Menu

Japão volta a disputar a Copa América após 20 anos e usa seleção olímpica como base

Em 1999, na primeira e única que vez em que participou da competição, foram eliminados já na primeira fase, com duas derrotas e um empate

  • Repórter
  • Data de publicação:
Banners
Créditos: Reprodução/JFA

Renovação. Essa é a palavra de ordem da seleção japonesa, que volta a disputar a Copa América, como convidada, após 20 anos. Com apenas seis nomes do time principal, o Japão chega ao Brasil com a maioria dos jogadores da seleção olímpica. Sob o comando do técnico Moriyasu, os Samurais Azuis querem apresentar um bom futebol, já em preparação para as Eliminatórias e para os Jogos Olímpicos, que serão disputados em Tóquio, no ano que vem.

Depois de perderem a final da Copa da Ásia para o Catar, dirigentes da federação japonesa consideraram a hipótese de trazer para a Copa América o elenco principal. No entanto, pelo fato de ser convidada, os dirigentes resolveram dar oportunidade aos garotos da seleção olímpica em um torneio de alto nível, com seleções que o Japão não costuma enfrentar.

Em 1999, na primeira e única que vez em que participou da Copa América, a seleção japonesa foi eliminada na primeira fase. Em três jogos, foi derrotada por Peru e Paraguai e empatou com a Bolívia, terminando como lanterna do grupo.

A evolução do futebol nos últimos anos japonês tem raízes brasileiras. Tudo começou com a influência de Zico, que jogou no país no início da década de 90 e chegou a treinar a seleção asiática. Na Copa da Rússia, no ano passado, os Samurais chegaram às oitavas de final, mas foram eliminados pela Bélgica após estarem vencendo por dois a zero. Na Copa da Ásia, o Japão é o maior campeão, com quatro títulos.

Em 2001, a seleção asiática esteve próxima de conquistar um torneio internacional, mas bateu na trave e ficou com o vice na Copa das Confederações, após derrota para a França.

O Japão está no grupo C, com Uruguai, Equador e Chile. O primeiro compromisso do Japão no torneio está marcado para o dia 17 de junho, quando enfrenta o Chile, no Morumbi, às oito da noite, horário de Brasília.

Raphael Costa

O repórter Raphael Costa formou-se em 2015 no Centro Universitário de Brasília (CEUB), mas deu início à sua carreira anteriormente. Originalmente paulista, começou em um programa de Rádio e TV local, até se mudar para Brasília. Com cerca de três anos de casa, é a voz que noticia esportes, agricultura e economia.


Cadastre-se

Renovação. Essa é a palavra de ordem da seleção japonesa, que volta a disputar a Copa América, como convidada, após 20 anos. Com apenas seis nomes do time principal, o Japão chega ao Brasil com a maioria dos jogadores da seleção olímpica. Sob o comando do técnico Moriyasu, os Samurais Azuis querem apresentar um bom futebol, já em preparação para as Eliminatórias e para os Jogos Olímpicos, que serão disputados em Tóquio, no ano que vem.

Depois de perderem a final da Copa da Ásia para o Catar, dirigentes da federação japonesa consideraram a hipótese de trazer para a Copa América o elenco principal. No entanto, pelo fato de ser convidada, os dirigentes resolveram dar oportunidade aos garotos da seleção olímpica em um torneio de alto nível, com seleções que o Japão não costuma enfrentar.

Em 1999, na primeira e única que vez em que participou da Copa América, a seleção japonesa foi eliminada na primeira fase. Em três jogos, foi derrotada por Peru e Paraguai e empatou com a Bolívia, terminando como lanterna do grupo.

A evolução do futebol japonês nos últimos anos tem raízes brasileiras. Tudo começou com a influência de Zico, que jogou no país no início da década de 90 e chegou a treinar a seleção asiática. Na Copa da Rússia, no ano passado, os Samurais chegaram às oitavas de final, mas foram eliminados pela Bélgica após estarem vencendo por dois a zero. Na Copa da Ásia, o Japão é o maior campeão, com quatro títulos.

Em 2001, a seleção asiática esteve próxima de conquistar um torneio internacional, mas bateu na trave e ficou com o vice na Copa das Confederações, após derrota para a França.

O Japão está no grupo C, com Uruguai, Equador e Chile. O primeiro compromisso do Japão no torneio está marcado para o dia 17 de junho, quando enfrenta o Chile, no Morumbi, às oito da noite, horário de Brasília.

Reportagem, Raphael Costa