Menu

Índice de Confiança da Indústria cresce em agosto

Aumento quebra sequência de três quedas consecutivas

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Créditos: Reprodução Pixabay

Depois de três quedas consecutivas, o índice que avalia a confiança da Indústria voltou a apresentar um crescimento. Segundo balanço divulgado nesta segunda-feira (26) pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), o salto no mês de agosto foi de 0,8 ponto, deixando o índice com 95,6 pontos somados. Na análise de médias móveis trimestrais, o índice teve o quinto recuo consecutivo, que em agosto foi de 0,5 ponto.

A crescente registrada, no entanto, não foi suficiente para compensar as quedas recentes, de acordo com a publicação da FGV. O resultado do mês de agosto pode ser explicado pela melhora na maioria dos segmentos avaliados para a composição do índice. Ao todo, 12 dos 19 setores tiveram resultados positivos.

Já o Índice de Situação Atual (ISA) teve crescimento de 1,2 pontos, enquanto o Índice de Expectativas (IE) teve um crescimento de 0,4 ponto. Apesar dos crescimentos, os dois índices ficaram abaixo dos 100 pontos, considerado neutro.

No chamado Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci), o aumento foi de 0,3 ponto percentual, na comparação entre os meses de julho e agosto. O resultado fez o índice atingir 75,8%.

Raphael Costa

O repórter Raphael Costa formou-se em 2015 no Centro Universitário de Brasília (CEUB), mas deu início à sua carreira anteriormente. Originalmente paulista, começou em um programa de Rádio e TV local, até se mudar para Brasília. Com cerca de três anos de casa, é a voz que noticia esportes, agricultura e economia.


Cadastre-se

Depois de três quedas consecutivas, o índice que avalia a confiança da Indústria voltou a apresentar um crescimento. Segundo balanço divulgado nesta segunda-feira (26) pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), o salto no mês de agosto foi de 0,8 ponto, deixando o índice com 95,6 pontos somados. Na análise de médias móveis trimestrais, o índice teve o quinto recuo consecutivo, que em agosto foi de 0,5 ponto.

A crescente registrada, no entanto, não foi suficiente para compensar as quedas recentes, de acordo com a publicação da FGV. O resultado do mês de agosto pode ser explicado pela melhora na maioria dos segmentos avaliados para a composição do índice. Ao todo, 12 dos 19 setores tiveram resultados positivos.

Já o Índice de Situação Atual (ISA) teve crescimento de 1,2 pontos, enquanto o Índice de Expectativas (IE) teve um crescimento de 0,4 ponto. Apesar dos crescimentos, os dois índices ficaram abaixo dos 100 pontos, considerado neutro.

No chamado Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci), o aumento foi de 0,3 ponto percentual, na comparação entre os meses de julho e agosto. O resultado fez o índice atingir 75,8%.

Reportagem, Raphael Costa