Menu

ESPÍRITO SANTO: Desemprego no estado afeta mais as mulheres; 11,8% delas terminaram 2018 sem ocupação, contra 8,9% de homens

Confeiteira e parlamentar capixabas defendem ensino profissional e técnico como soluções para melhorar cenário

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Arquivo/CNI

As mulheres do Espírito Santo têm tido mais dificuldades para conquistar uma vaga no mercado de trabalho. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam que 11,8% das de mulheres capixabas terminaram o último trimestre de 2018 sem conseguir uma ocupação profissional. Isso quer dizer que 111 mil mulheres encerram o último ano desempregadas. Quando o dado diz respeito aos homens, a realidade ainda é cruel, mas a situação é menos infortuna. Ao todo, 8,9% deles terminaram 2018 em busca de emprego, o que corresponde a 104 mil pessoas.

O cenário de adversidades, porém, não impediu a capixaba Sara Silva de tentar furar a barreira do desemprego no estado. Moradora de Serra, ela não pensou duas vezes quando descobriu que uma das Unidades Móveis do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) estava de passagem pela cidade. Decidiu se capacitar. Em 2017, ela fez o curso de Confeiteiro na unidade itinerante e teve sua vida transformada para melhor. Sara, que não tinha experiência com confeitaria, encarou o desafio como uma “porta de escape” para o futuro.

“Eu não tinha experiência nenhuma. Eu aprendi tudo lá, do zero. Porque eu não tinha base nenhuma e, como eu estava desempregada, e não conseguia emprego, tratei aquilo como uma ‘porta de escape’. Foi algo que eu arrisquei. Eu não gostava, nem nada. Eu aprendi a gostar da confeitaria depois que eu comecei a fazer o curso”, conta ela. 

Dois anos depois, já trabalhando na área, Sara participou de um reality show na televisão pelo prêmio de “Confeiteiro Mais Doce do Espírito Santo” e conquistou o segundo lugar na disputa. Segundo ela, todos os conteúdos ensinados durante o período em que se especializou na Unidade Móvel do SENAI foram colocados em prática durante a disputa na televisão.

“Quando eu estava lá dentro do reality, com certeza coloquei em prática o que aprendi. Eu acredito que foi até o que me levou à final. A estrutura do SENAI é muito boa. Tive acesso à cozinha, aos melhores equipamentos, à sala de aula. Tudo era em perfeito estado”, afirma.

Educação profissional  

A deputada Federal Dra. Soraya Manato (PSL-ES) afirma que a capacitação técnica contribui para o aumento da empregabilidade. Para as mulheres, a parlamentar acredita que esse é um meio de conquistar independência financeira e afetiva. “A educação profissional é revolucionária na vida de qualquer ser humano, principalmente na vida das mulheres”, afirma. 

“Nós viemos de uma sociedade machista, e o Brasil ainda é uma sociedade machista. A educação profissional transforma, empodera a mulher. E, como hoje em dia, muitas mulheres são a renda de família, isso dá força e poder, independência”, destaca a deputada.

Unidades móveis

O SENAI do Espírito Santo possui 12 estruturas itinerantes que ofertam serviços de educação, capacitação e formação de profissionais, permitindo que qualquer pessoa tenha acesso à qualificação profissional. As unidades são veículos transformados em salas de aulas, oficinas ou laboratórios. A frota conta com equipamentos, instrumental, mobiliário, iluminação e climatização.

Somente em 2018, foram realizadas 1.200 matrículas em cursos nessas estruturas. O diretor de Gestão, Planejamento e Mercado do SENAI do Espírito Santo, Roberto Fullgraf, explica a importância dessas unidades para os capixabas.

“As unidades móveis têm o objetivo de estar mais próxima das demandas. A gente não consegue ter unidades fixas em todos os municípios do estado. Então, essas unidades móveis são justamente a presença de um SENAI mais próximo da demanda, de onde ela está. Mais próximo das indústrias, mais próximo da população que necessita de capacitação. Então é uma forma da gente levar toda formação, os serviços e produtos do SENAI e conseguir cobrir todas as regiões do estado”, explica.

Entre os cursos oferecidos nas unidades móveis estão oportunidades de capacitação em confecção, construção civil, informática, soldagem, mecânico automotivo e panificação. Além dessas estruturas itinerantes que rodam pelo estado, o SENAI possui onze unidades fixas no Espírito Santo, nas cidades de Vitória, Colatina, São Mateus, Linhares, Vila Velha, Serra, Anchieta, Cachoeiro, Aracruz e Nova Venécia.

