Menu

GOIÁS: 27 mil preservativos femininos serão distribuídos no estado durante o carnaval

Ao todo, a secretaria deverá distribuir mais de um milhão de preservativos para os municípios goianos

Banners
Foto: Presidência da República

 Usar camisinha é o método mais fácil e eficaz para prevenir o HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis, as chamadas IST. Homens e mulheres devem se prevenir, e, pensando nisso, a Secretaria de Saúde de Goiás vai distribuir preservativos masculinos e femininos durante o período do carnaval. Em todo o estado, serão disponibilizadas 27 mil unidades femininas para a população. Também serão distribuídos aproximadamente 57 mil géis lubrificantes. É o que explica a coordenadora de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento das IDT/Aids da Secretaria de Saúde de Goiás, Milca Prado. 

“Iniciamos a distribuição e já estamos quase concluindo o trabalho. Foram distribuídos um milhão quatrocentos e oitenta e três mil preservativos masculinos, em torno de 27 mil preservativos femininos e em torno de 57 mil géis lubrificantes para todos os municípios do estado de Goiás”, explica.  

Ao todo, a secretaria deverá distribuir mais de um milhão de preservativos para os municípios goianos. Mas as camisinhas e outras formas de prevenção estão disponíveis em todas as Unidades Básicas de Saúde. 

Liamar Oliveira, de 53 anos, é servidora pública e soube que era portadora do HIV em 1997. Logo que teve o diagnóstico, começou a tomar os medicamentos indicados. Para ela, isso foi fundamental para que não contraísse a doença. 

“Porque eu peguei o diagnóstico e logo comecei a tomar remédio com rapidez, eu comecei a tomar o remédio e nunca tive nenhuma internação, nada. Eu tomei medicamento durante cinco anos e oito meses, eu fiquei de férias mais um período que era uma avaliação que eu estava fazendo de férias, a terapia aqui em Goiânia. Fiquei de férias de terapia, voltei à terapia, e nunca tive nenhum diagnóstico de aids”, disse.  

Entre 2007 e 2018, foram registrados mais de sete mil e seiscentos casos de aids em pessoas com mais de 13 anos em Goiás. Houve queda nas taxas de diagnóstico da doença, que é mais comum entre pessoas do sexo masculino e com idade entre 30 e 39 anos.  

Então, não se descuide! A dica é simples para os foliões e foliãs: pare, pense e use camisinha. Qualquer dúvida, procure uma Unidade Básica de Saúde. Conheça todas as formas de prevenção em aids.gov.br. Ministério da Saúde. Governo Federal. Pátria Amada Brasil.
 

Agência do Rádio



Cadastre-se

LOC.: Usar camisinha é o método mais fácil e eficaz para prevenir o HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis, as chamadas IST. Homens e mulheres devem se prevenir, e, pensando nisso, a Secretaria de Saúde de Goiás vai distribuir preservativos masculinos e femininos durante o período do carnaval. Em todo o estado, serão disponibilizadas 27 mil unidades femininas para a população. Também serão distribuídos aproximadamente 57 mil géis lubrificantes. É o que explica a coordenadora de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento das IDT/Aids da Secretaria de Saúde de Goiás, Milca Prado. 

TEC./SONORA: Milca Prado, coordenadora de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento das IDT/Aids da Secretaria de Saúde de Goiás.
 

“Iniciamos a distribuição e já estamos quase concluindo o trabalho. Foram distribuídos um milhão quatrocentos e oitenta e três mil preservativos masculinos, em torno de 27 mil preservativos femininos e em torno de 57 mil géis lubrificantes para todos os municípios do estado de Goiás.” 

LOC.: Ao todo, a secretaria deverá distribuir mais de um milhão de preservativos para os municípios goianos. Mas as camisinhas e outras formas de prevenção estão disponíveis em todas as Unidades Básicas de Saúde. 
Liamar Oliveira, de 53 anos, é servidora pública e soube que era portadora do HIV em 1997. Logo que teve o diagnóstico, começou a tomar os medicamentos indicados. Para ela, isso foi fundamental para que não contraísse a doença. 

TEC./SONORA: Liamar Oliveira, servidora pública
 

“Porque eu peguei o diagnóstico e logo comecei a tomar remédio com rapidez, eu comecei a tomar o remédio e nunca tive nenhuma internação, nada. Eu tomei medicamento durante cinco anos e oito meses, eu fiquei de férias mais um período que era uma avaliação que eu estava fazendo de férias, a terapia aqui em Goiânia. Fiquei de férias de terapia, voltei à terapia, e nunca tive nenhum diagnóstico de aids.” 

LOC.: Entre 2007 e 2018, foram registrados mais de sete mil e seiscentos casos de aids em pessoas com mais de 13 anos em Goiás. Houve queda nas taxas de diagnóstico da doença, que é mais comum entre pessoas do sexo masculino e com idade entre 30 e 39 anos.  

Então, não se descuide! A dica é simples para os foliões e foliãs: pare, pense e use camisinha. Qualquer dúvida, procure uma Unidade Básica de Saúde. Conheça todas as formas de prevenção em aids.gov.br. Ministério da Saúde. Governo Federal. Pátria Amada Brasil.