Menu

Ex-ministro acredita que novo Congresso Nacional deve agilizar aprovação de pautas ‘importantes’ para crescimento industrial

Marcos Pereira acredita que aprovação das reformas da Previdência e Tributária são essenciais para aumento da produção e emprego na indústria

Banners
Deputado Federal, Marcos Pereira (PRB-SP)

A produção industrial registrou pequena alta de 0,2%, em dezembro de 2018, em comparação com números do mesmo mês de 2017. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE).

Durante o ano, o país registrou números positivos na produção industrial que teve aumento superior a 1%. No entanto, o número foi menor quando comparado ao desempenho industrial de 2017, que foi de 2,5%.

A economia do país precisa contar com forte produção industrial para garantir o crescimento pleno de emprego e renda. Para isso, os ambientes de negócios devem ser favoráveis ao investimento na produção.

O deputado federal e ex-ministro da Indústria e Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira (PRB-SP), alerta que, o aumento dos investimentos na produção industrial só será possível após a aprovação das reformas da Previdência e Tributária no Congresso Nacional. “Porque feita a Previdência é possível começar a dialogar a reforma tTributária, nós teremos aí uma melhoria significativa no ambiente de negócios. E desburocratizar toda a máquina pública, toda a máquina federal revisando as instruções normativas, revisando as portarias”.

O deputado Marcos Pereira é otimista e acredita que as pautas necessárias para o crescimento da produção industrial possam ser aprovadas pelos atuais congressistas.

No governo passado, por exemplo, as reformas da Previdência e Tributária foram aprovadas nas comissões da Câmara dos Deputados e os textos foram encaminhados para a Mesa Diretora. Mas a presidência da Casa não conseguiu colocar as matérias em votação no Plenário por falta de acordo entre os partidos.

Com a renovação dos cargos no Congresso Nacional, Pereira vê oportunidade de as reformas serem aprovadas, já no início do governo Bolsonaro.  

“Eu acho que o novo Congresso é mais liberal, mais voltado para o setor produtivo, para a liberação da economia, menos ideologizado, até porque o governo do presidente Bolsonaro vai nessa linha também, então, eu acho que nós teremos condições e ambiente para aprovar essas pautas”, explica Marcos Pereira.

O governo deve enviar o projeto da reforma da Previdência ao Congresso Nacional na próxima quarta-feira (20).

O texto foi aprovado pelo presidente Bolsonaro e prevê, entre outras medidas, mudança na idade mínima para aposentadoria do trabalhador de 65 anos, para homens, e 62, para mulheres.  

A reforma tributária ainda não tem data para ser apresentada pela equipe econômica do governo. 


Comente...

Cadastre-se

LOC.: O deputado federal e ex-ministro da Indústria e Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, do PRB de São Paulo, acredita que o novo Congresso Nacional deve aprovar as pautas que são importantes para o crescimento da produção industrial no país logo no começo do governo do presidente Bolsonaro.

Em dezembro, a produção industrial registrou pequena alta de 0,2%, em comparação com números do mesmo mês de 2017. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE).

Durante o ano, o país registrou números positivos na produção industrial que teve aumento superior a 1%. No entanto, o número foi menor quando comparado ao desempenho industrial de 2017, que foi de 2,5%.

A economia do país precisa contar com forte produção industrial para garantir o crescimento pleno de emprego e renda e, para isso, as aprovações das reformas da previdência e tributária são essenciais, como explica o deputado Marcos Pereira.

TEC./SONORA: Deputado Federal, Marcos Pereira (PRB-SP)

“Com a reforma da Previdência e na sequência a reforma Tributária, porque feita a Previdência é possível começar a dialogar a reforma Tributária, nós teremos aí uma melhoria significativa no ambiente de negócios. E desburocratizar toda a máquina pública, toda a máquina federal revisando as instruções normativas, revisando as portarias.”
 

LOC.: No governo passado do ex-presidente Temer, por exemplo, as reformas da Previdência e Tributária foram aprovadas nas comissões da Câmara dos Deputados e os textos foram encaminhados para a Mesa Diretora.

Mas a presidência da Casa não conseguiu colocar as matérias em votação no Plenário por falta de acordo entre os partidos.

O deputado Marcos Pereira ressalta que o perfil dos “novos” congressistas que compõem o novo Congresso Nacional é favorável às políticas econômicas que impulsionam a produção industrial e o emprego.

TEC./SONORA: Deputado Federal, Marcos Pereira (PRB-SP)

“Eu acho que o novo Congresso é mais liberal, mais voltado para o setor produtivo, para a liberação da economia, menos ideologizado, até porque o governo do presidente Bolsonaro vai nessa linha também, então, eu acho que nós teremos condições e ambiente para aprovar essas pautas.”
 

LOC.: O governo deve enviar o projeto da reforma da Previdência ao Congresso Nacional na próxima quarta-feira (20).

O texto foi aprovado pelo presidente Bolsonaro e prevê, entre outras medidas, mudança na idade mínima para aposentadoria do trabalhador de 65 anos, para homens, e 62, para mulheres.  

A reforma tributária ainda não tem data para ser apresentada pela equipe econômica do governo.

Reportagem, Cristiano Carlos