Menu

EUA tira o Brasil da lista de países em desenvolvimento

Além do Brasil, mais 18 países como a África do Sul, China, Índia e Colômbia também foram retirados

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Alan Santos

O Departamento de Comércio dos EUA publicou uma nota nesta segunda-feira(10), informando que retirou o Brasil da lista de países que estão em desenvolvimento. Além do Brasil, mais 18 países como a África do Sul, China, Índia e Colômbia também foram retirados.  

Na nota, o Departamento de Comércio disse que a decisão foi motivada por pedidos de adesão à Organização para Cooperação de Desenvolvimento Econômico (OCDE). Outros fatores também influenciaram na decisão como fatores econômicos, comerciais, nível de desenvolvimento de um país e a participação no comércio mundial.

Com essa ação, o tratamento preferencial dado a esses países em negociações pode diminuir. Entre os benefícios que essas nações podem perder estão prazos maiores para negociar, vantagens tarifárias e acesso a mercados. Essa medida diminuirá também as barreiras para que Donald Trump, presidente dos EUA, investigue casos de exportação subsidiada em outros países.

No ano passado, o presidente Jair Bolsonaro foi até Washington pedir apoio do presidente Trump para a entrada do Brasil na OCDE. Em troca, Trump pediu que o país abrisse mão de tratamento preferencial na organização Mundial do Comércio.

Até o momento, o governo brasileiro não se pronunciou sobre a decisão dos EUA.

Reportagem, Tainá Ferreira
 

Tainá Ferreira

Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB), Tainá começou na Empresa Júnior Movimento e depois atuou na TV universitária UnBTV. Depois de um tempo entrou para a redação do jornal Correio Braziliense e, após a experiência, partiu para a assessoria de imprensa.


Conteúdos relacionados

Cadastre-se

LOC: O Departamento de Comércio dos EUA publicou uma nota nesta segunda-feira(10), informando que retirou o Brasil da lista de países que estão em desenvolvimento. Além do Brasil, mais 18 países como a África do Sul, China, Índia e Colômbia também foram retirados.  

Na nota, o Departamento de Comércio disse que a decisão foi motivada por pedidos de adesão à Organização para Cooperação de Desenvolvimento Econômico (OCDE). Outros fatores também influenciaram na decisão como fatores econômicos, comerciais, nível de desenvolvimento de um país e a participação no comércio mundial.

Com essa ação, o tratamento preferencial dado a esses países em negociações pode diminuir. Entre os benefícios que essas nações podem perder estão prazos maiores para negociar, vantagens tarifárias e acesso a mercados. Essa medida diminuirá também as barreiras para que Donald Trump, presidente dos EUA, investigue casos de exportação subsidiada em outros países.

No ano passado, o presidente Jair Bolsonaro foi até Washington pedir apoio do presidente Trump para a entrada do Brasil na OCDE. Em troca, Trump pediu que o país abrisse mão de tratamento preferencial na organização Mundial do Comércio.

Até o momento, o governo brasileiro não se pronunciou sobre a decisão dos EUA.

Reportagem, Tainá Ferreira