Menu

Espírito Santo terá de qualificar 184 mil trabalhadores em profissões industriais até 2023

Segundo Mapa do Trabalho Industrial, do SENAI, áreas de metalmecânica e energia e telecomunicações demandarão técnicos capacitados em quatro anos

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Divulgação: CNI

O estado do Espírito Santo terá de qualificar 184.448 trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento entre 2019 e 2023. Os dados são do Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e divulgado nesta segunda-feira (30).

De acordo com o balanço, a demanda por formação técnica será maior nas áreas transversais; metalmecânica; energia e telecomunicações; logística e transporte; e informática. São chamados de profissionais transversais aqueles que trabalham em qualquer segmento, como técnicos em eletrotécnica e técnicos de controle da produção.

O gerente de novos produtos e inteligência de mercado do SESI/SENAI-ES, Flávio Gustavo Rodrigues, afirma que essas exigências serão cada vez mais frequentes, principalmente pela demanda trazida pela Indústria 4.0. O gestor explica que esse movimento exige uma qualificação tecnológica específica.

“Esse processo produtivo engloba cada vez mais o trabalho de técnicos. Isso deixa a indústria mais competitiva e mais produtiva. Essas mudanças estão exigindo novos profissionais”, aponta.

A qualificação demandada para esses setores, segundo Flávio, pode ser adquirida em cursos oferecidos pelo SENAI no estado. 

“A gente percebe que, cada vez mais, a indústria e os trabalhadores estão pressionando essa demanda para cursos de aperfeiçoamento e qualificação abaixo de 200 horas. Isso acontece porque eles estão buscando mais rapidez na formação e mais rapidez em uma possível recolocação ou melhoria na situação de trabalho atual”, completa.

Arte: Sabrine Cruz e Italo Novais/Agência do Rádio Mais

Arte: Sabrine Cruz e Italo Novais/Agência do Rádio Mais

Mecânica

Segundo o Mapa do Trabalho Industrial, precisarão ser capacitados no estado, até 2023, 2.715 técnicos de planejamento e controle de produção e 2.017 técnicos mecânicos na fabricação e montagem de máquinas, sistemas e instrumentos. 

Para o presidente do Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios do Espírito Santo (Sindirepa-ES), Eduardo Dalla Mura do Carmo, as frequentes mudanças no processo produtivo exigem profissionais cada vez mais qualificados.

“Sem capacitação e treinamento, não há condições para se adaptar a um negócio ou trabalho. A medida é fundamental. O trabalhador não tem outra opção a não ser se aperfeiçoar e se qualificar”, ressalta.

Para a deputada federal Soraya Manato (PSL-ES), com esse preparo, os jovens conseguem dar os primeiros passos em busca de uma carreira promissora na mercada de trabalho.

“A educação profissional é revolucionária na vida de qualquer ser humano. Cursar o ensino técnico é um passo para conseguir emprego. Além disso, o profissional capacitado já pode galgar o crescimento dentro da própria empresa”, salienta a parlamentar.

Qualificação Profissional

O Mapa do Trabalho Industrial mostra ainda que, entre as ocupações que exigem cursos de qualificação e que mais vão demandar profissionais capacitados, estão as de mecânicos de manutenção de máquinas industriais (5.233) e operadores de máquinas para costura de peças do vestuário (4.219).

Já a demanda por capacitação de profissionais com formação técnica no Espírito Santo será maior nas áreas transversais; metalmecânica; energia e telecomunicações; logística e transporte; e informática. São chamados de profissionais transversais aqueles que trabalham em qualquer segmento, como técnicos em eletrotécnica e técnicos de controle da produção.

Os jovens que tiverem interesse em uma dessas áreas podem acessar o site sistemafindes.org.br ou comparecer a uma das unidades do SENAI espalhadas pelo estado. Mais informações podem ser consultadas pelo telefone (27) 3334-5600.
 

Paulo Henrique

Formado em Jornalismo e com Pós-Graduação em Gestão da Comunicação nas Organizações, possui experiência em redações e assessorias, atuou como estagiário na Secretaria de Saúde do Distrito Federal, no Portal R7 e na ASCOM da Câmara dos Deputados. Depois de formado, foi Assessor de Comunicação do Instituto de Migrações e Direitos Humanos e atualmente é repórter na Agência do Rádio.


Cadastre-se

LOC.: O estado do Espírito Santo terá de qualificar 184.448 trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento entre 2019 e 2023. Os dados são do Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e divulgado nesta segunda-feira (30).

De acordo com o balanço, a demanda por formação técnica será maior nas áreas transversais; metalmecânica; energia e telecomunicações; logística e transporte; e informática. São chamados de profissionais transversais aqueles que trabalham em qualquer segmento, como técnicos em eletrotécnica e técnicos de controle da produção.

O gerente de novos produtos e inteligência de mercado do SESI/SENAI-ES, Flávio Gustavo Rodrigues, afirma que essas exigências serão cada vez mais frequentes, principalmente pela demanda trazida pela Iindústria 4.0. O gestor explica que esse movimento exige uma qualificação tecnológica específica.

TEC./SONORA: Flávio Gustavo Rodrigues, gerente de novos produtos e inteligência de mercado do SESI/Senai ES
 

“A gente percebe que, cada vez mais, a indústria e os trabalhadores estão pressionando essa demanda para cursos de aperfeiçoamento e qualificação abaixo de 200 horas. Isso acontece porque eles estão buscando mais rapidez na formação e mais rapidez em uma possível recolocação ou melhoria na situação de trabalho atual.”

LOC.: Segundo o Mapa do Trabalho Industrial, precisarão ser capacitados no estado, até 2023, 2.715 técnicos de planejamento e controle de produção e 2.017 técnicos mecânicos na fabricação e montagem de máquinas, sistemas e instrumentos. 

Para o presidente do Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios do Espírito Santo (Sindirepa-ES), Eduardo Dalla Mura do Carmo, as frequentes mudanças no processo produtivo exigem profissionais cada vez mais qualificados.

TEC./SONORA: Eduardo Dalla Mura do Carmo, presidente do Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios do Espírito Santo (Sindirepa-ES)
 

“Sem capacitação e treinamento, não há condições para se adaptar a um negócio ou trabalho. A medida é fundamental. O trabalhador não tem outra opção a não ser se aperfeiçoar e se qualificar.”

LOC.: Para a deputada federal Soraya Manato (PSL-ES), com esse preparo, os jovens conseguem dar os primeiros passos em busca de uma carreira promissora no mercado de trabalho.

TEC./SONORA: Soraya Manato (PSL-ES)
 

“A educação profissional é revolucionária na vida de qualquer ser humano. Cursar o ensino técnico é um passo para conseguir emprego. Além disso, o profissional capacitado já pode galgar o crescimento dentro da própria empresa.”

LOC.: Segundo o Mapa do Trabalho Industrial, a capacitação de profissionais com formação técnica no Espírito Santo será maior nas áreas transversais; metalmecânica; energia e telecomunicações; logística e transporte; e informática.

Os jovens que tiverem interesse em uma dessas áreas podem acessar o site sistemafindes.org.br ou comparecer a uma das unidades do SENAI espalhadas pelo estado. Mais informações podem ser consultadas pelo telefone (27) 3334-5600. Repetindo: (27) 3334-5600.

Com a colaboração de Juliana Gonçalves, reportagem, Paulo Henrique Gomes