Menu

ESPÍRITO SANTO: Estado tem mais de 2 mil litros de leite coletados em 2019

Alimento materno é o único que garante desenvolvimento imunológico de bebês prematuros

Banners
Arte: Sabrine Cruz/Agência do Rádio

De janeiro a abril de 2019, quase dois mil e trezentos litros de leite humano foram coletados no Espírito Santo, segundo dados da Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano (RBLH), ligada à Fiocruz.

A doação do alimento materno é fundamental para a vida de milhares de bebês prematuros e de baixo peso, já que só o leite humano tem os nutrientes necessários para o melhor desenvolvimento de recém-nascidos.

Uma das doadoras no estado é a camareira Cleidiane Conceição, de 35 anos, mãe de dois filhos. Quando Hugo nasceu, em 2017, Cleidiane começou a sentir dores na mama pelo excesso de produção de leite materno. Mesmo tendo consciência sobre a importância da doação, ela só teve a exata noção quando foi ao banco de leite humano pela primeira vez.

SERVIÇO: Mães podem doar leite em cinco postos no Espírito Santo

A camareira conta que chegou a doar quatro litros e meio por semana. Quanto mais estímulo de liberação a mulher tiver, seja por sucção ou manualmente, mais produção de leite materno haverá.

“Me sinto uma pessoa privilegiada, porque, às vezes, me perguntava de onde vinha tanto leite materno. Eu cheguei a tirar 15 vidros de 300ml. Então, era muito leite mesmo. Nunca me faltou leite para ele (Hugo). Mesmo eu tirando essa quantidade, era dia e noite, ele se alimentando com meu próprio leite.” 

Anualmente, no Brasil, 330 mil crianças nascem prematuras ou com baixo peso – ou seja, com menos de dois quilos e meio. Muitas delas não podem ser amamentadas pelas próprias mães e precisam de doações de leite humano para se desenvolver com saúde. 

O Ministério da Saúde, em parceria com a rede, lançou, na última semana, a Campanha Nacional de Doação de Leite Materno. Com o slogan “Doe Leite Materno, alimente a vida”, a campanha de doação visa sensibilizar as gestantes e as mulheres que amamentam a fazerem doações durante todo o ano. A meta do governo é aumentar em 15% o volume de leite materno coletado em todo o país.

De acordo com dados do Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano, de janeiro a abril de 2019, mais de 740 bebês receberam leite humano de doação no Espírito Santo, de mais de duas mil doadoras.

Um dado do Ministério da Saúde resume a importância da doação. Segundo a pasta, dependendo do peso do prematuro, 1ml já é o suficiente para nutri-lo  cada vez que for alimentado. Um pote de leite materno doado pode alimentar até 10 recém-nascidos por dia.

Para ser doadora, a mulher não pode ser fumante, precisa ter uma boa alimentação,  apresentar bons resultados nos exames de pré-natal e não estar utilizando nenhum medicamento incompatível com a amamentação e a doação. Se estiver tudo certo, os funcionários de qualquer Banco de Leite Humano fazem o cadastro da mãe e entregam todo o material necessário para a coleta, como luvas, toca e máscara.

O recolhimento em casa requer alguns cuidados de higiene da mãe, como explica a enfermeira do Banco de Leite Humano da Santa Casa Misericórdia de Vitória, Rosiane Ferreira Lucas. 

“Recomendados esterilizar o frasco em casa, fervendo por 15 minutos. Quando ela for tirar (o seu leite), amarrar o cabelo, evitar falar sobre o vidro, higienizar bem as mãos, lavar as mamas com água, não pode ser com sabão. Colocar no vidro a data da primeira coleta, e fazer a retirada. Uma coisa muito importante é sempre guardar no congelador, não pode ser embaixo, na geladeira”. 

Arte: Ítalo Novaes/Agência do Rádio Mais

No Espírito Santo, o banco de leite humano  referência no estado é o do Hospital Universitário Cassiano Antônio de Moraes, na Avenida Marechal Campos. Número 1355, no bairro de Maruípe, em Vitória. O telefone de contato é o (27) 3335-7515. Repetindo: (27) 3335-7515. Em todo o estado, são cinco bancos de leite e quatro postos de coleta de leite humano.

