Menu

Estudantes de Araras (SP) se classificam para torneio mundial de robótica

Com 2º lugar no pódio, Los Atômicos se classificou com redutor de bactérias em astronautas. Com o projeto Power Clean, time garantiu vaga no World Festival.

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Equipe Los Atômicos do SESI Araras ficou em 2º lugar no Torneio Nacional SESI de robótica  / Foto: arquivo pessoal

A equipe “Los Atômicos” do Serviço Social da Indústria (SESI) de Araras (SP) conquistou o segundo lugar no Torneio SESI de Robótica FIRST® LEGO® League. A competição, que exigiu ideias para melhorar o trabalho de astronautas no espaço, reuniu mais de mil estudantes de 9 a 18 anos, no último fim de semana, no Rio de Janeiro (RJ).

Com a segunda posição no pódio, os jovens da cidade se classificaram para o World Festival, considerado o mundial de robótica. O campeonato vai ocorrer entre os dias 17 e 20 de abril próximo, na cidade de Houston, nos Estados Unidos.

No Rio, a equipe apresentou o Projeto de Pesquisa Power Clean (energia limpa, em inglês). É um dispositivo que reduz as bactérias dos astronautas. A técnica do time, Ana Paula Carrocci, explica como funciona o objeto, que consagrou a escola no cenário nacional.

“É um dispositivo que cuida da higiene dos astronautas. É para reduzir as bactérias dos astronautas no espaço. Nós fizemos um protótipo composto por lâmpadas de LED para reduzir as bactérias. Também é composto por um papel umedecido que tem um aromatizador. [O protótipo] também tem uma escova para tirar os resíduos sólidos. Devido às várias pesquisas que os alunos fizeram, percebemos que os astronautas demoram de três a quatro dias para trocar as roupas íntimas no espaço”, explica a técnica.

Ana Paula lembra que uma competidora serviu de cobaia para um teste do Power Clean. “Nós tínhamos uma declaração comprovando os benefícios do Power Clean, que eliminou as bactérias. A Marina, que é uma integrante nossa, fez o teste. Ela ficou sete dias com uma camiseta e depois, ela passou no microscópio científico de uma universidade. E viu realmente quantas bactérias tinha, e quais as doenças poderiam causar essas bactérias. Então, tudo isso foi estudado e pesquisado”, conta.

Los Atômicos do SESI Araras (SP) ficaram com o troféu de 2º lugar / Foto: SESI-SP

O pódio foi completado por outras duas equipes do SESI-SP. O primeiro lugar foi para os “Jedi’s”, da escola de Jundiaí (SP); e os competidores da “Red Rabbit”, de Americana (SP), ficaram em terceiro lugar. Os três times garantiram vaga para disputarem o World Festival.

Vitória Moreno, 19 anos, disputou com os outros seis colegas competidores da Los Atômicos. Para ela, a preparação intensa os ajudou na corrida.

“Nós nos dedicamos muito o ano todo, treinando todos os dias, de uma da tarde até às oito da noite. Nós realmente nos doamos muito para a equipe. Estávamos focados no nosso objetivo. No ano passado, nós fomos até o torneio nacional, mas batemos na trave não conseguindo a classificação. Então, este ano nós viemos com o foco total para conseguir a nossa vaga no World Festival. Pelo esforço de todos, nós conseguimos”, afirma.

O torneio

A temporada 2018/2019 teve o tema “IntoOrbit”, que em inglês significa “na órbita”, mais precisamente no espaço sideral. As equipes precisaram resolver um conjunto de problemas do mundo real, os mesmos vivenciados por profissionais como cientistas e engenheiros, para melhorarem o trabalho feito no espaço. 

A competição busca incentivar o contato de estudantes com o mundo da ciência e da tecnologia de forma divertida.

O torneio foi criado em 1998 pela FIRST – uma organização não governamental – em parceria com o Grupo LEGO. Tudo isso por meio do desenvolvimento de robôs com peças da tecnologia LEGO Mindstorm. Desde 2013, o SESI é a instituição brasileira responsável por organizar as etapas regional e nacional do torneio.

Quer saber mais sobre robótica?
Acesse: http://www.portaldaindustria.com.br/sesi/canais/torneio-de-robotica/
 

Pedro Marra

O jovem jornalista chegou à redação recém-formado e compõe a nossa equipe desde 2018. Com a experiência de ter sido repórter de esportes e cidades no Jornal de Brasília, suas pautas preferidas são educação e investigação.


Cadastre-se

LOC.: A equipe “Los Atômicos”, composta de estudantes do SESI de Araras (SP), conquistou o segundo lugar no Festival SESI de Robótica 2019. O torneio, que exigiu ideias para melhorar o trabalho de astronautas no espaço, reuniu mais de mil estudantes de 9 a 18 anos, no último fim de semana, na cidade do Rio de Janeiro. 

Mas a segunda posição no pódio não desanimou a equipe. Isso porque ela garantiu uma vaga no World Festival, considerado o mundial de robótica. O campeonato ocorre entre os próximos dias 17 e 20 de abril na cidade de Houston, nos Estados Unidos.

Na competição, os estudantes de Araras apresentaram o projeto de pesquisa Power Clean, que significa energia limpa, em inglês. É um dispositivo que reduz as bactérias dos astronautas com o uso de lâmpadas de LED. Além disso, conta com um papel umedecido que funciona como um aromatizador artificial. O Projeto de Pesquisa ainda tem uma escova para tirar os resíduos sólidos. 

A técnica do time, Ana Paula Carrocci, lembra que uma competidora serviu de cobaia para um teste do Power Clean.

TEC./SONORA: Ana Paula Carrocci, técnica.

“Nós tínhamos uma declaração comprovando os benefícios do Power Clean, que eliminou as bactérias. A Marina, que é uma integrante nossa, fez o teste. Ela ficou sete dias com uma camiseta e depois, ela passou no microscópio científico de uma universidade. E viu realmente quantas bactérias tinha, e quais as doenças poderiam causar essas bactérias. Então, tudo isso foi estudado e pesquisado.”
 

LOC.: O pódio foi completado por outras duas equipes do SESI-SP. O 1º lugar foi para os Jedi’s da escola de Jundiaí (SP); já o 3º lugar ficou com os competidores da Red Rabbit, de Americana (SP). Os três times paulistas garantiram vaga para disputarem o World Festival. Para a competidora da Los Atômicos, Vitória Moreno, 19 anos, a preparação intensa foi o que ajudou a equipe na competição.

TEC./SONORA: Vitória Moreno, estudante

“Nós nos dedicamos muito o ano todo, treinando todos os dias, de uma [da tarde] até às oito da noite. A gente realmente se doou muito para a equipe. Estávamos focados no nosso objetivo. Porque, no ano passado, nós fomos até o torneio nacional, mas batemos na trave não conseguindo a classificação. Então, esse ano nós viemos com o foco total para conseguir a nossa vaga no World Festival. Pelo esforço de todos, a gente conseguiu.”
 

LOC.: O torneio foi criado em 1998 pela FIRST – uma organização não governamental – em parceria com o Grupo LEGO. Os Los Atômicos e demais equipes tiveram de usar peças para o desenvolvimento dos robôs. Sim, aqueles famosos brinquedos de encaixe. Desde 2013, o SESI é a instituição brasileira responsável por organizar as etapas regional e nacional do torneio.

Reportagem, Pedro Marra