Para mais informações sobre os cursos e a localização das Unidades Móveis do SENAI no Espírito Santo, você pode ligar para o telefone (27) 3334-5929. Para conferir as oportunidades oferecidas nas unidades fixas, basta ligar para o número (27) 3334-5929 ou acessar o site www.senai-es.org.br.
 

Paulo Henrique

Formado em Jornalismo e com Pós-Graduação em Gestão da Comunicação nas Organizações, possui experiência em redações e assessorias, atuou como estagiário na Secretaria de Saúde do Distrito Federal, no Portal R7 e na ASCOM da Câmara dos Deputados. Depois de formado, foi Assessor de Comunicação do Instituto de Migrações e Direitos Humanos e atualmente é repórter na Agência do Rádio.


Conteúdos relacionados

Cadastre-se

LOC.: As mulheres do Espírito Santo têm tido mais dificuldades para conquistar uma vaga no mercado de trabalho. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam que 11,8% das mulheres capixabas terminaram o último trimestre de 2018 sem conseguir uma ocupação profissional. Isso quer dizer que 111 mil mulheres encerram o último ano desempregadas. Quando o dado diz respeito aos homens, a realidade ainda é cruel, mas a situação é menos infortuna. 8,9% deles terminaram 2018 em busca de emprego, o que corresponde a 104 mil pessoas.

O cenário de adversidades, porém, não impediu a capixaba Sara Silva de tentar furar a barreira do desemprego no estado. Moradora de Serra, ela não pensou duas vezes quando descobriu que uma das Unidades Móveis do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) estava de passagem pela cidade e decidiu se capacitar. Em 2017, ela fez o curso de Confeiteiro na unidade itinerante e teve sua vida transformada para melhor. Sara, que não tinha experiência na área, encarou o desafio como uma “porta de escape” para o futuro.
 

TEC./SONORA: Sara Silva, confeiteira

“Eu não tinha experiência nenhuma. Eu aprendi tudo lá, do zero. Porque eu não tinha base nenhuma e, como eu estava desempregada, e não conseguia emprego, tratei aquilo como uma ‘porta de escape’. Foi algo que eu arrisquei. Eu não gostava, nem nada. Eu aprendi a gostar da Confeitaria depois que eu comecei a fazer o curso”.
 

LOC.: Dois anos depois, já trabalhando na área, Sara participou de um reality show na televisão pelo prêmio de “Confeiteiro Mais Doce do Espírito Santo” e conquistou o segundo lugar na disputa. Segundo ela, todos conteúdos ensinados durante o período em que se especializou na Unidade Móvel do SENAI foram colocados em prática durante a disputa.

TEC./SONORA: Sara Silva, confeiteira

“Quando eu estava lá dentro do reality, com certeza o que eu aprendi, eu coloquei em prática. Eu acredito que foi até o que me levou à final. A estrutura do SENAI é muito boa. Tive acesso à cozinha, aos melhores equipamentos. Sala de aula, era tudo perfeito. Tudo em perfeito estado, nada precário. Ao contrário. Tudo de alta qualidade”.
 

LOC.: O debate a respeito do fortalecimento da educação técnica também é travado quase que diariamente no Congresso Nacional, em Brasília. A deputada federal Dra. Soraya Manato (PSL-ES), por exemplo, é categórica ao afirmar que a capacitação técnica contribui para o aumento da empregabilidade. No caso das mulheres, a parlamentar acredita que esse é um meio de conquistar independência financeira e afetiva. 

TEC./SONORA: Dra. Soraya Manato (PSL-ES)

“A educação profissional é revolucionária na vida de qualquer ser humano, principalmente na vida das mulheres. Nós viemos de uma sociedade machista e o Brasil ainda é uma sociedade machista. A educação profissional transforma, empodera a mulher. E, como hoje em dia, muitas mulheres são a renda de família, isso dá força e poder, independência,”
 

Para mais informações sobre os cursos e saber se as Unidades Móveis do SENAI no Espírito Santo vão passar pela sua cidade, ligue para o telefone (27) 3334-5929 ou acesse o site senai-es.org.br.

Com a colaboração de Paulo Henrique Gomes, reportagem Tácido Rodrigues