Menu

Esportistas com apoio do governo federal conquistaram bons resultados no Pan de Lima

Com as conquistas pan-americanas, o Brasil já têm garantidas 104 vagas para as Olimpíadas de Tóquio

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Créditos: Abelardo Mendes JR. - Rede do Esporte

Os jogos Pan-Americanos terminaram e o Brasil tem motivos de sobra para se orgulhar e acreditar em um bom desempenho nas Olimpíadas de Tóquio, no ano que vem. Nos jogos de Lima, no Peru, o time brasileiro conseguiu alcançar uma marca após 56 anos, terminando a competição no segundo lugar no quadro de medalhas. Com recordes nos números de medalhas de ouro, 29 vagas olímpicas foram garantidas durante a disputa. E parte desse resultado pode ser explicado por conta dos atletas contemplados pelo Bolsa Atleta, programa federal de incentivo a atletas de alto rendimento.

Ao todo, o Brasil subiu ao pódio 171 vezes nos jogos Pan-Americanos deste ano, 55 delas para receber a medalha de ouro. Foram 41 modalidades premiadas com medalhas, sendo que 22 delas obtiveram pelo menos uma de ouro. Desse total, 80% das medalhas conquistadas durante o torneio foram de atletas que são beneficiados pelo projeto da Secretaria Especial do Esporte.

Segundo o COB, dos 485 atletas inscritos no Pan, 333 deles receberam o apoio. No pódio, 141 dos 171 atletas foram contemplados com o programa, que hoje auxilia 6.199 esportistas de diferentes modalidades, de acordo com a entidade.

Entre os esportes que garantiram vagas para as olimpíadas de Tóquio, estão tiro com arco, vela, hipismo em saltos, Concurso Completo de Equitação (CCE) e adestramento, pentatlo moderno com Iêda Guimarães, tênis com João Menezes e Hugo Calderano no tênis de mesa. O handebol feminino manteve sua tradição vencedora, venceu o Pan pela sexta vez consecutiva e foi outra modalidade que confirmou presença nos Jogos Olímpicos.

Rafaela Silva, do judô, Isaquias Queiroz, da canoagem, também se classificaram. Ana Marcela Cunha chegou aos jogos de Lima classificada para Tóquio por conta do bom desempenho no Mundial de Maratona Aquática, mas nem por isso deu moleza. Ficou com o ouro na prova de 10km e é uma das esperanças de medalha para o Brasil no ano que vem. Com as conquistas em Lima, o Brasil já têm garantidas 104 vagas para Tóquio no ano vem.

Raphael Costa

O repórter Raphael Costa formou-se em 2015 no Centro Universitário de Brasília (CEUB), mas deu início à sua carreira anteriormente. Originalmente paulista, começou em um programa de Rádio e TV local, até se mudar para Brasília. Com cerca de três anos de casa, é a voz que noticia esportes, agricultura e economia.


Cadastre-se

Os jogos Pan-Americanos terminaram e o Brasil tem motivos de sobra para se orgulhar e acreditar em um bom desempenho nas Olimpíadas de Tóquio, no ano que vem. Nos jogos de Lima, no Peru, o time brasileiro conseguiu alcançar uma marca após 56 anos, terminando a competição no segundo lugar no quadro de medalhas. Com recordes nos números de medalhas de ouro, 29 vagas olímpicas foram garantidas durante a disputa. E parte desse resultado pode ser explicado por conta dos atletas contemplados pelo Bolsa Atleta, programa federal de incentivo a atletas de alto rendimento.

Ao todo, o Brasil subiu ao pódio 171 vezes nos jogos Pan-Americanos deste ano, 55 delas para receber a medalha de ouro. Foram 41 modalidades premiadas com medalhas, sendo que 22 delas obtiveram pelo menos uma de ouro. Desse total, 80% das medalhas conquistadas durante o torneio foram de atletas que são beneficiados pelo projeto da Secretaria Especial do Esporte.

Segundo o COB, dos 485 atletas inscritos no Pan, 333 deles receberam o apoio. No pódio, 141 dos 171 atletas foram contemplados com o programa, que hoje auxilia 6.199 esportistas de diferentes modalidades, de acordo com a entidade.

Entre os esportes que garantiram vagas para as olimpíadas de Tóquio, estão tiro com arco, vela, hipismo em saltos, Concurso Completo de Equitação (CCE) e adestramento, pentatlo moderno com Iêda Guimarães, tênis com João Menezes e Hugo Calderano no tênis de mesa. O handebol feminino manteve sua tradição vencedora, venceu o Pan pela sexta vez consecutiva e foi outra modalidade que confirmou presença nos Jogos Olímpicos.

Rafaela Silva, do judô, Isaquias Queiroz, da canoagem, também se classificaram. Ana Marcela Cunha chegou aos jogos de Lima classificada para Tóquio por conta do bom desempenho no Mundial de Maratona Aquática, mas nem por isso deu moleza. Ficou com o ouro na prova de 10km e é uma das esperanças de medalha para o Brasil no ano que vem. Com as conquistas em Lima, o Brasil já têm garantidas 104 vagas para Tóquio no ano vem.

Reportagem, Raphael Costa