Menu

Hospitais Federais ampliam em 32% consultas na emergência

Desde janeiro deste ano, o Governo Federal passou a adotar a Ação Integrada de Apoio à Gestão dos Hospitais Federais do Rio de Janeiro.

Banners
Foto: Marcelo Queiroz/ASCOM/NEMS

Desde janeiro deste ano, o Governo Federal passou a adotar a Ação Integrada de Apoio à Gestão dos Hospitais Federais do Rio de Janeiro. O objetivo é modernizar as relações administrativas e qualificar os serviços assistenciais oferecidos pelos seis hospitais federais, tornando-os mais acessíveis e alinhados às boas práticas e aos padrões de qualidade e segurança dos pacientes. O resultado é que no primeiro trimestre de 2019, quando comparado com o mesmo período de 2018, esses hospitais aumentaram em 32% o número de consultas de emergência, entre outros resultados positivos. Durante a apresentação desses dados, foi assinada a Exposição de Motivos Interministerial que pretende possibilitar o avanço do projeto de centralização de compras e serviços. A expectativa é melhorar os serviços oferecidos, como explica o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. 


“Bom, eu tenho visto muito trabalho e esse daqui é mais um trabalho né? Mas praticamente todas as unidades da Federação. Isso é uma lei aprovado em lei, o que a gente faz é definir um comitê para ver quais são os projetos partindo das demandas do SUS em direção à melhoria de gestão”.


Outros resultados que merecem destaque são o crescimento em 7% nos atendimentos ambulatoriais; ampliação em 10% no número de internações; e em 3% o total de cirurgias. Esta produção assistencial significa um total de 20.216 atendimentos a mais do que o contabilizado no mesmo período de 2018. 

 

Janary Bastos Damacena



Cadastre-se

Desde janeiro deste ano, o Governo Federal passou a adotar a Ação Integrada de Apoio à Gestão dos Hospitais Federais do Rio de Janeiro. O objetivo é modernizar as relações administrativas e qualificar os serviços assistenciais oferecidos pelos seis hospitais federais, tornando-os mais acessíveis e alinhados às boas práticas e aos padrões de qualidade e segurança dos pacientes. O resultado é que no primeiro trimestre de 2019, quando comparado com o mesmo período de 2018, esses hospitais aumentaram em 32% o número de consultas de emergência, entre outros resultados positivos. Durante a apresentação desses dados, foi assinada a Exposição de Motivos Interministerial que pretende possibilitar o avanço do projeto de centralização de compras e serviços. A expectativa é melhorar os serviços oferecidos, como explica o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. 

 

“Bom, eu tenho visto muito trabalho e esse daqui é mais um trabalho né? Mas praticamente todas as unidades da Federação. Isso é uma lei aprovado em lei, o que a gente faz é definir um comitê para ver quais são os projetos partindo das demandas do SUS em direção à melhoria de gestão”.

Outros resultados que merecem destaque são o crescimento em 7% nos atendimentos ambulatoriais; ampliação em 10% no número de internações; e em 3% o total de cirurgias. Esta produção assistencial significa um total de 20.216 atendimentos a mais do que o contabilizado no mesmo período de 2018.