Doe leite materno, alimente a vida. Para mais informações, acesse saude.gov.br/doacaodeleite. 

Agência do Rádio



Cadastre-se

LOC.: De janeiro a abril de 2019, quase dois mil e trezentos litros de leite humano foram coletados no Espírito Santo, segundo dados da Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano (RBLH), ligada à Fiocruz.

A doação do alimento materno é fundamental para a vida de milhares de bebês prematuros e de baixo peso, já que só o leite humano tem os nutrientes necessários para o melhor desenvolvimento de recém-nascidos.

Uma das doadoras no estado é a camareira Cleidiane Conceição, de 35 anos, mãe de dois filhos. Quando Hugo nasceu, em 2017, Cleidiane começou a sentir dores na mama pelo excesso de produção de leite materno. Mesmo tendo consciência sobre a importância da doação, ela só teve a exata noção quando foi ao banco de leite humano pela primeira vez.

A camareira conta que chegou a doar quatro litros e meio por semana. Quanto mais estímulo de liberação a mulher tiver, seja por sucção ou manualmente, mais produção de leite materno haverá.
 

TEC/SONORA: Cleidiane Conceição, camareira.

“Me sinto uma pessoa privilegiada, porque, às vezes, me perguntava de onde vinha tanto leite materno. Eu cheguei a tirar 15 vidros de 300ml. Então, era muito leite mesmo. Nunca me faltou leite para ele (Hugo). Mesmo eu tirando essa quantidade, era dia e noite, ele se alimentando com meu próprio leite.” 
 

LOC.: Anualmente, no Brasil, 330 mil crianças nascem prematuras ou com baixo peso – ou seja, com menos de dois quilos e meio. Muitas delas não podem ser amamentadas pelas próprias mães e precisam de doações de leite humano para se desenvolver com saúde. 

O Ministério da Saúde, em parceria com a rede, lançou, na última semana, a Campanha Nacional de Doação de Leite Materno. Com o slogan “Doe Leite Materno, alimente a vida”, a campanha de doação visa sensibilizar as gestantes e as mulheres que amamentam a fazerem doações durante todo o ano. A meta do governo é aumentar em 15% o volume de leite materno coletado em todo o país.

De acordo com dados do Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano, de janeiro a abril de 2019, mais de 740 bebês receberam leite humano de doação no Espírito Santo, de mais de duas mil doadoras.

Um dado do Ministério da Saúde resume a importância da doação. Segundo a pasta, dependendo do peso do prematuro, 1ml já é o suficiente para nutri-lo  cada vez que for alimentado. Um pote de leite materno doado pode alimentar até 10 recém-nascidos por dia.

Para ser doadora, a mulher não pode ser fumante, precisa ter uma boa alimentação,  apresentar bons resultados nos exames de pré-natal e não estar utilizando nenhum medicamento incompatível com a amamentação e a doação. Se estiver tudo certo, os funcionários de qualquer Banco de Leite Humano fazem o cadastro da mãe e entregam todo o material necessário para a coleta, como luvas, toca e máscara.

O recolhimento em casa requer alguns cuidados de higiene da mãe, como explica a enfermeira do Banco de Leite Humano da Santa Casa Misericórdia de Vitória, Rosiane Ferreira Lucas. 
 

TEC/SONORA: Rosiane Ferreira Lucas, enfermeira. 

“Recomendados esterilizar o frasco em casa, fervendo por 15 minutos. Quando ela for tirar (o seu leite), amarrar o cabelo, evitar falar sobre o vidro, higienizar bem as mãos, lavar as mamas com água, não pode ser com sabão. Colocar no vidro a data da primeira coleta, e fazer a retirada. Uma coisa muito importante é sempre guardar no congelador, não pode ser embaixo, na geladeira”. 
 

LOC.: No Espírito Santo, o banco de leite humano  referência no estado é o do Hospital Universitário Cassiano Antônio de Moraes, na Avenida Marechal Campos. Número 1355, no bairro de Maruípe, em Vitória. O telefone de contato é o (27) 3335-7515. Repetindo: (27) 3335-7515. Em todo o estado, são cinco bancos de leite e quatro postos de coleta de leite humano.

Doe leite materno, alimente a vida. Para mais informações, acesse saude.gov.br/doacaodeleite.