Menu

Ex-ministro acredita que novo Congresso Nacional deve agilizar aprovação de pautas ‘importantes’ para crescimento industrial

Marcos Pereira acredita que aprovação das reformas da Previdência e Tributária são essenciais para aumento da produção e emprego na indústria

Banners
Deputado Federal, Marcos Pereira (PRB-SP)

A produção industrial registrou pequena alta de 0,2%, em dezembro de 2018, em comparação com números do mesmo mês de 2017. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE).

Durante o ano, o país registrou números positivos na produção industrial que teve aumento superior a 1%. No entanto, o número foi menor quando comparado ao desempenho industrial de 2017, que foi de 2,5%.

A economia do país precisa contar com forte produção industrial para garantir o crescimento pleno de emprego e renda. Para isso, os ambientes de negócios devem ser favoráveis ao investimento na produção.

O deputado federal e ex-ministro da Indústria e Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira (PRB-SP), alerta que, o aumento dos investimentos na produção industrial só será possível após a aprovação das reformas da Previdência e Tributária no Congresso Nacional. “Porque feita a Previdência é possível começar a dialogar a reforma tTributária, nós teremos aí uma melhoria significativa no ambiente de negócios. E desburocratizar toda a máquina pública, toda a máquina federal revisando as instruções normativas, revisando as portarias”.

O deputado Marcos Pereira é otimista e acredita que as pautas necessárias para o crescimento da produção industrial possam ser aprovadas pelos atuais congressistas.

No governo passado, por exemplo, as reformas da Previdência e Tributária foram aprovadas nas comissões da Câmara dos Deputados e os textos foram encaminhados para a Mesa Diretora. Mas a presidência da Casa não conseguiu colocar as matérias em votação no Plenário por falta de acordo entre os partidos.

Com a renovação dos cargos no Congresso Nacional, Pereira vê oportunidade de as reformas serem aprovadas, já no início do governo Bolsonaro.  

“Eu acho que o novo Congresso é mais liberal, mais voltado para o setor produtivo, para a liberação da economia, menos ideologizado, até porque o governo do presidente Bolsonaro vai nessa linha também, então, eu acho que nós teremos condições e ambiente para aprovar essas pautas”, explica Marcos Pereira.

O governo deve enviar o projeto da reforma da Previdência ao Congresso Nacional na próxima quarta-feira (20).

O texto foi aprovado pelo presidente Bolsonaro e prevê, entre outras medidas, mudança na idade mínima para aposentadoria do trabalhador de 65 anos, para homens, e 62, para mulheres.  

A reforma tributária ainda não tem data para ser apresentada pela equipe econômica do governo. 

Cristiano Carlos

Cristiano é jornalista formado pela Universidade Católica de Brasília, com larga experiência em emissoras de rádio, desde 2002. Como repórter trabalha na cobertura do Congresso Nacional, em Brasília, na produção de conteúdos sobre o dia a dia dos bastidores, da atuação dos parlamentares, nas comissões e nos plenários do Senado e Câmara dos Deputados. Acompanhou as campanhas eleitorais nacionais em 2014 e 2018. Também atua nas editorias de educação, saúde e esportes.


Cadastre-se

LOC.: O deputado federal e ex-ministro da Indústria e Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, do PRB de São Paulo, acredita que o novo Congresso Nacional deve aprovar as pautas que são importantes para o crescimento da produção industrial no país logo no começo do governo do presidente Bolsonaro.

Em dezembro, a produção industrial registrou pequena alta de 0,2%, em comparação com números do mesmo mês de 2017. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE).

Durante o ano, o país registrou números positivos na produção industrial que teve aumento superior a 1%. No entanto, o número foi menor quando comparado ao desempenho industrial de 2017, que foi de 2,5%.

A economia do país precisa contar com forte produção industrial para garantir o crescimento pleno de emprego e renda e, para isso, as aprovações das reformas da previdência e tributária são essenciais, como explica o deputado Marcos Pereira.

TEC./SONORA: Deputado Federal, Marcos Pereira (PRB-SP)

“Com a reforma da Previdência e na sequência a reforma Tributária, porque feita a Previdência é possível começar a dialogar a reforma Tributária, nós teremos aí uma melhoria significativa no ambiente de negócios. E desburocratizar toda a máquina pública, toda a máquina federal revisando as instruções normativas, revisando as portarias.”
 

LOC.: No governo passado do ex-presidente Temer, por exemplo, as reformas da Previdência e Tributária foram aprovadas nas comissões da Câmara dos Deputados e os textos foram encaminhados para a Mesa Diretora.

Mas a presidência da Casa não conseguiu colocar as matérias em votação no Plenário por falta de acordo entre os partidos.

O deputado Marcos Pereira ressalta que o perfil dos “novos” congressistas que compõem o novo Congresso Nacional é favorável às políticas econômicas que impulsionam a produção industrial e o emprego.

TEC./SONORA: Deputado Federal, Marcos Pereira (PRB-SP)

“Eu acho que o novo Congresso é mais liberal, mais voltado para o setor produtivo, para a liberação da economia, menos ideologizado, até porque o governo do presidente Bolsonaro vai nessa linha também, então, eu acho que nós teremos condições e ambiente para aprovar essas pautas.”
 

LOC.: O governo deve enviar o projeto da reforma da Previdência ao Congresso Nacional na próxima quarta-feira (20).

O texto foi aprovado pelo presidente Bolsonaro e prevê, entre outras medidas, mudança na idade mínima para aposentadoria do trabalhador de 65 anos, para homens, e 62, para mulheres.  

A reforma tributária ainda não tem data para ser apresentada pela equipe econômica do governo.

Reportagem, Cristiano Carlos