Menu

Ingressos caros e estádios vazios marcam primeira rodada da Copa América

Apesar de ter apenas 46 mil torcedores, jogo entre Brasil e Bolívia arrecadou maior renda da história do futebol brasileiro, com tíquete médio de R$ 485

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Federação Venezuelana de Futebol

A Copa América 2019, que teve início na última sexta-feira (14), até o momento não enche os olhos do torcedor, seja pelo futebol abaixo do esperado ou pelos preços pouco convidativos, A primeira rodada do torneio, no entanto, foi de recorde de renda nos estádios brasileiros, mesmo com um público aquém do esperado.

O maior valor arrecadado na história do futebol brasileiro foi na vitória do Brasil, por dois a zero, contra a Bolívia, na partida de abertura da competição: pouco mais de R$ 22 milhões, com público pagante de 46.342 pessoas. Se dividirmos o valor total das entradas e do público presente na partida, o resultado seria um tíquete médio de R$ 485 por torcedor.

Para a partida de abertura foram disponibilizadas entradas nos valores de R$ 190, R$ 290, R$ 390 e R$ 590, preços de inteira. Para as demais partidas da fase de grupos, os ingressos variam de R$ 60 a R$ 350. Nas fases finais, o valor do ingresso aumenta. Para as quartas de final, as entradas variam de R$ 80 a R$ 400. As semifinais custam de R$ 100 a R$ 590, enquanto a disputa de terceiro lugar terá tíquetes entre R$ 60 e R$ 350. A grande final da competição, que será realizada no Maracanã, terão as entradas mais caras do torneio: variam de R$ 260 a R$ 890.
O preço da Copa América no Brasil tem assustado. Na comparação com a edição especial disputada nos Estados Unidos, em 2016, os ingressos mais baratos custavam 50 dólares. Pela cotação atual desta segunda-feira (17), o ingresso custaria R$ 202,50. No Chile, em 2015, a mesma categoria era comercializada a R$ 72,90. As entradas mais caras na Copa América de 2016, nos Estados Unidos, custavam o equivalente a R$ 6.075. No Chile, os tíquetes mais caros eram vendidos a R$ 486.

Apenas dois dos cinco jogos da primeira rodada desta edição da Copa América tiveram públicos superiores a 20 mil pessoas. Na estreia, 46.342 torcedores assistiram a Brasil e Bolívia, enquanto 34.950 pessoas acompanharam a vitória da Colômbia diante da Argentina, na Fonte Nova. Treze mil seiscentos e onze espectadores foram ao Mineirão para ver a partida entre Uruguai e Equador, enquanto 19.162 pessoas viram o empate entre Paraguai e Catar, no Maracanã. O menor público registrado até o momento foi no duelo entre Venezuela e Peru, na Arena do Grêmio, que contou com apenas 11.107 pessoas.

Se tirarmos o jogo entre Brasil e Bolívia, 78.830 torcedores assistiram às quatro primeiras partidas da rodada inicial da Copa América, média de 19.707 pessoas por jogo. O valor arrecadado nessas partidas foi de R$ 15.575.630. Portanto, a renda dos outros quatro jogos da primeira rodada foi R$ 6.901.000 inferior ao jogo entre Brasil e Bolívia.

Em relação ao público, 125.172 torcedores pagaram para ver aos cinco jogos da primeira rodada da Copa América, o que representa uma média de 25.034 pessoas por partida. A Copa América Centenário, disputada nos Estados Unidos, levou 1.483.855 pessoas aos 32 jogos da competição, número que totaliza uma média de 46.370 torcedores por jogo.

Até essa edição especial, a Copa América de 2007, realizada na Venezuela, liderava a média de público, com 40.393 torcedores por partida.
 

Paulo Henrique

Formado em Jornalismo e com Pós-Graduação em Gestão da Comunicação nas Organizações, possui experiência em redações e assessorias, atuou como estagiário na Secretaria de Saúde do Distrito Federal, no Portal R7 e na ASCOM da Câmara dos Deputados. Depois de formado, foi Assessor de Comunicação do Instituto de Migrações e Direitos Humanos e atualmente é repórter na Agência do Rádio.


Cadastre-se

A Copa América 2019, que teve início na última sexta-feira (14), até o momento não enche os olhos do torcedor, seja pelo futebol abaixo do esperado ou pelos preços pouco convidativos, A primeira rodada do torneio, no entanto, foi de recorde de renda nos estádios brasileiros, mesmo com um público aquém do esperado.

O maior valor arrecadado na história do futebol brasileiro foi na vitória do Brasil, por dois a zero, contra a Bolívia, na partida de abertura da competição: pouco mais de R$ 22 milhões, com público pagante de 46.342 pessoas. Se dividirmos o valor total das entradas e do público presente na partida, o resultado seria um tíquete médio de R$ 485 por torcedor.

Para a partida de abertura foram disponibilizadas entradas nos valores de R$ 190, R$ 290, R$ 390 e R$ 590, preços de inteira. Para as demais partidas da fase de grupos, os ingressos variam de R$ 60 a R$ 350. Nas fases finais, o valor do ingresso aumenta. Para as quartas de final, as entradas variam de R$ 80 a R$ 400. As semifinais custam de R$ 100 a R$ 590, enquanto a disputa de terceiro lugar terá tíquetes entre R$ 60 e R$ 350. A grande final da competição, que será realizada no Maracanã, terão as entradas mais caras do torneio: variam de R$ 260 a R$ 890.

O preço da Copa América no Brasil tem assustado. Na comparação com a edição especial disputada nos Estados Unidos, em 2016, os ingressos mais baratos custavam 50 dólares. Pela cotação atual desta segunda-feira (17), o ingresso custaria R$ 202,50. No Chile, em 2015, a mesma categoria era comercializada a R$ 72,90. As entradas mais caras na Copa América de 2016, nos Estados Unidos, custavam o equivalente a R$ 6.075. No Chile, os tíquetes mais caros eram vendidos a R$ 486.

Apenas dois dos cinco jogos da primeira rodada desta edição da Copa América tiveram públicos superiores a 20 mil pessoas. Na estreia, 46.342 torcedores assistiram a Brasil e Bolívia, enquanto 34.950 pessoas acompanharam a vitória da Colômbia diante da Argentina, na Fonte Nova. Treze mil seiscentos e onze espectadores foram ao Mineirão para ver a partida entre Uruguai e Equador, enquanto 19.162 pessoas viram o empate entre Paraguai e Catar, no Maracanã. O menor público registrado até o momento foi no duelo entre Venezuela e Peru, na Arena do Grêmio, que contou com apenas 11.107 pessoas.

Se tirarmos o jogo entre Brasil e Bolívia, 78.830 torcedores assistiram às quatro primeiras partidas da rodada inicial da Copa América, média de 19.707 pessoas por jogo. O valor arrecadado nessas partidas foi de R$ 15.575.630. Portanto, a renda dos outros quatro jogos da primeira rodada foi R$ 6.901.000 inferior ao jogo entre Brasil e Bolívia.

Em relação ao público, 125.172 torcedores pagaram para ver aos cinco jogos da primeira rodada da Copa América, o que representa uma média de 25.034 pessoas por partida. A Copa América Centenário, disputada nos Estados Unidos, levou 1.483.855 pessoas aos 32 jogos da competição, número que totaliza uma média de 46.370 torcedores por jogo.

Até essa edição especial, a Copa América de 2007, realizada na Venezuela, liderava a média de público, com 40.393 torcedores por partida.