Menu

FGV aponta crescimento da inflação para famílias com até 2,5 salários mínimos

Índice ficou em 0,49% no mês de fevereiro

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Créditos: Marcos Camargo -Agência Brasil

A inflação para as famílias que têm uma renda de até dois salários mínimos e meio subiu para 0,49% no mês de fevereiro. O resultado foi apresentado pela Fundação Getúlio Vargas, através do Índice de Preços ao Consumidor - Classe 1 (IPC-C1) e está abaixo dos 0,61% apresentados em janeiro. Esse indicador calcula a variação no valor da cesta básica consumida por essa faixa.

Com esse resultado, o acumulado de altas em 2019 atingiu 1,10% e 4,81% nos últimos 12 meses.

Quatro, das oito categorias analisadas, sofreram altas: habitação, saúde e cuidados Pessoais, alimentação e vestuário.

Em contrapartida, transportes, educação, leitura e recreação, despesas diversas e comunicação, apresentaram queda em suas taxas.

No caso do outro índice, o IPC-Br, o crescimento foi de 0,35% em janeiro. Nos últimos 12 meses a taxa é de 4,38%.
 

Raphael Costa

O repórter Raphael Costa formou-se em 2015 no Centro Universitário de Brasília (CEUB), mas deu início à sua carreira anteriormente. Originalmente paulista, começou em um programa de Rádio e TV local, até se mudar para Brasília. Com cerca de três anos de casa, é a voz que noticia esportes, agricultura e economia.


Cadastre-se

A inflação para as famílias que têm uma renda de até dois salários mínimos e meio subiu para 0,49% no mês de fevereiro. O resultado foi apresentado pela Fundação

Getúlio Vargas, através do Índice de Preços ao Consumidor - Classe 1 (IPC-C1) e está abaixo dos 0,61% apresentados em janeiro. Esse indicador calcula a variação no valor da cesta básica consumida por essa faixa.

Com esse resultado, o acumulado de altas em 2019 atingiu 1,10% e 4,81% nos últimos 12 meses.

Quatro, das oito categorias analisadas, sofreram altas: habitação, saúde e cuidados Pessoais, alimentação e vestuário.

Em contrapartida, transportes, educação, leitura e recreação, despesas diversas e comunicação, apresentaram queda em suas taxas.

No caso do outro índice, o IPC-Br, o crescimento foi de 0,35% em janeiro. Nos últimos 12 meses a taxa é de 4,38%.

Reportagem, Raphael Costa