Menu

Governo federal extingue prisão disciplinar para bombeiros e PMs

Agora, de acordo com o Projeto de Lei Complementar (PLC 148/2015), os estados e o Distrito Federal terão 12 meses para implementar a lei

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Governo de São Paulo

Publicado nesta sexta-feira (27), no Diário Oficial da União, um Projeto de Lei Complementar (PLC 148/2015) extingue a pena de prisão disciplinar para as polícias militares (PM) e bombeiros militares dos estados, territórios e do Distrito Federal.

A norma altera uma regra existente desde a ditadura militar (Decreto-Lei nº 667, de 2 de julho de 1969), que determinava que os policiais militares deveriam seguir o regulamento disciplinar do Exército, que traz a prisão disciplinar como forma de punição para casos de transgressão.

Agora, de acordo com o texto, os estados e o Distrito Federal terão 12 meses para implementar a lei.


 

Cintia Moreira

Em uma de suas experiências profissionais ganhou um prêmio jornalístico e jura que não tem pautas de preferência. Sua única preferência é que tenham pautas.


Conteúdos relacionados

Cadastre-se

LOC.: Publicado nesta sexta-feira (27), no Diário Oficial da União, um Projeto de Lei Complementar (PLC 148/2015) extingue a pena de prisão disciplinar para as polícias militares (PM) e bombeiros militares dos estados, territórios e do Distrito Federal.

A norma altera uma regra existente desde a ditadura militar (Decreto-Lei nº 667, de 2 de julho de 1969), que determinava que os policiais militares deveriam seguir o regulamento disciplinar do Exército, que traz a prisão disciplinar como forma de punição para casos de transgressão.

Agora, de acordo com o texto, os estados e o Distrito Federal terão 12 meses para implementar a lei.

Reportagem, Cintia Moreira