Menu

Inter vence fora de casa; Mengão e Furacão perdem e se complicam na Libertadores

Pela Sulamericana, o Atlético Mineiro venceu o Botafogo, fora de casa

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Foto: Reprodução Twitter

O Inter foi o único time brasileiro que fez bonito na Libertadores nesta quarta-feira. O Colorado venceu o Nacional, do Uruguai, fora de casa, por um a zero, com gol de Paolo Guerrero, nos acréscimos. Agora, os gaúchos têm a vantagem do empate na próxima quarta, quando recebem os uruguaios no Beira-Rio.

Em mais um capítulo do vale a pena ver de novo, o Flamengo se complicou na Libertadores. No Equador, o Rubro-Negro perdeu por dois a zero para o Emelec, gols de Godoy e Caicedo. Além da derrota, o Fla teve outra baixa importante. O meia Diego teve uma fratura na partida, após sofrer carrinho violento, e vai precisar passar por cirurgia. Agora, o Mengão tem a difícil missão de vencer na próxima semana, no Maracanã, por três gols de diferença se quiser ficar com a vaga. Novo placar por dois a zero a favor dos cariocas leva a disputa para os pênaltis.

Na Arena da Baixada, o Athletico sentiu o drama de encarar o Boca na Libertadores. Os argentinos levaram a melhor por um a zero. Marco Rubén ainda teve a chance de empatar a partida, mas desperdiçou cobrança de pênalti no último lance do jogo. Resta ao Furacão encarar a temida La Bombonera e tentar reverter o prejuízo na próxima semana.

Pela Sul-Americana, o Botafogo enfrentou o Atlético Mineiro, no Nilton Santos. O Galo venceu por um a zero, com gol de Vinícius, e deu passo importante rumo à classificação. Em BH, na próxima quarta, um empate dá a vaga ao time mineiro. 

E nesta quinta (25) tem mais time brasileiro em campo por competições continentais. Pela Libertadores, o Grêmio encara o Libertad, na Arena, às nove e meia da noite, horário de Brasília. Pela Sul-Americana, o Corinthians enfrenta o Montevideo Wanderers, em São Paulo, no mesmo horário. 
 

Paulo Henrique

Formado em Jornalismo e com Pós-Graduação em Gestão da Comunicação nas Organizações, possui experiência em redações e assessorias, atuou como estagiário na Secretaria de Saúde do Distrito Federal, no Portal R7 e na ASCOM da Câmara dos Deputados. Depois de formado, foi Assessor de Comunicação do Instituto de Migrações e Direitos Humanos e atualmente é repórter na Agência do Rádio.


Cadastre-se

O Inter foi o único time brasileiro que fez bonito na Libertadores nesta quarta-feira. O Colorado venceu o Nacional, do Uruguai, fora de casa, por um a zero, com gol de Paolo Guerrero, nos acréscimos. Agora, os gaúchos têm a vantagem do empate na próxima quarta, quando recebem os uruguaios no Beira-Rio.

Em mais um capítulo do vale a pena ver de novo, o Flamengo se complicou na Libertadores. No Equador, o Rubro-Negro perdeu por dois a zero para o Emelec, gols de Godoy e Caicedo. Além da derrota, o Fla teve outra baixa importante. O meia Diego teve uma fratura na partida, após sofrer carrinho violento, e vai precisar passar por cirurgia. Agora, o Mengão tem a difícil missão de vencer na próxima semana, no Maracanã, por três gols de diferença se quiser ficar com a vaga. Novo placar por dois a zero a favor dos cariocas leva a disputa para os pênaltis.

Na Arena da Baixada, o Athletico sentiu o drama de encarar o Boca na Libertadores. Os argentinos levaram a melhor por um a zero. Marco Rubén ainda teve a chance de empatar a partida, mas desperdiçou cobrança de pênalti no último lance do jogo. Resta ao Furacão encarar a temida La Bombonera e tentar reverter o prejuízo na próxima semana.

Pela Sul-Americana, o Botafogo enfrentou o Atlético Mineiro, no Nilton Santos. O Galo venceu por um a zero, com gol de Vinícius, e deu passo importante rumo à classificação. Em BH, na próxima quarta, um empate dá a vaga ao time mineiro. 

E nesta quinta (25) tem mais time brasileiro em campo por competições continentais. Pela Libertadores, o Grêmio encara o Libertad, na Arena, às nove e meia da noite, horário de Brasília. Pela Sul-Americana, o Corinthians enfrenta o Montevideo Wanderers, em São Paulo, no mesmo horário. 

Reportagem, Paulo Henrique Gomes