Menu

GOIÂNIA (GO): Mais de 700 bebês já receberam leite materno de doação na unidade referência em 2019

No dia 19 de maio, foi celebrado o Dia Nacional da Doação de Leite Humano

Banners
Foto: reprodução/Ministério da Saúde

Nos quatro primeiros meses do ano, a unidade referência na doação de leite humano em Goiânia, o Banco de Leite Humano do Hospital Materno Infantil, coletou mais de 620 litros de leite doados por quase 500 mulheres, segundo dados da Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano (RBLH), da Fiocruz. Essa quantidade foi distribuída para mais de 700 bebês na capital do estado. O volume arrecadado supera o do mesmo período do ano passado, quando a marca atingida foi de cerca de 500 litros. 

SERVIÇO: Saiba onde doar leite materno em Goiânia (GO)

No dia 19 de maio, foi celebrado o Dia Nacional da Doação de Leite Humano. O leite materno é único, reúne nutrientes essenciais para o desenvolvimento dos bebês e ajuda a salvar vidas de recém-nascidos prematuros ou de baixo peso internados e que não podem ser alimentados diretamente no seio da mãe. 

Incentivada por gerações familiares anteriores, a dona de casa Ilze dos Santos, de 32 anos, também decidiu ser doadora de leite materno. Ela chegou a conceder quatro litros por semana durante mais de um ano após o nascimento da primeira filha, Mariana. Com o nascimento de Rafael, de seis meses, a dona de casa voltou a frequentar os Bancos de Leite Humano.

Ilze dos Santos conta que o exemplo vindo de dentro da própria família a encorajou a ser doadora.

“A primeira vez que eu doei foi assim que minha primeira filha nasceu, em 2014. Eu estava com muito leite, e aí descobri o telefone do banco de leite humano e elas me orientaram como que tinha que ser feita a doação. Eu mesma que procurei porque não queria jogar leite materno fora. A minha família já tem outras mulheres que doaram, então eu já tinha o exemplo”, disse.

De acordo com o Ministério da Saúde, um pote de leite materno pode alimentar até 10 recém-nascidos por dia. Dependendo do peso do prematuro, 1ml já é o suficiente para nutri-lo cada vez que for alimentado.

As mães que estiverem dispostas a ser doadoras podem fazer a retirada do seu leite em casa para depois levar ao Banco de Leite Humano. A mulher deve ter alguns cuidados ao fazer essa retirada, como explica a farmacêutica bioquímica e coordenadora do Banco de Leite Humano do Hospital Materno Infantil de Goiânia, Renata Machado Lélis.

“Para retirar o leite em casa, ou a mãe pode lavar e ferver um frasco de vidro com tampa de plástico (do tipo café solúvel, retirados rótulos e papel da tampa), durante 15 minutos, contando o tempo a partir da fervura. Após isso, deixar o frasco e a tampa secar ao ambiente com a boca para baixo em cima de um pano limpo e está pronto para usar, ou ainda o próprio banco de leite humano fornece esse vidro esterilizado. Ela vai higienizar a mão até o cotovelo, prender o cabelo, colocar uma toquinha, fralda ou pano limpo no cabelo, colocar uma máscara para não ficar respirando em cima do leite. Uma vez ele retirado, a mãe congela esse leite. As próximas vezes que ela retirar o leite ela pode coletar em um copo de vidro esterilizado e colocar por cima do leite materno congelado. Ela vai enchendo o vidro até dois dedos abaixo da tampa ou até completar dez dias que o leite materno está guardado no congelador. A data de validade será a que foi coletado o primeiro leite nesse frasco”, explica.

Os materiais para a retirada do leite em casa, como máscara e toca, são fornecidos pelos bancos de leite humano. O centro de referência do Hospital Materno Infantil fica na Avenida R-7, esquina com Avenida Perimetral, no Setor Oeste. O telefone de contato é o (62) 3956-2921. Repetindo: (62) 3956-2921

Doe leite materno, alimente a vida. Para mais informações, acesse saude.gov.br/doacaodeleite. 


