Menu

Estudante do RJ conquista medalha de bronze para o Brasil na WorldSkills, maior competição de profissões técnicas do mundo

No Congresso Nacional, parlamentar do RJ ressaltara que educação profissional é um ótimo instrumento para se alcançar cidadania e valorização

Banners
Foto: Flickr CNI

Das 13 medalhas conquistadas pelo Brasil na WorldSkills 2019, competição conhecida como o mundial das profissões, uma de bronze foi adquirida pelo fluminense Ralph de Souza Crespo, de 21 anos. O jovem concorreu na categoria de soldagem – área do curso que concluiu em 2016, no SENAI de Campos Goytacazes.

Na seletiva da WorldSkills, Ralph disputou com estudantes de 10 estados e superou, inclusive, competidores do Rio Grande do Norte, estado invicto na categoria desde 2011.

O estudante conta que no dia da premiação da WorldSkills, em Kazan, na Rússia, não conteve a emoção ao se dar conta de que estava entre os três melhores competidores da categoria. Mas o medalhista reconheceu o esforço que fez para conquistar o êxito.

 “A cada dia de prova, a confiança aumentava. O resultado vem quando a gente consegue fazer uma boa prova e colocar em prática tudo que aprendemos no treinamento”, conta.

Repercussão no Congresso Nacional

A conquista das medalhas pelos estudantes brasileiros repercutiu entre os parlamentares no Congresso Nacional. A deputada federal Rosangela Gomes (Republicanos-RJ) destacou a importância que a educação profissional tem na formação dos jovens.

“O jovem precisa de oportunidade. A educação profissional é um ótimo instrumento para alcançarmos cidadania e valorização”, opina a parlamentar.

Desempenho brasileiro
A delegação brasileira tem se estabelecido entre as equipes mais vitoriosas da WorldSkills. Foi a campeã na edição ocorrida em São Paulo, em 2015. Na edição de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, em 2017, alcançou o segundo lugar. Em 2019, além das 13 medalhas, a delegação tupiniquim garantiu, ainda, 28 certificados de excelência, em 28 ocupações técnicas profissionais.

Na edição deste ano, 1.354 jovens de 63 países participaram do torneio. O Brasil ficou em terceiro lugar na classificação geral. A China, que sediará a próxima WorldSkills, em 2021, na cidade de Xangai, ficou em primeiro lugar. A Rússia, anfitriã do torneio, conquistou a segunda posição.
 

Juliana Gonçalves

A carreira jornalística de Juliana deu início com assessoria de imprensa. Após um tempo, entrou como estagiária na redação da Agência do Rádio. Trabalhou, também, na TV Band com foco em política por um tempo e voltou para nossa redação como repórter em 2018.


Cadastre-se

LOC.: Das 13 medalhas conquistadas pelo Brasil na WorldSkills 2019, competição conhecida como o mundial das profissões, uma de bronze foi adquirida pelo fluminense Ralph de Souza Crespo, de 21 anos. O jovem concorreu na categoria de soldagem – área do curso que concluiu em 2016, no SENAI de Campos Goytacazes.

Na seletiva da WorldSkills, Ralph disputou com estudantes de dez estados e superou, inclusive, competidores do Rio Grande do Norte, estado invicto na categoria desde 2011.

O estudante conta que no dia da premiação da WorldSkills, em Kazan, na Rússia, não conteve a emoção ao se dar conta de que estava entre os três melhores competidores da categoria. Mas, o medalhista reconheceu o esforço que fez para conquistar o êxito.
 

TEC/SONORA: Ralph de Souza Crespo, estudante, 21 anos

“A cada dia de prova a confiança aumentava. O resultado vem quando a gente consegue fazer uma boa prova e colocar em prática tudo que aprendemos no treinamento.”
 

LOC: A conquista das medalhas pelos estudantes brasileiros repercutiu entre os parlamentares no Congresso Nacional. A deputada federal Rosangela Gomes (Republicanos-RJ) elogiou o feito e destacou a importância que a educação profissional tem na formação dos jovens.

TEC/SONORA: Deputada federal Rosangela Gomes (Republicanos-RJ)

“O jovem precisa de oportunidade. A educação profissional é um ótimo instrumento para alcançarmos a cidadania e valorização.”
 

LOC.: A delegação brasileira tem se estabelecido entre as equipes mais vitoriosas da WorldSkills. Foi a campeã na edição ocorrida em São Paulo, em 2015. Na edição de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, em 2017, alcançou o segundo lugar. Em 2019, além das 13 medalhas, a delegação tupiniquim garantiu, ainda, 28 certificados de excelência, em 28 ocupações técnicas profissionais.

Na edição deste ano, 1.354 jovens de 63 países participaram do torneio. O Brasil ficou em terceiro lugar na classificação geral. A China, que sediará a próxima WorldSkills, em 2021, na cidade de Xangai, ficou em primeiro lugar. A Rússia, anfitriã do torneio, conquistou a segunda posição.

Reportagem, Juliana Gonçalves