Menu

Intenção de gastos das famílias brasileiras cresce em novembro e atinge quarta alta seguida, aponta CNC

Segundo a Confederação, o aumento foi de 1,3% em relação a outubro

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Prefeitura Municipal de Curitiba

O índice Intenção de Consumo das Famílias (ICF), medido pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), apresentou a quarta alta seguida, com aumento de 1,3% em relação a outubro.

De acordo com o economista da CNC, Antônio Everton Chaves, esse crescimento na intenção de gastos das famílias se deve a uma combinação de fatores.

“Como a gente teve aumento do emprego e mais a liberação dos recursos de Fundo de Garantia e PIS/Pasep, somado a uma situação de inflação estável e a possibilidade de desconto em compras no final do mês com o Black Friday, a gente pode pegar esta combinação de fatores e explicar o porquê do aumento do ICF em 1,3% em novembro em relação a outubro”, disse.

Segundo a CNC, esse resultado positivo reforça a confiança dos consumidores e aponta que as pessoas estão suscetíveis a comprar mais. Além disso, ao contrário do primeiro semestre deste ano, quando a intenção de compras oscilou, a economia tem dado sinais de reativação nos últimos meses, influenciando positivamente as projeções de crescimento econômico para este ano, bem como a propensão de gastos.                 

Cintia Moreira

Em uma de suas experiências profissionais ganhou um prêmio jornalístico e jura que não tem pautas de preferência. Sua única preferência é que tenham pautas.


Conteúdos relacionados

Cadastre-se

LOC.: O índice Intenção de Consumo das Famílias (ICF), medido pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), apresentou a quarta alta seguida, com aumento de 1,3% em relação a outubro.

De acordo com o economista da CNC, Antônio Everton Chaves, esse crescimento na intenção de gastos das famílias se deve a uma combinação de fatores.
 

TEC./SONORA: economista da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, Antônio Everton Chaves.

“Como a gente teve aumento do emprego e mais a liberação dos recursos de Fundo de Garantia e PIS/Pasep, somado a uma situação de inflação estável e a possibilidade de desconto em compras no final do mês com o Black Friday, a gente pode pegar esta combinação de fatores e explicar o porquê do aumento do ICF em 1,3% em novembro em relação a outubro.”
 

LOC.: Segundo a CNC, esse resultado positivo reforça a confiança dos consumidores e aponta que as pessoas estão suscetíveis a comprar mais. Além disso, ao contrário do primeiro semestre deste ano, quando a intenção de compras oscilou, a economia tem dado sinais de reativação nos últimos meses, influenciando positivamente as projeções de crescimento econômico para este ano, bem como a propensão de gastos.                

Reportagem, Cintia Moreira