 

Agência do Rádio



Cadastre-se

LOC.: Nos quatro primeiros meses do ano, a unidade referência na doação de leite humano em Goiânia, o Banco de Leite Humano do Hospital Materno Infantil, coletou mais de 620 litros de leite doados por quase 500 mulheres, segundo dados da Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano (RBLH), da Fiocruz. Essa quantidade foi distribuída para mais de 700 bebês na capital do estado. O volume arrecadado supera o do mesmo período do ano passado, quando a marca atingida foi de cerca de 500 litros. 

No dia 19 de maio, foi celebrado o Dia Nacional da Doação de Leite Humano. O leite materno é único, reúne nutrientes essenciais para o desenvolvimento dos bebês e ajuda a salvar vidas de recém-nascidos prematuros ou de baixo peso internados e que não podem ser alimentados diretamente no seio da mãe. 

Incentivada por gerações familiares anteriores, a dona de casa Ilze dos Santos, de 32 anos, também decidiu ser doadora de leite materno. Ela chegou a conceder quatro litros por semana durante mais de um ano após o nascimento da primeira filha, Mariana. Com o nascimento de Rafael, de seis meses, a dona de casa voltou a frequentar os Bancos de Leite Humano.

Ilze dos Santos conta que o exemplo vindo de dentro da própria família a encorajou a ser doadora.

TEC/SONORA: Ilze dos Santos, dona de casa. 
 

“A primeira vez que eu doei foi assim que minha primeira filha nasceu, em 2014. Eu estava com muito leite, e aí descobri o telefone do banco de leite humano e elas me orientaram como que tinha que ser feita a doação. Eu mesma que procurei porque não queria jogar leite materno fora. A minha família já tem outras mulheres que doaram, então eu já tinha o exemplo.”

LOC.: De acordo com o Ministério da Saúde, um pote de leite materno pode alimentar até 10 recém-nascidos por dia. Dependendo do peso do prematuro, 1ml já é o suficiente para nutri-lo cada vez que for alimentado.

As mães que estiverem dispostas a ser doadoras podem fazer a retirada do seu leite em casa para depois levar ao Banco de Leite Humano. A mulher deve ter alguns cuidados ao fazer essa retirada, como explica a farmacêutica bioquímica e coordenadora do Banco de Leite Humano do Hospital Materno Infantil de Goiânia, Renata Machado Lélis.

TEC/SONORA: Renata Machado Lélis, farmacêutica bioquímica e coordenadora do Banco de Leite Humano do Hospital Materno Infantil de Goiânia.
 

“Para retirar o leite em casa, ou a mãe pode lavar e ferver um frasco de vidro com tampa de plástico (do tipo café solúvel, retirados rótulos e papel da tampa), durante 15 minutos, contando o tempo a partir da fervura. Após isso, deixar o frasco e a tampa secar ao ambiente com a boca para baixo em cima de um pano limpo e está pronto para usar, ou ainda o próprio banco de leite humano fornece esse vidro esterilizado. Ela vai higienizar a mão até o cotovelo, prender o cabelo, colocar uma toquinha, fralda ou pano limpo no cabelo, colocar uma máscara para não ficar respirando em cima do leite. Uma vez ele retirado, a mãe congela esse leite. As próximas vezes que ela retirar o leite ela pode coletar em um copo de vidro esterilizado e colocar por cima do leite materno congelado. Ela vai enchendo o vidro até dois dedos abaixo da tampa ou até completar dez dias que o leite materno está guardado no congelador. A data de validade será a que foi coletado o primeiro leite nesse frasco.” 

LOC.: Os materiais para a retirada do leite em casa, como máscara e toca, são fornecidos pelos bancos de leite humano. O centro de referência do Hospital Materno Infantil fica na Avenida R-7, esquina com Avenida Perimetral, no Setor Oeste. O telefone de contato é o (62) 3956-2921. Repetindo: (62) 3956-2921

Doe leite materno, alimente a vida. Para mais informações, acesse saude.gov.br/doacaodeleite.