Menu

Governo exonera assessor especial e chefe de gabinete do ministro da Educação

As exonerações somam-se a uma série de remanejamentos que tem sido feitos no MEC nos últimos meses

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, exonerou nesta quinta-feira (4), o assessor especial do ministro da Educação, Bruno Garschagen e a chefe de gabinete do MEC, Josie Pereira.

Há dois meses, Garschagen atuava como responsável por intermediar o contato com a imprensa. Já Josie Priscila assumia o cargo desde março, quando entrou no lugar do Tiago Tondinelli.

Por sinal, recentemente, diversos funcionários da pasta comandada por Ricardo Vélez Rodríguez deixaram os cargos. A secretária de Educação Básica, Tânia Leme de Almeida e o professor Marcus Vinicius Carvalho Rodrigues, que era o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, o Inep, estão entre os nomes que deixaram os postos. Outros seis funcionários comissionados do MEC também foram exonerados.

As demissões somam-se a uma série de remanejamentos que tem sido feitos no Ministério da Educação nos últimos meses. Agora, quem vai ocupar o cargo de chefe de gabinete do ministro será Marcos de Araújo.
 

Cintia Moreira

Em uma de suas experiências profissionais ganhou um prêmio jornalístico e jura que não tem pautas de preferência. Sua única preferência é que tenham pautas.


Conteúdos relacionados

Cadastre-se

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, exonerou nesta quinta-feira (4), o assessor especial do ministro da Educação, Bruno Garschagen e a chefe de gabinete do MEC, Josie Pereira.

Há dois meses, Garschagen atuava como responsável por intermediar o contato com a imprensa. Já Josie Priscila assumia o cargo desde março, quando entrou no lugar do Tiago Tondinelli.

Por sinal, recentemente, diversos funcionários da pasta comandada por Ricardo Vélez Rodríguez deixaram os cargos. A secretária de Educação Básica, Tânia Leme de Almeida e o professor Marcus Vinicius Carvalho Rodrigues, que era o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, o Inep, estão entre os nomes que deixaram os postos. Outros seis funcionários comissionados do MEC também foram exonerados.

As demissões somam-se a uma série de remanejamentos que tem sido feitos no Ministério da Educação nos últimos meses. Agora, quem vai ocupar o cargo de chefe de gabinete do ministro será Marcos de Araújo.

Reportagem, Cintia Moreira