Menu

Feriado de Natal registra 50 mortes nas rodovias, informa PRF

Além disso, 962 pessoas ficaram feridas nas estradas federais

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: PRF

A Operação Natal, feita pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) durante cinco dias, registrou 50 mortes, o que representa uma queda de 28% no número de óbitos, se comparado ao ano passado. Além disso, 962 pessoas ficaram feridas nas estradas federais.

O intuito da operação foi evitar acidentes, combater excessos e irregularidades no trânsito.

Neste mês, a PRF reativou radares móveis e portáteis em cerca de 5 mil quilômetros de rodovias brasileiras. Segundo a instituição, a polícia tem os equipamentos e “está orientada a incluir a fiscalização de velocidade em seu planejamento operacional”.

A iniciativa abrange 500 trechos de 10 km de extensão e marcou a retomada de uma prática que havia sido suspensa pelo presidente Jair Bolsonaro em agosto. A ordem proibia o uso de radares móveis de fiscalização em rodovias federais, mas o Juiz Marcelo Gentil Monteiro, da Primeira Vara Federal Cível do DF, em resposta a um pedido do Ministério Público Federal, questionou a decisão de Bolsonaro e implementou a volta dos equipamentos de fiscalização.

 

Cintia Moreira

Em uma de suas experiências profissionais ganhou um prêmio jornalístico e jura que não tem pautas de preferência. Sua única preferência é que tenham pautas.


Conteúdos relacionados

Cadastre-se

LOC.: A Operação Natal, feita pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) durante cinco dias, registrou 50 mortes, o que representa uma queda de 28% no número de óbitos, se comparado ao ano passado. Além disso, 962 pessoas ficaram feridas nas estradas federais.

O intuito da operação foi evitar acidentes, combater excessos e irregularidades no trânsito.

Neste mês, a PRF reativou radares móveis e portáteis em cerca de 5 mil quilômetros de rodovias brasileiras. Segundo a instituição, a polícia tem os equipamentos e “está orientada a incluir a fiscalização de velocidade em seu planejamento operacional”.

A iniciativa abrange 500 trechos de 10 km de extensão e marcou a retomada de uma prática que havia sido suspensa pelo presidente Jair Bolsonaro em agosto. A ordem proibia o uso de radares móveis de fiscalização em rodovias federais, mas o Juiz Marcelo Gentil Monteiro, da Primeira Vara Federal Cível do DF, em resposta a um pedido do Ministério Público Federal, questionou a decisão de Bolsonaro e implementou a volta dos equipamentos de fiscalização.

Reportagem, Cintia Moreira