Menu

Estimativa para milho safrinha sobe segundo Conab

Suspensão de exportação de carnes a China causa férias coletivas em fábrica de SP

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Créditos: Wenderson Araujo -CNA

A safra do milho safrinha está a caminho e a perspectiva é a melhor possível em termos de resultados. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento, em seu novo relatório mensal, a estimativa subiu mais uma vez. Agora, espera-se que a colheita de 2019 seja 31% que a do ano passado. Quem vai nos detalhar de quanto será a produção, quais as expectativas para ela é a jornalista Carla Mendes, do Notícias Agrícolas.

“Realmente, a safrinha desse ano surpreendeu, nós temos um investimento maior do produtor brasileiro na segunda safra de milho este ano, aumentou a área. Segundo a Conab, a segunda safra de milho do Brasil deve alcançar 70,67 milhões de toneladas. Como você adiantou, representa um aumento de 31% em comparação a safrinha de 2018 e também é maior que a média dos últimos cinco anos que é de 53,13 milhões de toneladas. Então temos uma perspectiva muito boa para a safrinha, que será maior que a primeira safra.”

Agora falando de coisas não tão boas. O caso de vaca louca registrada no Mato Grosso ainda causa problemas nas negociações brasileiras de pecuária. Com a suspensão das exportações de carne bovina, a empresa Minerva terá que dar férias coletivas à um grande número de funcionários. Quantos funcionários entrarão nessas férias e por quanto tempo, Carla? Nos dê mais informações sobre essa situação delicada.

“Nós temos os efeitos mais sérios, que começam a aparecer. Essa fábrica, que fica em Barreto, em São Paulo, vai dar férias coletivas para 635 funcionários entre os dias 17 e 30 de junho, que é o período que vai coincidir com as suspensões das exportações para China. Como eu disse, os efeitos mais graves que afetam os empregos e as pessoas empregadas começam a aparecer."

Obrigado pelos esclarecimentos, Carla. Quem quiser saber mais novidades do agronegócio é só acessar o Notícias Agrícolas, certo?

“É isso mesmo. Para quem quiser saber mais sobre o agronegócio brasileiro e mundial: noticiasagricolas.com.br. Até a próxima, Raphael".

Raphael Costa

O repórter Raphael Costa formou-se em 2015 no Centro Universitário de Brasília (CEUB), mas deu início à sua carreira anteriormente. Originalmente paulista, começou em um programa de Rádio e TV local, até se mudar para Brasília. Com cerca de três anos de casa, é a voz que noticia esportes, agricultura e economia.


Cadastre-se

A safra do milho safrinha está a caminho e a perspectiva é a melhor possível em termos de resultados. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento, em seu novo relatório mensal, a estimativa subiu mais uma vez. Agora, espera-se que a colheita de 2019 seja 31% que a do ano passado. Quem vai nos detalhar de quanto será a produção, quais as expectativas para ela é a jornalista Carla Mendes, do Notícias Agrícolas.

“Realmente, a safrinha desse ano surpreendeu, nós temos um investimento maior do produtor brasileiro na segunda safra de milho este ano, aumentou a área. Segundo a Conab, a segunda safra de milho do Brasil deve alcançar 70,67 milhões de toneladas. Como você adiantou, representa um aumento de 31% em comparação a safrinha de 2018 e também é maior que a média dos últimos cinco anos que é de 53,13 milhões de toneladas. Então temos uma perspectiva muito boa para a safrinha, que será maior que a primeira safra.”

Agora falando de coisas não tão boas. O caso de vaca louca registrada no Mato Grosso ainda causa problemas nas negociações brasileiras de pecuária. Com a suspensão das exportações de carne bovina, a empresa Minerva terá que dar férias coletivas à um grande número de funcionários. Quantos funcionários entrarão nessas férias e por quanto tempo, Carla? Nos dê mais informações sobre essa situação delicada.

“Nós temos os efeitos mais sérios, que começam a aparecer. Essa fábrica, que fica em Barreto, em São Paulo, vai dar férias coletivas para 635 funcionários entre os dias 17 e 30 de junho, que é o período que vai coincidir com as suspensões das exportações para China. Como eu disse, os efeitos mais graves que afetam os empregos e as pessoas empregadas começam a aparecer."

Obrigado pelos esclarecimentos, Carla. Quem quiser saber mais novidades do agronegócio é só acessar o Notícias Agrícolas, certo?

“É isso mesmo. Para que quiser saber mais sobre o agronegócio brasileiro e mundial: noticiasagricolas.com.br. Até a próxima, Raphael.”