Menu

FESTIVAL DE GRAMADO: Primeiro longa da mostra competitiva de filmes brasileiros, “O Homem Cordial” (DF) retrata polarização política

Dirigido por Iberê Carvalho e com atuação de Paulo Miklos, o filme narra a história de um cantor de rock que sofre retaliação dos fãs

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Marcelo Vittorino

Diretamente da capital brasileira, o primeiro filme da mostra competitiva de longas nacionais do Festival de Cinema de Gramado, “O Homem Cordial”, de Iberê Carvalho, superou expectativas. Com atuação de Paulo Miklos, ex-integrante da banda Titãs, o filme traz temática social importante e critica violência atual no Brasil. 

A trama conta a história de Aurélio, cantor de uma banda de rock, que sofre críticas dos fãs após defender um adolescente que era acusado de roubar um celular. As cenas são muito fortes, regadas de realidade e acabam causando impacto, levando o espectador a questionar se é necessário exibir tanta violência. 

E foi justamente essa a intenção de Iberê Carvalho quando  se inspirou em uma história real. A organização do filme como roteiro e toda a composição sonora e visual do diretor brasiliense foram pensadas com objetivo de impactar o público. 

“A minha expectativa é que o filme faça com que as pessoas reflitam, se identifiquem e se coloquem no lugar dos personagens que estão na tela. Além de contribuir com o debate e fazer com que as pessoas saiam do cinema para tomar uma cerveja, vinho, um jantar e continuem conversando sobre isso, debatendo e amadurecendo o pensamento. Dialogando sobre tudo, porque tudo isso está acontecendo por falta de diálogo e falta de entender um ao outro”, argumenta o diretor. 

Apesar de ter apenas uma hora e 15 minutos de duração, o longa parece ser um pouco maior. Toda a questão da violência torna o filme muito pesado e acaba deixando um sentimento incômodo, de que precisa acabar logo. 

A atriz Dandara de Morais, interpreta da jornalista Helena, que faz um tipo de jornalismo alternativo e de investigação. Ela é responsável por guiar o personagem de Paulo Miklos, para que ele reconheça a problemática vivida por pessoas negras e pobres nas cidades grandes. 

Para Dandara, o longa “trata de uma questão muito atual, que é essa ‘coisa’ do linchamento, da internet, das coisas que estamos consumindo freneticamente nas redes e como isso interfere na nossa vida”, explicou. 

“O Homem Cordial” foi o primeiro filme da mostra competitiva e aguarda resultado da premiação do Festival de Cinema de Gramado, que será no dia 24 de agosto.

Sara Rodrigues

Sara iniciou a carreira jornalística como estagiária da Agência do Rádio, em 2014. Foi repórter da UnBTV durante 1 ano e 6 meses e retornou para a redação da ARB como repórter. É responsável pela coluna Diversão em Pauta, e cobre Política Internacional.


Cadastre-se

LOC.: Diretamente da capital brasileira, o primeiro filme da mostra competitiva de longas nacionais do Festival de Cinema de Gramado, “O Homem Cordial”, de Iberê Carvalho, superou expectativas. Com atuação de Paulo Miklos, ex-integrante da banda Titãs, o filme traz temática social importante e critica violência atual no Brasil. 

A trama conta a história de Aurélio, cantor de uma banda de rock, que sofre críticas dos fãs após defender um adolescente que era acusado de roubar um celular. As cenas são muito fortes, regadas de realidade e acabam causando impacto, levando o espectador a questionar se é necessário exibir tanta violência. 

E foi justamente essa a intenção de Iberê Carvalho quando  se inspirou em uma história real. A organização do filme como roteiro e toda a composição sonora e visual do diretor brasiliense foram pensadas com objetivo de impactar o público. 

“A minha expectativa é que o filme faça com que as pessoas reflitam, se identifiquem e se coloquem no lugar dos personagens que estão na tela. Além de contribuir com o debate e fazer com que as pessoas saiam do cinema para tomar uma cerveja, vinho, um jantar e continuem conversando sobre isso, debatendo e amadurecendo o pensamento. Dialogando sobre tudo, porque tudo isso está acontecendo por falta de diálogo e falta de entender um ao outro”

LOC.: Apesar de ter apenas uma hora e 15 minutos de duração, o longa parece ser um pouco maior. Toda a questão da violência torna o filme muito pesado e acaba deixando um sentimento incômodo, de que precisa acabar logo. 

A atriz Dandara de Morais, interpreta da jornalista Helena, que faz um tipo de jornalismo alternativo e de investigação. Ela é responsável por guiar o personagem de Paulo Miklos, para que ele reconheça a problemática vivida por pessoas negras e pobres nas cidades grandes. 

“trata de uma questão muito atual, que é essa ‘coisa’ do linchamento, da internet, das coisas que estamos consumindo freneticamente nas redes e como isso interfere na nossa vida”

LOC.: “O Homem Cordial” foi o primeiro filme da mostra competitiva e aguarda resultado da premiação do Festival de Cinema de Gramado, que será no dia 24 de agosto.

Reportagem, Sara Rodrigues