela cúpula estavam as divergências comerciais e a preocupação com questões ambientais e climáticas

Banners
Foto: Arquivo/EBC

Com o reconhecimento da “intensificação de tensões comerciais e geopolíticas”. Foi assim que terminou neste sábado (29) em Osaka, no Japão, o encontro do G20 – grupo formado pelas 20 maiores economias do mundo.

Em conclusão, a cúpula diz que vai criar um “ciclo virtuoso de crescimento” para formar uma sociedade em que cada pessoa “possa fazer o uso do seu potencial”.

Entre os temas debatidos estavam as divergências comerciais e a preocupação com questões ambientais e climáticas. Os debates ocorreram no instante em que Estados Unidos e China travam uma guerra comercial e há uma alta nas tensões entre os norte-americanos e o Irã.

O presidente Jair Bolsonaro esteve presente no encontro. Nesta sexta-feira (29), ele afirmou que, em conversa com a chanceler alemã, Angela Merkel, disse que o Brasil é alvo de uma "psicose ambientalista". Na quinta, o presidente brasileiro afirmou que a Alemanha tinha muito a aprender com o Brasil na preservação ambiental.

Anteriormente ao início do encontro do G20, Merkel disse que via com "grande preocupação" as ações do governo brasileiro em relação ao desmatamento e que queria conversar com Bolsonaro sobre a questão.

Na última semana, a União Europeia e o Mercosul anunciaram a conclusão do acordo comercial que já durava 20 anos. O presidente francês, Emmanuel Macron disse que um ponto importante que levou à celebração do acordo foram as garantias que Bolsonaro fez sobre meio-ambiente.

Jair Bolsonaro embarcou neste sábado (29) em Osaka com destino ao Brasil. O presidente saiu do Japão por volta das 6h e deve desembarcar na Base Aérea de Brasília no fim da manhã deste domingo (30).

 

Marquezan Araújo

Marquezan é formado pelo Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), atuou como âncora de jornal radiofônico e locutor de programa musical. Passou por estágios na Agência Brasil e na Rádio Nacional, da EBC. Repórter da Agência do Rádio desde 2016, acompanha as movimentações do Legislativo no Congresso Nacional.


Cadastre-se

LOC.: Com o reconhecimento da “intensificação de tensões comerciais e geopolíticas”. Foi assim que terminou neste sábado (29) em Osaka, no Japão, o encontro do G20 – grupo formado pelas 20 maiores economias do mundo.

Em conclusão, a cúpula diz que vai criar um “ciclo virtuoso de crescimento” para formar uma sociedade em que cada pessoa “possa fazer o uso do seu potencial”.

Entre os temas debatidos estavam as divergências comerciais e a preocupação com questões ambientais e climáticas. Os debates ocorreram no instante em que Estados Unidos e China travam uma guerra comercial e há uma alta nas tensões entre os norte-americanos e o Irã.

O presidente Jair Bolsonaro esteve presente no encontro. Nesta sexta-feira (29), ele afirmou que, em conversa com a chanceler alemã, Angela Merkel, disse que o Brasil é alvo de uma "psicose ambientalista". Na quinta, o presidente brasileiro afirmou que a Alemanha tinha muito a aprender com o Brasil na preservação ambiental.

Anteriormente ao início do encontro do G20, Merkel disse que via com "grande preocupação" as ações do governo brasileiro em relação ao desmatamento e que queria conversar com Bolsonaro sobre a questão.

Na última semana, a União Europeia e o Mercosul anunciaram a conclusão do acordo comercial que já durava 20 anos. O presidente francês, Emmanuel Macron disse que um ponto importante que levou à celebração do acordo foram as garantias que Bolsonaro fez sobre meio-ambiente.

Jair Bolsonaro embarcou neste sábado (29) em Osaka com destino ao Brasil. O presidente saiu do Japão por volta das 6h e deve desembarcar na Base Aérea de Brasília no fim da manhã deste domingo (30).

Reportagem, Marquezan Araújo